O professor formador e as relações com os seus saberes profissionais

Rosane Santana Junckes, Marli Eliza Dalmazo Afonso de André

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar uma pesquisa realizada com professores formadores de uma universidade no Sul do Brasil que buscou investigar a relação que os professores formadores estabelecem com os seus saberes profissionais nos cursos de licenciatura. Tem como base teórica os estudos desenvolvidos por Marin e Giovanni (2007), Roldão(2007), Charlot (2000, 2001, 2005), Pimenta et al. (2005), Marques (2003), Tardif (2002),André (2001), Gómez (2001), entre outros, que pesquisam a formação de professores.Os dados foram coletados por meio da técnica do balanço do saber e de entrevistas recorrentes com professores formadores de diferentes áreas do conhecimento dos cursos de licenciatura de uma universidade da região Sul do Brasil. Cumpre destacar que a técnica do balanço do saber é utilizada pela equipe ESCOL na França que foi coordenada por Charlot, assim como por pesquisadores brasileiros entre eles Dieb (2007) e Lomônaco (2002).Os dados revelam que as relações que os professores formadores estabelecem relações conflituosas com os saberes específicos e pedagógicos, que geram pontos de encontros e desencontros entre a teoria e a prática pedagógica e têm implicações na concepção de professor pesquisador/reflexivo. O estudo também revela que os professores formadores encontram-se ansiosos e decepcionados frente à deteriorização da imagem e do status social da profissão docente, o que os leva ao isolamento e, em alguns casos, à frustração profissional. 

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRE, M. E. D. A. de. (Org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. Campinas: Papirus, 2001.

CHARLOT, B. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Tradução de Bruno Magne. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

CHARLOT, B. (Org.). Os jovens e o saber perspectivas mundiais. Tradução de Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2001.

CHARLOT, B. Relação com o saber, formação dos professores e globalização: questões para educação hoje. Porto Alegre: Artmed, 2005.

GÓMEZ, A. I. Pérez. A cultura escolar na sociedade neoliberal. Porto Alegre: Artmed, 2001.

DIEB, M. H. Móbeis, sentidos e saberes: o professor da Educação Infantil e sua relação com o saber. Tese (Doutorado em Educação) –universidade Federal do Ceará, Faculdade de Educação, Fortaleza, 2007.

MARIN, A. J.; GIOVANNI, L. M. Expressão escrita de concluintes de curso universitário para formar professores. Cadernos de Pesquisa, v. 37, p. 15-41, 2007.

MARQUES, M. O. Formação do profissional da educação. 4. ed. Ijuí: Ed.

UNIJUÍ, 2003.

PIMENTA, S. G. et al. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

ROLDÃO, M. do C. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 34, p. 94-103, 2007.

SACRISTÁN, J. G. Consciência e ação sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor. Porto: Porto Editora, 1995.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes,




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.6098

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat