“FISIOTERAPEUTA-PROFESSOR: PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E SABERES DOCENTES”

Marcia Maria Kulczycki, Neuza Bertoni Pinto

Resumo


O presente artigo discute a prática pedagógica dos professores que atuam no curso de Fisioterapia da PUCPR a partir dos primeiros dados obtidos na pesquisa em andamento no programa de Mestrado em Educação dessa instituição. Aborda a realidade do ensino universitário frente as novas necessidades educacionais, onde o foco do “ensino” é deslocado para a “aprendizagem”. Valendo-se de pesquisas sobre os saberes docentes, focaliza, no contexto investigado, os processos de inserção desses profissionais na segunda profissão (a docência universitária), sem a prévia fundamentação pedagógica. Destaca, na fala dos entrevistados, uma acentuada preocupação dos fisioterapeutas-professores com suas práticas pedagógicas. Tais evidências colocam novas questões em relação à natureza dos saberes docentes e às possibilidades e limites das modalidades de formação pedagógica desses profissionais. Ao reconhecer a relevância dos saberes de experiência dos professores que atuam nos cursos superiores, considera-se, entretanto, fundamental uma formação pedagógica que propicie ao professor uma reflexão crítica e contínua de sua ação docente, enquanto fator importante na construção de sua autonomia docente. Sabe-se que os novos tempos são desafiadores, levando instituições e professores a pensarem em modelos que venham corresponder às necessidades educacionais e refletirem criticamente as práticas pedagógicas até então desenvolvidas.

 


Texto completo:

PDF

Referências


BRANDÃO, D. & CREMA, R. O novo paradigma holístico. São Paulo: Summus, 1991.

CASTANHO, M. E. L. M.; CASTANHO, S. O que há de novo no ensino superior: do projeto pedagógico à prática transformadora. Campinas, São Paulo: Papirus, 2000.

CUNHA, M. I. O bom professor e sua prática. 10. ed. Campinas, São Paulo: Papirus, 2000.

CYSNEIROS, P. G. & URT, S. C. A assimilação da informática pela escola pública. (Relatório CNPq, não publicado) Recife, Projeto Educom, Centro de Educação, UFPE.

LIBÂNEO, J. C. Adeus professor, adeus professora? Novas exigências educacionais e profissão docente. São Paulo: Cortez, 1998.

MASETTO, M. Docência na universidade. Campinas, São Paulo: Papirus, 1998.

OLIVEIRA,V. B. (Org.). Informática em psicopedagogia. São Paulo: SENAC,1996.

PERRENOUD, P.; PAQUAY, L.; ALTET, M.; CHARLIER, E. (Orgs.). Formando professores profissionais: Quais estratégias? Quais competências? Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

PERRENOUD, P. Novas competências para ensinar. Porto Alegre, RS:Artes Médicas Sul, 2000.

PINTO, N. B. Revista Diálogo Educacional. Vol. 2, nº 3, jan/jun 2001. PUCPR.

THERRIEN, J. Experiência profissional e saber docente: a formação dos professores questionada. In: TARDIF, M. et al. Formação dos professores e contextos socias. Porto: RÉS – Editora Limitada, 2000, pp. 217-244.

VEIGA, I. P. A.; CASTANHO, M. E. L. M. Pedagogia universitária: a aula em foco. Campinas, São Paulo: Papirus, 2000.

VILLA, F. G. A crise do professorado: uma análise crítica. Campinas, SP: Papirus, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v3i5.4744

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat