MATURIDADE ÉTICA E IDENTIDADE MORAL: a construção na prática pedagógica

Maria Judith Sucupira da Costa Lins

Resumo


Este artigo focaliza o problema de educar uma pessoa para a Maturidade Ética e a Identidade Moral. Maturidade Ética diz respeito ao ponto em que uma pessoa pode entender valores e agir de acordo com estes. Identidade Moral define uma pessoa que sabe quem ele ou ela é e que age de acordo com esta consciência. Maturidade Ética e Identidade Moral não são dons naturais e devem ser desenvolvidos por meio da Educação. Escolas devem refletir sobre programas de Educação Moral no currículo dos alunos com a finalidade de lhes oferecer a oportunidade de construir estas duas categorias. Pode ser dito que há Identidade Moral quando uma pessoa rege sua vida sobre valores morais. Identidade Moral revela que uma pessoa desenvolveu a maturidade ética.

Texto completo:

PDF

Referências


ANATRELLA, T. Interminables adolescences, les 12-30 ans. Paris: Ethique & Société – Cerf/Cujas, 1991.

ANDERSON, D. Decadence: the passing of personal virtue and its replacement by political and psychological slogans, the social affairs unit. London: Crowley Esmond, 2005.

AQUINO, T. Textes sur la morale. Paris: Librairie Philosophique, 1998.

ARISTÓTELES. Étique à nicomaque. Paris: Flammarion, 1965.

BARS, H. Sujet et subjectivité selon Jacques Maritain. Les Études Philosophiques, Paris, p. 31-46, janv./mars 1975.

ERIKSON, E. H. Identidade, juventude e crise. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1972.

______. O ciclo de vida completo. Tradução de Maria Adriana Veronese. Porto Alegre: Artmed, 1998.

GIUSSANI, L. Il rischio educativo. Torino: Società Editrice Internazionale, 1995.

HALLPIKE, C. R. The evolution of moral understanding. Alton: Prometeus Research Group, 2004.

HAVIGHURST, R. O desenvolvimento da personalidade moral. Educação e Ciências Sociais, São Paulo, n. 8, p. 11-129, 1958.

HART, D. The development of moral identity. In: NEBRASKA SYMPOSIUM ON MOTIVATION GENDER AND MOTIVATION, 45., 1997. Nebraska. Proceedings... Nebraska: University of Nebraska Press, 1997. p. 165-196.

HUDE, H. Éthique et politique. France: Universitaires France, 1992.

INHELDER, B; PIAGET, J. Da lógica da criança à lógica do adolescente. Tradução e Dante Moreira Leite. São Paulo: Pioneira, 1976.

LACOMBE, O. J. M. et al. Philosophie de l’être. Les Etudes Philosophiques, Paris, p. 69-78, 1975.

LINS, M. J. S. C. Educação e contemporaneidade: educação Moral na encruzilhada. Revista da FAEEBA, Salvador, ano 8, n. 12, p. 97-112, 1999.

______. Ética se aprende na infância. Cátedra, Rio de Janeiro, p. 3, 08 fev. 2004. Caderno 14.

MACINTYRE, A. After virtue. 2nd ed. Indiana: University Notre Dame Press, 1984.

______. Dependent rational animals why human beings need the virtues. Chicago: Open Court, 1999.

MCDONOUGH, G. P. Moral maturity and autonomy: appreciating the significance of lawrence kolhberg’s just community. Journal of Moral Education, v. 34, n. 2, p. 199-213, 2005.

MARITAIN, J. Rumos da educação. Rio de Janeiro: Agir, 1959.

______. Introdução geral à filosofia. Rio de Janeiro: Agir, 1968.

______. Neuf leçons sur les notions premières de la Philosophie Morale. Paris: Chez Pierre Tequi, 1951.

MARITAIN, R. As grandes amizades. Rio de Janeiro: Agir, 1954.

MUUS, R. Teorias da adolescência. 3. ed. Belo Horizonte: Interlivros, 1973.

PFROMM NETTO, S. Psicologia da adolescência. São Paulo: Pioneira; Brasília: MEC, 1976.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v9i28.3355

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat