A CIÊNCIA NA MODERNIDADE PARA JÜRGEM HABERMAS

Lindomar Bonetti, Karine Pagliosa Scherer

Resumo


Este texto tem como desafio entrar nas particularidades da argumentação desenvolvida por Habermas para resgatar a capacidade reflexiva e crítica da razão humana, bem como identificar possíveis contribuições deste autor para fundamentar uma proposta de racionalidade. Particularmente, o desafio deste texto é o de encontrar em Habermas elementos que podem justificar a necessidade (e a possibilidade) de se construir uma fundamentação para repensar o papel da razão, justamente em tempos em que se prega a sua desconstrução, o fim do princípio da universalidade do conhecimento e do neopragmatismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAGÃO, LUCIA. Razão comunicativa e Teoria Social Crítica em Jürgen

Habermas. Rio de Janeiro,RJ: Tempo Brasileiro,1992.

ARAÙJO, Luiz. Religião e modernidade em Habermas. São Paulo,SP: Loyola, 1996.

ARAÙJO, INÊS. Introdução a filosofia da ciência.Curitiba: Ed. UFPR, 2003.

HABERMAS, J. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro,RJ:

Tempo brasileiro,1989.

HABERMAS, J. O futuro da natureza humana. São Paulo,SP: Martins Fontes, 2004.

HABERMAS, J. O discurso filosófico da modernidade. Lisboa: Publicações

Dom Quixote, 2000.

HABERMAS, J. Técnica e ciência como ideologia. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1968.

HEGEL, F. Fenomenologia do espírito. Rio de Janeiro,RJ: Petrópolis, 2003.

HEGEL, F. Introdução à história da filosofia. Tradução de Heloisa da Graça Burati. São Paulo,SP: [S. n.], 2005.

MARCUSE, Herbert. Materialismo histórico e existência. Tradução de

Vamireh Chacon. Rio de Janeiro,RJ: GB, 1968.

MAX, W. O político e o cientista. Tradução de Carlos Grifo. Lisboa:

Presença,1973.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v6i19.3127

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat