REALIDADE DO PROFESSOR SUBSTI TUTO NASUNIVERSIDADES DA REGIÃO SUL DO BRASIL: CONTRIBUIÇÕES PARA A QUALIDADE DO TRABALHO DOCENTE

Daniela da Silva Aimi, Silvia Maria de Aguiar Isaia

Resumo


Este estudo insere-se na Linha de Pesquisa 1: Formação, saberes e desenvolvimento profissional do Programa da Pós-graduação em Educação da UFSM. O trabalho apresentado teve como objetivo conhecer a realidade do professor substituto nas Instituições de Ensino Superior Federais do Sul do Brasil, analisando as possíveis contribuições para a qualidade do trabalho docente. A abordagem metodológica utilizada para a realização deste estudo foi quanti/qualitativa, considerando que a sua utilização possibilitou o desenvolvimento de diferentes estratégias para a análise dos dados, sejam elas assentadas em princípios de análise de narrativas, seja em procedimentos estatísticos. Participaram da primeira fase todos os professores substitutos contratados durante os anos de 2006 a 2008 das Instituições de Ensino Superior Federais do Sul do Brasil e na segunda, quarenta e cinco (45) professores distribuídos dentro das seis (6) instituições pesquisadas. Das análises precedentes, surgiu uma constatação geral: esses docentes estão se construindo como docentes em dinâmicas relacionais, conseguindo produzir conhecimentos, dentro das relações, muitas vezes tensas, construídas dentro das instituições. Em suma, o professor substituto, constrói-se como docente a partir dessa experiência e as bases para essa construção não é somente a intelectual, mas também a partir de sua história de vida, constituída de aspectos emocionais, afetivos, pessoais e interpessoais. Desse modo, convém ultrapassar a visão professor/objeto, pois ele não é apenas um sujeito que se coloca dentro de uma instituição em uma relação estrita de conhecimento, que processa informações e a “repassa” aos seus alunos.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei n. 8.745, de 9 de dezembro de 1993. Dispõe sobre a contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público, nos termos do inciso IX do art. 37 da Constituição Federal, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 12 dez. 1993. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2007.

CUNHA, M. I. da. Trabalho docente e ensino superior. In: RAYS, O. A. (Org.). Trabalho pedagógico: realidades e perspectivas. Porto Alegre: Sulina, 1989. p. 99-115.

ERIKSON, E. El ciclo vital completado. Buenos Aires: Paidós, 1985.

HUBERMAN, M. La vie des enseignants. Évolution et bilan d’une profession. Paris; Neuchâtel: Delachaux ET Niestlé, 1989.

ISAIA, S. M. de A. Professor universitário no contexto de suas trajetórias como pessoa e profissional. In: MOROSINI, M. (Org.). Professor do ensino superior: identidade, docência e formação. 2. ed. Brasília: Plano, 2001. p. 35-60.

ISAIA, S. M. de A. O professor de licenciatura, desafios para a sua formação. In: SILVA, D; POLENZ, T. (Org.). Educação e contemporaneidade. Mudança de paradigma na ação formadora da universidade. Canoas: Ed. ULBRA, 2002. p. 143-162.

ISAIA, S. M. de A. Desafios à docência superior: pressupostos a considerar. In: RISTOFF, D.; SEVIGNANI, P. (Org.). Docência na educação superior. Brasília: Inep; MEC, 2006a. p. 63-84.

ISAIA, S. M. de A. Verbetes. In: CUNHA, M. I.; ISAIA, S. M. (Org.). Professor da Educação Superior. In: MOROSINI, M, C. (Org.). Enciclopédia de pedagogia universitária: glossário vol. 2. Santa Maria: INEP, 2006b. p. 373.

ISAIA, S. M. de A.; BOLZAN, D. P. V. Trajetórias da docência: articulando estudos sobre os processos formativos e a aprendizagem de ser professor. In: ISAIA, S. M. de A.; BOLZAN, D. P. V. (Org.). Pedagogia universitária e desenvolvimento profissional docente. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009. p. 121-144.

KOEHLER, S. E. A trajetória institucional/docente do professor substituto da UFSM. 2006. 160 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2006.

PIMENTA, S. G.; ANASTASIOU, L. G. C. Docência no ensino superior. São Paulo: Cortez, 2002.

REDE SULBRASILEIRA DE INVESTIGADORES DA EDUCAÇÃO SUPERIOR –RIES. Indicadores de qualidade para a educação superior brasileira. Porto Alegre: Núcleo de Excelência em Ciência, Tecnologia & Inovação em Educação. CNPq/FAPERGS, 2006.

RIEGEL, K. Foundations of dialectical Psychology. New York: Academic Press, 1979.

TARDIF, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Rio de Janeiro: PUC, 2000.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Rio de Janeiro: Vozes, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v11i32.4126

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat