Profissão docente e a formação dos formadores: relações entre a universidade e a educação básica

Ana Lara Casagrande, Joyce Mary Adam

Resumo


Este trabalho apresenta resultados oriundos da tese intitulada “Gestão pública da educação paulista: a carreira docente e o novo Ensino Médio”, desenvolvida no âmbito da UNESP/Rio Claro, que envolveu um estudo sobre a carreira docente e a reconfiguração da mesma no projeto Escola Estadual de Ensino Médio de Período Integral, desenvolvido no Estado de São Paulo. O objetivo deste artigo é pensar a profissão docente tanto do ponto de vista do campo universitário quanto do contexto relativo à educação básica, para isso, discute-se por meio do levantamento e de análise bibliográfica: a questão dos saberes dominados pelos professores; a formação inicial; a formação em outro(s) espaço(s) que não o das universidades, centros universitários e faculdades, problematizando a proliferação de cursos que especificamente se prestam à finalidade da formação contínua. Nesse sentido, há questões centrais a serem consideradas: o que se pode entender por saberes docentes? A formação inicial e continuada dos docentes é fundamental para sua prática? Uma formação pela prática é possível? Os resultados obtidos indicam avanços nos estudos sobre a expertise docente e problemas relacionados ao lucrativo discurso da formação continuada. Elementos que devem ser ainda mais debatidos em função das perspectivas futuras da formação e da própria carreira do magistério.

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, M. G. Condição docente, trabalho e formação. In: SOUZA, J. V. A. (Org.). Formação de professores para educação básica : dez anos de LDB. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 191-209.

CORREA, B. C. Educação infantil. In: Romualdo Portela de Oliveira e Theresa Adrião. (Org.). Organização do ensino no Brasil - níveis e modalidades na Constituição Federal e na LDB. 2ª ed. São Paulo: Xamã, 2007, p. 13-30.

CUNHA, M. I. O lugar da formação do professor universitário: o espaço da pós-graduação em educação em questão. Revista Diálogo Educacional , Curitiba, v. 9, n. 26, p. 81-90, jan./abr. 2009.

CUNHA, M. I. Trajetórias e lugares da formação da docência universitária: da perspectiva individual ao espaço institucional. Araraquara: Junqueira e Marin Editores, 2010.

ESTEVE, J. M. O Mal-Estar Docente . Lisboa: Escher / Fim de Século Edições, 1992.

FIDALGO, F. S. Trabalho e carreira docente: contribuições teórico-metodológicas. Trabalho & Educação, p. 94-109, 1996.

FREIDSON, E. Renascimento do profissionalismo. Trad. Celso Mauro Paciornik. São Paulo: Editora USP, 1998.

HOLMES GROUP. Tomorrow´s Teachers : a Report of the Holmes Group. East Lansing, MI: The Holmes Group, 1995.

LAKATOS, M. E.; MARCONI, M. de A. Metodologia do Trabalho Científico. 4 ed. São Paulo, Revista e Ampliada , Atlas, 1992.

LAPO, F. R.; BUENO, B. O. O abandono do magistério: vínculos e rupturas com o trabalho docente. Psicologia USP , v. 13, n. 2, p. 243-276, 2002.

LIMA, T. C. S. de; MIOTO, R. C. T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Rev. Katál . Florianópolis v. 10, n. esp., p. 37-45, 2007.

MELLO, G. N. Magistério de 1º Grau : da competência técnica ao compromisso político. São Paulo: Cortez, 1982.

NÓVOA, A. Os professores na virada do milênio: do excesso dos discursos à pobreza

das práticas. Educação e Pesquisa , São Paulo, v. 25, n. 1, p. 11-20, jan./jun. 1999.

NÓVOA, A. O Regresso dos Professores . Pinhais: Melo, 2011.

SALVADOR, A. D. Métodos e técnicas de pesquisa bibliográfica . Porto Alegre: Sulina, 1986.

SOUZA, D. T. R. de. Formação continuada de professores e fracasso escolar: problematizando o argumento da incompetência. Educação e Pesquisa , São Paulo, v. 32, n. 3, dez. 2006.

SCHWARTZMAN, S. A universidade primeira do Brasil: entre intelligentsia, padrão internacional e inclusão social. Estudos Avançados [online]. 2006, v. 20, n. 56, p. 161-189. ISSN 0103-4014. Disponível em . Acesso em 29 abr. 2016.

TARDIF, M. Saberes Profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação , Rio de Janeiro, n. 13, jan/fev/mar/abr, p. 5-24, 2000.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional . 10 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

TARDIF, M. A profissionalização do ensino passados trinta anos: dois passos para a frente, três para trás. Revista Educ. Soc. , Campinas, v. 34, n. 123, p. 551-571, abr.-jun. 2013.

TARDIF, M.; LESSARD, C.; LAHAYE, L. Os Professores face ao Saber: esboço de uma problemática do saber docente. In: Teoria e Educação . v. 4, 1991.

ZEICHNER, K. A formação reflexiva de professores : idéias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.16.050.DS08

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat