CONFLITOS, SENTIMENTOS E VIOLÊNCIA ESCOLAR

Lúcia Salete Celich Dani

Resumo


Este artigo apresenta reflexões sobre a temática violência escolar seus conflitos e sentimentos. As informações para este texto foram coletadas durante o desenvolvimento da segunda etapa do projeto de pesquisa intitulado “Os conflitos e os sentimentos presentes na relação pedagógica e seus entrelaçamentos na construção da personalidade moral”. Nessa etapa, a pesquisa teve como objetivos identificar quais os sentimentos que afloraram nas situações de conflitos presentes na relação pedagógica e quais as significações que foram construídas pelas crianças envolvidas em tais situações, buscando compreender como esses elementos atuam na construção da personalidade moral autônoma (PUIG, 1998). Para tanto, o foco central dessa investigação direcionou-se para um estudo de caso de uma turma dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental de uma escola da rede pública municipal da cidade de Santa Maria – RS, composta por 26 alunos com faixa etária entre 9 e 14 anos e a professora regente. Num período de três meses realizamos observações e atividades nas quais as crianças teriam de expressar seus sentimentos em relação às situações de conflitos. As observações realizadas foram caracterizadas ISSN 1518-3483 Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 9, n. 28, p. 571-586, set./dez. 2009 Licenciado sob uma Licença Creative Commons 572 DANI, L. S. C. como observações do tipo mais formal (WITTROCK, 1989) através de um sistema aberto (WITTROCK, 1989) e, registradas em um diário de campo. As atividades escolhidas foram: dinâmica de grupo e entrevista grupal, tendo como elemento motivador gravuras referentes ao ambiente escolar. Os resultados apontaram para a ideia de que a convivência baseada no conceito de agrupamento (CORTELLA; DE LA TAILLE, 2005) favorece a construção de significações que legitimam a violência nas relações interpessoais escolares.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, M. E. D. A. de. Etnologia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995.

CORTELLA, M. S.; DE LA TAILLE, Y. Nos labirintos da moral. Campinas: Papirus, 2005.

DANI, L. S. C. A relação pedagógica e suas imbricações na construção da personalidade moral. 2003. 228 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2003.

FANTE, C. Fenômeno bullying: como prevenir a violência nas escolas e educar para a paz. 2. ed. Campinas: Verus, 2005.

FERNÁNDEZ, A. A mulher escondida na professora: uma leitura psicopedagógica do ser mulher da corporalidade e da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

GOETZ, J. P.; Le COMPTE, M. D. Etnografia y diseño cualitativo em investigación educativa. Madrid: Morata, 1988.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. de. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MACEDO, L. Ensaios construtivistas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1994.

MORAIS, R. de. Violência e educação. Campinas: Papirus, 1995.

PUIG, J. M. A construção da personalidade moral. São Paulo: Ática, 1998.

______. Aprender a viver. In: ARANTES, V. A. (Org.). Educação e valores: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2007. p. 65-106.

SASTRE, G.; MORENO, M. Resolução de conflitos e aprendizagem emocional: gênero e transversalidade. São Paulo: Moderna, 2002.

______. Conflitos e emoções: uma aprendizagem necessária. In: VINYAMATA, E. (Org.). Aprender a partir do conflito: conflitologia e educação. Porto Alegre: Artmed, 2005.

TOGNETTA, L. R. P. A construção da solidariedade e a educação do sentimento na escola: uma proposta de trabalho com as virtudes numa visão construtivista. Campinas: Mercado de Letras; São Paulo: Fapesp, 2003.

______. Violência na escola: os sinais de bullying e o olhar necessário aos sentimentos. In: PONTES, A.; LIMA, V. S. de (Org.). Construindo saberes em educação. Porto Alegre: Zouk, 2005. p. 11-32.

WITTROCK, M. C. La investigación de la enseñanza, II: métodos cualitativos y de observación. Madrid: Paidós, 1989.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v9i28.3334

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat