A FUNÇÃO SOCIAL DO PROFESSOR: ASPECTOS HISTÓRICOS

Maria Elisabeth Blanck Miguel

Resumo


No Brasil, historicamente o professor aparece como alguém a serviço do governo e mais tarde, quando se organiza o Estado1 brasileiro (após a Independência) como seu funcionário. No entanto, é a partir deste século quando nasce a industrialização no Brasil e modificam-se as relações de produção, que a escola (e conseqüentemente o trabalho do professor) passa a ser sentida pela população como instituição social necessária. Por que seriam tão necessários a escola e o trabalho do professor? Porque o professor transmitia as técnicas de domínio da leitura e da escrita e ainda mais, os conhecimentos necessários para que os alunos ingressassem no trabalho industrial e comercial. Isto era percebido pela população como possibilidade de participar da produção e do comércio concorrendo a melhores salários e tendo acesso a melhores formas de vida social. 

Texto completo:

PDF

Referências


COSTA, Maria José Franco Ferreira da. Lysímaco Ferreira da Costa (a dimensão de um homem) Curitiba: UFPR, 1987.

IANNI, Octávio. Estado e capitalismo. São Paulo: Brasiliense, 1989.

MARCOVITCH, Jacques. Valores universitários, In: Tendências e debates. Folha de São Paulo, São Paulo, 9/3/1999, cad. 1, p.3.

MIGUEL, Maria Elisabeth Blanck. A formação social do professor e a organização social do trabalho. Curitiba, Ed. da UFPR, 1997.

PARANÁ. Decreto n.º 8.862 de 17 de nov. de 1949. Aprova os programas dos Cursos Normais Regionais. Diário Oficial de 24 jan. 1950.

PARANÁ. Relatório apresentado ao Secretário Geral de Estado pelo Professor César Pietro Martinez, Inspetor Geral de Ensino, 1921, Curitiba: Tip. da Penitenciária do Estado.

WACHOWICZ, Lilian Anna. Relação professor-estado no Paraná tradicional. São Paulo: Cortez, 1984.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v1i1.3190

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat