O lugar e a forma tomada pela disciplina História da Educação nos currículos de formação de professores (1927-1971)

Geraldo Gonçalves de Lima, Décio Gatti Júnior

Resumo


Trata-se da análise do processo de surgimento e de consolidação da disciplina História da Educação no currículo da Escola Normal brasileira, com exame particular da situação vivenciada em Minas Gerais, no intervalo compreendido entre a Reforma Francisco Campos (1927/1928), estadual, e a Reforma de 1º e 2º graus (Lei 5.692/1971), federal. Entre outras disciplinas, a História da Educação passa a integrar o curso normal por meio das reformasde Francisco Campos para atender às necessidades de sistematização da formação de professores primários. O perfil programático e as finalidades da disciplina História da Educação são demarcados na forma de decretos presidenciais que assimilam os avanços dos estudos pedagógicos e das ciências da educação sob influência dos ideais escolanovistas. A disciplina História da Educação atende não apenas à formação conteudista, mas também às questões metodológicas de ensino. Na década de 1940, sob a influência das medidas adotadas por Gustavo Capanema, são publicadas as Leis Orgânicas do Ensino. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação 4.024/1961 somente será promulgada após um longo período de discussão sobre o seu anteprojeto, marcado pelas controvérsias entre grupos oponentes, sobretudo aqueles ligados aos movimentos pela escolarização pública, assim como os representantes da iniciativa privada, destacadamente os católicos. As reformas educacionais, durante o período do Regime Militar, transformam o 2º grau em habilitações profissionalizantes obrigatórias, inclusive a formação de professores voltadospara a atuação nos níveis iniciais da escolarização, sendo então criada, entre outras, a “Habilitação Específica para o Magistério” (Lei 5.692/1971). 

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL (1946). Decreto-Lei n. 8.530/46. Lei Orgânica do Ensino Normal.

Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2010.

BRASIL. Lei n. 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 27 dez. 1961. p. 11429. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2010.

BRASIL. Lei n. 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa diretrizes e bases para o ensino de primeiro e segundo graus, e da outras providencias. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 12 ago. 1971. p. 6377. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2010.

FREITAG, B. Escola, estado e sociedade. 5. ed. São Paulo: Moraes, 1984.

MINAS GERAIS (1926). Lei 926/26. In: MOURÃO, P. K. C. O ensino em Minas Gerais no tempo da República (1889 – 1930). Belo Horizonte: Edição do Centro Regional de Pesquisas Educacionais de Minas Gerais, 1962.

MINAS GERAIS (1928). Decreto 8.162/28. In: MOURÃO, P. K. C. O ensino em Minas Gerais no tempo da República (1889 – 1930). Belo Horizonte: Edição do Centro Regional de Pesquisas Educacionais de Minas Gerais, 1962.

MINAS GERAIS (1928). Decreto 8.225/28. Legislação mineira. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2011.

MINAS GERAIS (1933). Decreto 10.896/33. Legislação mineira. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2011.

MOURÃO, P. K. C. O ensino em Minas Gerais no tempo da República (1889- 1930). Belo Horizonte: Edição do Centro Regional de Pesquisas Educacionais de Minas Gerais, 1962.

ROMANELLI, O. de O. História da educação no Brasil (1930-1973). 18. ed. Petrópolis: Vozes, 1996.

TANURI, L. M. História da formação de professores. Revista Brasileira de

Educação, n. 14, p. 61-88, mai./ago. 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v11i34.4492

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat