O MOVIMENTO PARANAENSE DE MATEMÁTICA MODERNA: O PAPEL DO NEDEM

Neuza Bertoni Pinto, Ana Célia Costa Ferreira

Resumo


No final da década de 50, o impacto produzido pelo lançamento do Sputnik preocupou não somente o governo americano, mas também educadores de várias partes do mundo envolvidos com a formação científica da população. O êxito científico e tecnológico alcançado pelos russos ampliou a preocupação de vários países com a educação matemática oferecida à população, gerando um movimento internacional de reformulação do ensino de Matemática, conhecido como Movimento da Matemática Moderna, uma tentativa que nos anos 60 e 70 procurava superar o ensino tradicional que até a década de 50 privilegiava a matemática clássica, o modelo euclidiano, a visão platônica. No Brasil, esse movimento foi liderado pelo grupo paulista – GEEM - coordenado por Oswaldo Sangiorgi, incentivando a criação de grupos de estudos em vários estados com vistas à modernização da Matemática ensinada no ensino primário e ginasial (hoje Ensino Fundamental). No Paraná, o disseminador do Movimento da Matemática Moderna foi o NEDEM – Núcleo de Estudos e Difusão do Ensino da Matemática – criado e coordenado por Osny Antonio Dacol, diretor do Colégio Estadual do Paraná. Trabalhando inicialmente com classes experimentais no maior colégio do estado, o NEDEM elaborou sua proposta de Matemática Moderna que, posteriormente, foi publicada em duas coleções de livros didáticos que passaram a ser adotadas pelas escolas paranaenses durante mais de duas décadas. Tais iniciativas marcaram significativamente o ensino de Matemática no Paraná. A repercussão do movimento teve seu auge na década de 60 e no final de 1970 e mesmo com a extinção do grupo, as sementes plantadas pelos integrantes do NEDEM deixaram marcas na história da educação matemática paranaense, especialmente pelo intenso e democrático trabalho de difusão do movimento no ensino público do Paraná.

Texto completo:

PDF

Referências


BURIGO, Elizabete Zardo. Matemática moderna: progresso e democracia na visão de educadores brasileiros nos anos 60. Revista Teoria&Educação, Porto Alegre, n. 2, p. 225-265, 1990.

CONGRESSO BRASILEIRO DO ENSINO DE MATEMÁTICA, 5.,1996. Anais... São José dos Campos: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA, 1966.

NEDEM, Núcleo de Estudo e Difusão do Ensino da Matemática. Ensino

Moderno da Matemática. São Paulo,SP: Editora do Brasil, 1969. 3 v.

NEDEM. Núcleo de Estudo e Difusão do Ensino da Matemática. Ensino

Moderno da Matemática. São Paulo,SP: Editora do Brasil, 1971. 4. v.

PESSANHA, Eurize Caldas; DANIEL, Maria Emília Borges; MENEGAZZO, Maria Adélia. Da história das disciplinas escolares à história da cultura escolar: uma trajetória de pesquisa. Revista Brasileira de Educação, n. 27, 2004.

Entrevistados

ARRUDA, Henrieta M. Ex- professora do Grupo Tiradentes e integrante

do NEDEM, autora da coleção do primário.

DACOL, Osny Antonio. Ex-professor, coordenador de Matemática do

Colégio Estadual do Paraná, coordenador do Grupo NEDEM, autor e coordenador da coleção “Ensino Moderno da Matemática”.

MARTINS, Maria Antonieta M. Ex-professora de Matemática do Colégio

Estadual do Paraná, integrante do NEDEM e colaboradora do 4º Volume da Coleção “Ensino Moderno da Matemática”.

Documentos

DOC. 1: UM PROGRAMA MODERNO DE MATEMÁTICA PARA O

CURSO SECUNDÁRIO.

DOC. 2: PLANO DE CURSO I.

DOC. 3: NOTAS FISCAIS DE COMPRA DE LIVROS

DOC. 4: OFÍCIO DE CONVOCAÇÃO.

DOC. 5: APOSTILA DE LÓGICA MATEMÁTICA.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v6i18.3328

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat