Diferentes olhares sobre a docência: de qual professor estamos falando?

Maiane Liana Hatschbach Ourique, João Luis Pereira Ourique

Resumo


Este trabalho visa repercutir algumas imagens de professor propagadas nos discursos atuais da educação, enfocando as expectativas e demandas que corroboram para compor diferentes figuras docentes. Por um lado, as políticas públicas valem-se de um imaginário social da profissão para associar a qualidade na educação à competência profissional docente. Por outro, os diferentes registros do cotidiano educacional brasileiro mostram a miserabilidade material e pedagógica do trabalho do professor. A partir do tensionamento entre esses dois pontos, indaga-se sobre quais concepções de racionalidade e formação respaldam os discursos normativos da docência. Ainda, essas imagens-modelo de professor conseguem enfrentar de forma efetiva as problemáticas da escola contemporânea? À luz das dimensões formativas da Teoria Crítica, este estudo dá especial atenção aos escritos de Theodor Adorno, realizando uma leitura hermenêutica do espaço configurado entre o proposto e o desenvolvido no campo da docência.  

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W. Palavras e sinais: modelos críticos 2. Trad. Maria Helena Ruschel. Petrópolis: Vozes, 1995.

ADORNO, T. W. Teoria da semicultura. Revista Educação & Sociedade, v. 17, n. 56, p. 388-411, dez. 1996.

ADORNO, T. W. Tabus acerca do magistério. In: ADORNO, T. W. Educação e emancipação. Trad. Wolfgang Leo Maar. 3. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2003. p. 97-117.

ADORNO, T. W. Dialética negativa. Trad. Marco Antonio Casanova. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

BALL, S. Cidadania Global, consumo e política educacional. In: SILVA, L. H. da (Org.). A escola cidadã no contexto da globalização. Petrópolis: Vozes, 1998.

BENJAMIN, W. Experiência e pobreza. In: BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1986. p. 114-119.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP. n. 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília, DF, 9 abr. 2002. Disponível em: . Acesso em: 7 jul. 2014.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em:

. Acesso em: 4 jul. 2014.

CAMPOS, R. F. Do professor reflexivo ao professor competente: os caminhos da reforma no Brasil. In: MORAES, M. C. M.; PACHECO, J. A.; EVANGELISTA, O. (Org.). Formação de professores: perspectivas educacionais e curriculares. Porto: Porto Editora, 2003. p. 83-104.

COLL, C. S. Aprendizagem escolar e construção do conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

DUARTE, N. As pedagogias do aprender a aprender e algumas ilusões da assim chamada sociedade do conhecimento. Revista Brasileira de Educação, n. 18, p. 35-40, maio/ago. 2001.

ENS, R. T.; GISI, M. L.; EYNG, A. M. Formação de professores: possibilidades e desafios do trabalho docente na contemporaneidade. Revista Diálogo Educacional, v. 11, n. 33, p. 309-329, mai./ago. 2011.

IDEB – COMERCIAL DO GOVERNO FEDERAL (INFORMATIVO). Brasília: Ministério da Educação, 2008. (66 seg.). Disponível em: . Acesso em: 7 jul. 2014.

MAGALHÃES, J. O imaginário como origem e meta histórico-pedagógica. In: ARAÚJO, A. F.; BAPTISTA, F. P. (Coord.). Variações sobre o imaginário: domínio, teorizações, práticas hermenêuticas. Lisboa: Instituto Piaget, 2003. p. 393-407.

NÓVOA, A. Os professores na virada do milênio: do excesso dos discursos à pobreza das práticas. Educação e Pesquisa, v. 25, n. 1, p. 11-20, jan./jun. 1999.

PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artmed, 1999.

PERRENOUD, P. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artmed, 2000a.

PERRENOUD, P. A arte de construir competências. Revista Nova Escola, n. 135, p. 19-31, set. 2000b. Entrevista.

PRO DIA NASCER FELIZ. Direção e roteiro de João Jardim. Rio de Janeiro: Ravina Filmes /Fogo Azul Filmes, 2006. Documentário. 1 DVD (88 min).




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.14.042.DS08

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat