Parceria universidade e escola no estágio curricular: um processo em constituição

Marina Cyrino, Samuel Souza Neto

Resumo


O presente trabalho concentra-se em discutir o estágio curricular na formação inicial de professores dos anos inicias do ensino fundamental, focalizando a constituição de uma relação de parceria entre universidade e escola. Buscamos como objetivos identificar o compromisso da escola na formação inicial de professores e demonstrar as possibilidades de um processo de construção da parceria entre universidade e escola. A investigação longitudinal (2010-2015) que envolve dados de duas pesquisas (mestrado e doutorado), de natureza qualitativa, ocorreu no curso de Licenciatura em Pedagogia da Unesp-Rio Claro. Contou com a colaboração de seis escolas e o envolvimento de professores, diretor e coordenadores, bem como a participação da professora supervisora da universidade responsável pelos estágios. A coleta de dados foi realizada em duas etapas: na primeira foram realizadas observações e entrevistas individuais semiestruturadas e; no segundo momento realizamos grupos focais com os participantes. Os dados foram organizados e apresentados em dois eixos temáticos: o compromisso das escolas na formação dos futuros professores e; o processo de constituição de uma parceria. Pudemos perceber o movimento de construção da parceria entre universidade e escola e as necessidades pontuadas por cada uma das instituições. Verificamos que a escola, à sua maneira, recepciona e é aberta aos estagiários, solicitam um trabalho em parceria, mas nem sempre são incluídas intencionalmente no processo. Foi possível perceber que há uma transição entre a parceria de serviço e a parceria de reciprocidade. Sendo assim, com a colaboração dos participantes, criamos dois dispositivos de formação que pudessem incluir a escola e a universidade de maneira formal no acompanhamento dos estagiários. Tais dispositivos contribuem para a o processo de profissionalização docente na medida em que possibilita aos atores papéis formais, intencionais, sistematizados e horizontais na formação de seus pares.


Texto completo:

PDF

Referências


ALTET, M. As competências do professor profissional: entre conhecimentos, esquemas de ação e adaptação, saber analisar. In: PAQUAY, L.; PERRENOUD, P.; ALTET, M.; CHARLIER, É. (Orgs.). Formando professores profissionais. Quais estratégias? Quais competências? 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2001. p. 23-35.

ANDRÉ, M. E. D. A. Texto, Contexto e Significados: algumas questões na análise de dados qualitativos. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, mai. 1983.

BORGES, C. A formação docente em Educação Física em Quebec: saberes espaços, culturas e agentes. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO, 14., 2008. Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica de Porto Alegre, 2008. 1 CD-ROM.

BOURDONCLE, R. Autour des mots « Professionalisation, Formes et Dispositifs ». Recherche et Formation, n. 35, p. 117-132, 2000.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP nº 9/2001, 8 maio, 2001. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 8 de maio, 2001. Seção 1, p. 131. Disponível em: . Acesso em: 7 out. 2009.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP 1/2002 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 9 abr. 2002a. Seção 1.

BRASIL. Presidência da República/Casa Civil. Lei nº. 11.788, de 25 de setembro de 2008. Brasília: Subchefia para Assuntos Jurídicos, 2008.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada, 2015.

CANÁRIO, R. A prática profissional na formação de professores. Inafop. Formação profissional de professores no ensino superior. Universidade de Aveiro, 2000. Disponível em: . Acesso em: 23 abr. 2012.

COLE, A.; KNOWLES, J. G. Teacher development partnership research: a focus on methods and issues. American Educational Research Journal, v. 30, n. 3, p. 473-495, 1993.

CONTRERAS, J. A Autonomia de professores. 1 ed. São Paulo: Cortez, 2002.

CYRINO, M.; SOUZA NETO, S. de. O acompanhamento de estagiários de pedagogia na escola: análise e reflexão das práticas de ensino 2015. Trabalho apresentado no GT08 – Formação de Professores. Anais da 37a Reunião Científica da ANPEd. Florianópolis, Outubro de 2015. ISSN: 2447-2808.. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2015.

CYRINO, M.; SOUZA NETO, S. de. O estágio curricular supervisionado na experiência brasileira e internacional. Revista Educação em Questão, Natal, v. 48, n. 34, p. 86-115, jan./abr. 2014. Disponível em: . Acesso em : 17 mar. 2014.

CYRINO, M. Formação inicial de professores: o compromisso do professor-colaborador e da instituição escolar no processo de estágio supervisionado. 2012. 233f. Dissertação (Mestrado em Educação)-Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2012.

CYRINO, M. Do acolhimento ao acompanhamento compartilhado: A construção colaborativa de uma proposta para o estágio curricular no curso de pedagogia. 2016. Tese (Doutorado). 345f. Programa de Pós-Graduação em Educação. Unesp – Rio Claro. 2016. Disponível em: .

DAY, C. F., Développement professionnel et pratique réflexive : finalités, processus et partenariats. Carrefours de l'éducation, v. 2 n. 12, p. 40-54, 2001.

DINIZ-PEREIRA, J. E. A prática como componente curricular na formação de professores. Educação, Santa Maria, v. 36, n. 2, p. 203-218, maio/ago. 2011.

FOERSTE, E. Parceria na formação de professores. Revista Iberoamericana de Educación, sección De los lectores, 25/04/2004, p. 1-13, 2004. Disponível em: http://www.rieoei.org/deloslectores/554Foerste.PDF. Acesso em: 12 ago. 2010.

GERVAIS, C. Pour une formation des stagiaires en concertation: le rôle des superviseurs. In: BOUTET, M.; PHARAND, J. L’Accompagnement concerté des stagiaires en enseignement. Québec: Presses de l’Université du Québec, 2008. p. 91-108.

HOLMES GROUP. Tomorrow's teachers: A report of the Holmes Group. East Lansing. Michigan: Holmes Group, 1986.

HOLMES GROUP. Tomorrow's schools of education. East Lansing, MI: The Holmes Group, 1995.

LIMA, M. S. L. Práticas de Estágio Supervisionado em formação continuada. In: ROSA, D. E. G.; SOUZA, V. C. (org.). Didática e práticas de ensino: interfaces com diferentes saberes e lugares formativos. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 243-253.

LIMA, M. S. L. Reflexões sobre o estágio/prática de ensino na formação de professores. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 8, n. 23, p. 195-205, jan./abr. 2008.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. Pesquisa em Educação: Abordagens Qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MICHAUD, C. Interaction des savoirs et des pouvoirs en formation des enseignants : une analyse de discours partenariaux. Nouveaux c@hiers de la recherche en éducation, v. 6, n. 3, p. 421-440, 1999. Disponível em: . Acesso em: 19 jul. 2014.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e Docência. São Paulo: Cortez, 2004.

SARTI, F. M. Parceria intergeracional e formação docente. Educ. Rev., Belo Horizonte, v. 25, n. 2, ago. 2009. Disponível em: . Acesso em: 24 jan. 2010.

SARTI, F. M. Relações intergeracionais e alternância na formação docente: considerações a partir de uma proposta de estágio supervisionado. Cadernos de Educação, Pelotas, n. 46, p. 83-99 set./dez. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2015.

SOUZA NETO, S.; BENITES, L. C.; IAOCHITE, R. T. A colaboração no estágio supervisionado como mediadora da relação universidade-escola e entre supervisor, estagiário e professor-colaborador. In: Congresso Internacional de Educação Física - O ensino da educação física nos ensinos básico e secundário: Educação e Formação – tendências atuais. 1. Maia, Portugal. Anais... Maia: Instituto Superior de Maia (ISMAI), 2012.

SHULMAN, L. Knowledge and teaching: foundations of a new reform. Harvard Educational Review, Cambridge, v. 57, n. 1, p. 1-22, 1987.

TARDIF, M. Princípios para guiar a aplicação dos programas de formação inicial para o ensino. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO (ENDIPE) 14., 2008. Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica de Porto Alegre, 2008. 1 CD-ROM.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.17.052.AO07

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat