DA PRÁTICA PEDAGÓGICA DO FORMADOR DO ALFABETIZADOR, PERSPECTIVAS PARA A DIDÁTICA

Maria Sílvia Bacila Winkeler, Pura Lúcia Oliver Martins

Resumo


Este artigo apresenta perspectivas para a Didática do formador do alfabetizador a partir da sistematização de práticas produzidas por formadores de professores alfabetizadores no ensino superior. Parte do pressuposto de que a didática sistematizada na literatura da área, expressa uma prática pedagógica decorrente de determinado tipo de relação social no interior do modo de produção que a sustenta. Toma como eixo epistemológico a Didática prática defendida por Martins (2009) e os conhecimentos dela decorrentes, o que implica analisar essa prática numa relação de causalidade complexa. Desse ponto de vista, as perspectivas para a didática, apresentadas neste artigo, não são prescrições, mas indicadores de caminhos possíveis para a organização e realização da prática pedagógica na formação do professor alfabetizador. Os resultados contribuem com a prática pedagógica desse formador e vão ao encontro das perspectivas da formação do professor leitor em diferentes situações, tendo como orientação a leitura, a interpretação, a escrita e a criação de significados, gerando, por meio dessa didática, um letramento específico na formação do alfabetizador: o letramento alfabetizador. 

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVICH, F. Literatura infantil: gostosuras e bobices. 5. ed. São Paulo: Scipione, 2006.

ANDRADE, L. T. de. Professores leitores e sua formação: transformações discursivas de conhecimentos e saberes. Belo Horizonte: Ceale; Autêntica, 2007.

ANDRÉ, M. E. D. A. de. Estudo de caso em pesquisa e avaliação educacional. 3. ed. Brasília: Liber Livro, 2008.

AZAMBUJA, J. Q. de; SOUZA, M. L. R. de. Estudo de texto como técnica de ensino. In: VEIGA, I. P. A. (Org.). Técnicas de ensino: por que não? 20. ed. Campinas: Papirus, 2009.

BARBOSA, M. L. P.; CARVALHO, R. S. de. Práticas escolares em espaços-tempos contemporâneos. In: COSTA, M. V. (Org.). A educação na cultura da mídia e do consumo. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009.

BERNARDO, J. Marx crítico de Marx. Porto: Afrontamento, 1977.

CHARTIER, A.-M. Os futuros professores e a leitura. In: BATISTA, A. A. G.; GALVÃO, A. M. de O. (Org.). Leituras: práticas, impressos, letramentos. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 89-97.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em ciências sociais. Petrópolis: Vozes, 2006.

COSSON, R. Letramento literário: teoria e prática. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2009.

FERREIRO, E.; TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artmed, 1999.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Cortez, 2005.

KENSKI, V. M. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. 6. ed. Campinas: Papirus, 2010.

LAJOLO, M. Do mundo da leitura para a leitura do mundo. 6. ed. São Paulo: Ática, 2000.

MARTINS, P. L. O. A didática e as contradições da prática. 3. ed. Campinas: Papirus, 2009.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. do C. Análise textual discursiva. 2. ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2011.

PALFREY, J.; GASSER, U. Nascidos na era digital: entendendo a primeira geração de nativos digitais. Porto Alegre: Artmed, 2011.

SANTOS, A. F.; WINKELER, M. S. B. O desafio de formar alunos adolescentes em professores. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO – EDUCERE, 10., SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE REPRESENTAÇÕES SOCIAIS, SUBJETIVIDADE E EDUCAÇÃO – SIRSSE, 1., 2011, Curitiba. Anais... Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2011.

SANTOS, G. L. Formar professores para a educação mediada por tecnologias: elucidação da problemática por meio de seis investigações acadêmicas. In: SANTOS, G. L.; ANDRADE, J. B. F. de. Virtualizando a escola: migrações docentes rumo à sala de aula virtual. Brasília: Liber Livro, 2010. p. 15-28.

SILVA, M. Infoexclusão e analfabetismo digital: desafios para a educação na sociedade da informação e na cibercultura. In: FREITAS, M. T. de A. Cibercultura e formação de professores. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

SOARES, M. Travessia. Belo Horizonte: UFMG, 1981. Memorial apresentado à Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais.

STAKE, R. E. Pesquisa qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Porto Alegre: Penso, 2011.

THOMPSON, E. P. A miséria da teoria ou um planetário de erros. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2009.

ZACCUR, E. Aprendiz de modelo ou modelo de aprendiz? In: GARCIA, R. L. (Org.). A formação da professora

alfabetizadora: reflexões sobre a prática. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.5906

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat