A REVOLUÇÃO CIENTÍFICO-TÉCNICA E A UNIVERSIDADE

Alberto Noe

Resumo


O trabalho analisa o processo de globalização, a implantação do modelo neoliberal e o impacto da Revolução Científico-Técnica da Universidade Pública. Examina as diferenças que estes modelos produzem nos países do capitalismo avançado e no terceiro mundo. A hipótese compreende as transformações mundiais, as quais colocam o conhecimento como fator principal da competitividade entre os países no final do século XX.

 


Texto completo:

PDF

Referências


BRUNNER, José Joaquín. Educación superior en América Latina. Cambios y desafíos. Santiago de Chile, Fondo de Cultura Econômica, 1990.

CHAUI, Marilena. De alianças, atrasos e intelectuais. São Paulo: Caderno Mais, Folha de São Paulo, 1994.

GARCIA CANCLINI, Néstor. Consumidores y ciudadanos. Conflictos multiculturales de la globalización. México, Grijalbo, 1995.

IANNI, Octavio. Teorias da Globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996.

NIDELCOFF, Maria Teresa. Uma escola para o povo. São Paulo: Brasiliense, 1978.

PUIGROSS, Adriana. Universidad, proyecto generacional y el imaginário pedagógico. Buenos Aires, Piados, 1993.

RODRIGUEZ ARAUJO, Octavio. Neoliberalismo, crisis y universidades em México. Caracas, Nueva sociedad, 107:145-153, 1990.

TEDESCO, Juan Carlos. Educación y sociedad en América Latina. Buenos Aires, Tesis/Norma, 1993.

TORRES, Carlos. La educación superior en América Latina. Curriculum Universitario Siglo XXI. Facultad de Ciencias de la Educación. Universidad Nacional de Entre Rios, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v3i5.4738

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat