Os clássicos na formação docente: reflexões acerca do PNE (2014)

Terezinha Oliveira, Rafael Henrique Santin

Resumo


O artigo que apresentamos traz para o debate as metas do novo Plano Nacional de Educação (PNE), que tratam da formação de professores analisado à luz de dois clássicos do pensamento medieval,: João de Salsbury (século XII) e Boaventura de Bagnoregio (século XIII). Não pretendemos, com isso, afirmar que os escritos desses dois pensadores da Idade Média são capazes, por si, de nos fazer entender o PNE e influenciar diretamente o encaminhamento a ser dado para a educação no presente, como se o presente pudesse ser entendido a partir dos pressupostos do passado. Todavia, uma reflexão a partir de uma experiência do passado pode nos proporcionar importantes lições para compreendermos melhor o que significa educação de excelência. Para isso, partimos dos princípios teórico-metodológicos da História uma experiência do passado pode nos proporcionar importantes lições para compreendermos melhor o que significa educação de excelência. Para isso, partimos dos princípios teórico-metodológicos da História Social, que assevera ser o homem no tempo o objeto próprio da história como ciência.keywords: História da Educação Medieval. Plano Nacional de Educação. João de Salsbury. Boaventura de Bagnoregio. 

Texto completo:

PDF

Referências


BLOCH, M. L. B. Apologia da história, ou, O ofício de historiador. Rio de Janeiro:Jorge Zahar , 2001.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de educação - PNE e dá outras providências. Disponível em:

CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm>. Acesso em 30 out. 2014.

GILSON, E. A filosofia na Idade Média. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

GUIZOT, F. História da Civilização na Europa. Lisboa: Livraria, Editora, Officinas Typographicas e de Encadernação, 1907.

JOÃO DE SALSBURY. Polycraticus. In: DE BONI, L. A. de. Filosofia Medieval: textos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2000. p. 137-146.

LE GOFF, J. Uma longa Idade Média. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

LE GOFF, J. Os intelectuais na Idade Média. Rio de Janeiro: José Olympio, 2010.

NIETZSCHE, F. W. Segunda consideração intempestiva: da utilidade e desvantagens da história para a vida. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003. (Conexões; 20).

OLIVEIRA, T. Guizot e a Idade Média: civilização e lutas políticas. 1997. Tese (Doutorado em História) — Unesp, Assis, 1997 .

OLIVEIRA, T. Escolástica. São Paulo: Mandruvá, 2005.

SÃO BOAVENTURA. A perfeição da vida. In: _______. Obras escolhidas. Porto Alegre: Escola Superior de Teologia São Lourenço de Brindes, Liv. Sulina; Caxias do Sul: Editora da Universidade de Caxias do Sul, 1983.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.15.046.DS3

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat