A RELAÇÃO ENTRE EDUCAÇÃO E LINGUAGEM E A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO

Jayme Ferreira Bueno.

Resumo


Este artigo, que pode ser dividido em duas partes, procura primeiro relacionar a linguagem e a educação e, em seguida, o texto literário com as atividades pedagógicas, na busca da produção do conhecimento no ensino superior e em programa de pós-graduação nas áreas da Educação e de Letras. O estudo enfoca em especial um poema da literatura portuguesa, que, por suas características, integra-se ao espírito da sala de aula por tratar-se de uma “lição” poética, mas que encerra também outras lições. É um texto de um poeta-professor, António Gedeão, pseudônimo do professor-poeta Rômulo de Carvalho, que nos fala com a voz da emoção, própria da poesia, mas que nos transmite conhecimentos numa linguagem poética que soube incorporar a ela a linguagem do domínio da ciência.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. V. N. Volochínov. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução de Michel Lahud; et al. 2. ed. São Paulo, SP: Hucitec, 1981.

BARTHES, R. Elementos de semiologia. Tradução de Izidoro Blikstein.

ed. São Paulo, SP: Cultrix, 1977.

BERSTEIN, B. A estruturação do discurso pedagógico: classe, códigos e controle. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva e Luís Fernando Gonçalves Pereira. Petrópolis: Vozes, 1996.

BRAGA, R. Lição sobre a água. O Pasquim, Rio de Janeiro, n. 246 p. 26, mar. 1974.

BUENO, J. F. Aspectos da poética de Antônio Gedeão. 1979. Dissertação (Mestrado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba, 1979.

______. Educação, linguagem e produção do conhecimento. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 2, n. 4, p. 47-60, jul./dez. 2001.

CAMPOS, M. B. Piaget. Vygotsky e a educação. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2005.

CAMÕES. L. Lírica completa: prefácio e notas. Maria de Lourdes Saraiva. Lisboa: Imprensa Nacional, 1980. v. 3.

CHKLOVSKI, V. A arte como procedimento. In: EIKHENBAUM et al. Teoria da literatura: formalistas russos. Tradução de Ana Mariza Ribeiro Filipouski. et al. 2. ed. Porto Alegre: Globo, 1976. p. 39-56.

DIÁLOGO Educacional. Curitiba: Champagnat, 2000-2005.

DUBOIS, J. et al. Dicionário de lingüística. Tradução de Frederico Pessoa de Barros et al. São Paulo, SP: Cultrix, 1978.

ECO, U. Obra aberta: forma e indeterminação nas poéticas contemporâneas. Tradução de Alberto Guzik e Geraldo Gerson de Souza. São Paulo, SP: Perspectiva, 1968.

EIKHENBAUM et al. Teoria da literatura: formalistas russos. Tradução de Ana Mariza Ribeiro Filipouski et al. 2. ed. Porto Alegre: Globo, 1976.

FIORIN, J. L; SAVIOLI, F. P. Para entender o texto: leitura e redação. 16. ed. São Paulo, SP: Ática, 2002.

GEDEÃO, A. [Rómulo de Carvalho]. A poltrona e outras novelas.

Coimbra: Atlântida, 1973.

______. [Rómulo de Carvalho]. Poesias completas: 1956-1967. 5. ed. Lisboa: Portugália, 1975.

______. [Rómulo de Carvalho]. Breve Cronologia de Rómulo de Carvalho. Disponível em: . Acesso em: 09 abr. 2005.

GREIMAS, A. J. Semiótica do discurso científico: análise de um texto de Georges Dumézil. In: ______. Semiótica do discurso científico: da modalidade. Tradução de Cidmar Teodoro Pais. Rio de Janeiro, RJ: Difel, 1976.

JORNAL de Letras. O que era então para si escrever poesia? Lisboa: Artes e Idéias, n. 680, nov. 1996.

LURIA, A. R. Pensamento e linguagem: as últimas conferências de Luria. Tradução de Diana Myriam Lichtenstein e Mário Corso. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

LYONS, J. Introdução à lingüística teórica. Tradução de Rosa Virgínia Mattos e outros. São Paulo, SP: Nacional; USP. 1979.

MATTOS, G. Técnicas de redação em língua portuguesa. São Paulo, SP: FTD. [19—].

MOISÉS, M., (Org.). Literatura portuguesa moderna: guia biográfico, crítico e bibliográfico. São Paulo, SP: Cultrix, 1973.

POZO, J. I. Teorias cognitivas da aprendizagem. Tradução de Juan Acuña Llorens. 3. ed. Reimpressão. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

RONDAL, J. A. Lenguaje y educación. T raducción de la edición belga (francés) de María Asunción Pujol Amich. Barcelona: Médica, 1980. (Actualidades pedagógicas y psicológicas, 12).

SENA, J. de. A poesia de António Gedeão: esboço de análise objectiva. In: GEDEÃO, A. [Rômulo de Carvalho]. Poesias completas: 1956-1967. 5. ed. Lisboa: Portugália, 1975. p. 11-60.

SHAKESPEARE, W. Hamlet: príncipe da Dinamarca. Tradução de Carlos Alberto Nunes. 2. ed. São Paulo, SP: Melhoramentos, 1956. (Obras completas de Shakespeare, 13).

UCHÔA, K. C. Construtivismo em Vygotsky. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2005.

VIGOTSKI, L. S. Pensamento e linguagem. Tradução de Jefferson Luiz Camargo. 2. ed. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2003.

WITTGENSTEIN, L. Tractatus logico-philosophicus. Tradução de Luiz Henrique Lopes dos Santos. 2. ed. São Paulo, SP: Edusp, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v5i16.7964

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat