Revista Acadêmica Ciência Animal

 

A Revista Acadêmica Ciência Animal é uma publicação de fluxo contínuo vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal (PPGCA) da PUCPR, cujo objetivo pauta-se na divulgação de trabalhos originais de pesquisa destinados à área de Ciência Animal (Medicina Veterinária, Zootecnia, Ciência e Tecnologia de Alimentos de Origem Animal).

A revista adota o sistema de revisão por pares (peer review) e não cobra taxa de submissão ou publicação.

ISSN anterior: 1981-4178

Informamos que a classificação QUALIS Quadriênio 2013 da Revista Acadêmica Ciência Animal foi B4 na área de Medicina Veterinária e que o comitê de avaliação da CAPES fará a correção no sistema.

 

v. 18 (2020): n. cont.


edição 2020 já está disponível e as submissões estão abertas o ano todo.

As modalidades de publicação estão distribuídas em artigo, comunicação curta, nota técnica, relato de caso e revisão. Para mais informações, verifique as diretrizes para autores

Para acessar as publicações de 2019 e demais edições, clique aqui.


Notícias

 

Are scientific editors reliable gatekeepers of the publication process?

 

By Richard B. Primack, Danielle Descoteaux, Vincent Devictor, Laurent Godet and Lucy Zipf, via Elsevier.



The scientific community assumes the publication process is reliable and fair, with the best papers being published only after rigorous review. Scientific editors act as “gatekeepers” in this publishing process, deciding whether a paper is even sent out for peer review, or alternatively “desk rejected”, that is returned to the author without peer review. While the review process has been extensively investigated - for example to determine reviewer consistency, and whether reviewers exhibit gender bias - as far as we know, the topic of editor consistency has never been experimentally examined. Do editors make arbitrary decisions on which papers to send out for review and which ones to desk reject? Or is there consistency in what editors decide to do?

We addressed these questions in respect of manuscripts submitted to the journal Biological Conservation, and the results of our study were recently published in the journal. We are reasonably confident, however, that the results are likely to apply to other scientific journals.

Overall, we found that editors are reasonably consistent in their decisions to send a paper out for review, or to desk reject it, and that they agreed with past decisions. However, disparities in agreement with decisions reveal the unsurprising subjectivity editors bring to the process. We are pleased that this study has demonstrated a significant degree of consistency in the peer review system in the area of editorial decision-making, but we see some room for improvement. One way in which we believe the process could be reinforced is by encouraging editors to seek the opinion of one or two additional editors before making a decision on papers that are not obvious candidates for either review or rejection. Whilst this would slow down the decision process for these papers, it seems reasonable that doing so would add an additional layer of rigor to the decision-making.


Read the full text here.

 
Publicado: 2020-01-23
 

Avaliação por pares não é apenas controle de qualidade, é parte integrante da infraestrutura social da pesquisa

 

Por Flaminio Squazzoni, via SciELO.



A avaliação por pares tem uma péssima fama nas mídias sociais e na imprensa. Digite “avaliação por pares é…” na pesquisa do Google e entre os primeiros resultados encontrados está “a avaliação por pares está falida”. Parece que a avaliação por pares é agora um dos meios mais populares através do qual a frustração acadêmica encontra uma maneira de se expressar. A hipercompetição e a cultura dominante de “publique ou pereça” (publish or perish) na academia não ajudam.

Acredito que isso também revela um profundo mal-entendido sobre o que realmente é esta instituição. Por exemplo, a visão geral é de que a avaliação por pares é um mecanismo de triagem de qualidade para os periódicos acadêmicos e é frequentemente estudada como tal. Em resumo, se os manuscritos tivessem uma qualidade objetiva intrínseca, pareceristas e editores precisariam ser suficientemente inteligentes, desinteressados e imparciais para reconhecê-la. 


No entanto, a avaliação por pares também é algo mais, se não algo completamente diferente, em primeira instância. Além de ser um dispositivo de controle de qualidade, a avaliação por pares é um esforço distribuído para reconhecer e aumentar o valor dos manuscritos e, portanto, é inerentemente “construtivo”. É simultaneamente um contexto no qual especialistas desenvolvem, adaptam e impõem padrões de julgamento, uma forma de conexão e cooperação (direta e indireta), um discurso disciplinado e mediado entre especialistas (geralmente não relacionados) em um ambiente “seguro” (embora muitas vezes desorganizado e ambíguo). E, portanto, é inerentemente “social”. Se isso for verdade, a avaliação por pares não pode ser vista como um “jogo de adivinhação” sobre a qualidade objetiva dos manuscritos. Ao contrário de uma ação, como pessoas que adivinham o peso de um boi, que tanto fascinou o cientista britânico Francis Galton no início dos anos 1900, não há peso ou valor pré-estabelecido e inequívoco que possa ser atribuído a um trabalho de pesquisa.


Continue lendo aqui.
Original in English here.

 
Publicado: 2020-01-23
 

Verificação CRediT - Devemos adotar ferramentas para diferenciar as contribuições em trabalhos acadêmicos?

 

Por Elizabeth Gadd, via SciELO.



Incluir seu nome em um artigo de periódico é o prêmio máximo para um acadêmico aspirante. Não apenas ele inclui o artigo em seu currículo (que pode literalmente ser dinheiro no banco), mas uma vez incluído, todas as citações subsequentes são acumuladas para cada coautor igualmente, independentemente da natureza de sua contribuição.

No entanto, como demonstra este tweet, ter seu nome incluído em um artigo de periódico não é o mesmo que ter (a) feito a maior parte da pesquisa e/ou (b) ter realmente escrito o artigo de periódico. E há muita frustração sobre falsas reivindicações de crédito. A autoria concedida, autoria fantasma, autoria comprada e discussões sobre a ordem dos autores em uma publicação são frequentes. Para resolver estes problemas, há orientações úteis de organizações como o International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE), a British Sociological Association e o Committee on Publication Ethics (COPE) sobre o que constitui autoria. Talvez o mais significativo seja que, em 2014, presenciamos o lançamento da Taxonomia da Função de Contribuidor CASRAI (CASRAI’s Contributor Role Taxonomy), CRediT.

O CRediT tem por objetivo garantir que todos aqueles atribuídos em um artigo sejam reconhecidos por sua contribuição. Como tal, vai um passo além da orientação e fornece uma maneira estruturada para os autores declararem suas várias contribuições. Ele lista 14 funções de contribuidor, algumas das quais você pode antecipar (redação, análise) e outras que você pode não conhecer (como, por exemplo, prover recursos de estudo e administrador de projeto). E, embora não impeça que alguém seja nomeado quando não deveria nomeado, nem garanta que todos sejam nomeados como deveriam ser nomeados, torna as omissões um pouco mais difíceis – e por isso foi altamente elogiado.

Entretanto, ainda tenho algumas perguntas sobre o CRediT.


Continue lendo aqui.
Original in English here.

 
Publicado: 2020-01-23
 

XV Encontro Regional Sul de Ciência e Tecnologia de Alimentos

 

28-29 nov 2019 - Curitiba, PR



É com grande satisfação que apresentamos o XV ERSCTA - Encontro Regional Sul de Ciência e Tecnologia de Alimentos, com o tema central "Caminhos da produção de alimentos: Biodiversidade e Inovação".

O evento foi organizado pela Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos - Regional Paraná, em parceria com a Universidade Federal do Paraná, Pontifícia Universidade Católica do Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná. O ERSCTA vem sendo organizado pela sbCTA-PR desde 1999 e tem contado com a participação de profissionais, estudantes de graduação e pós-graduação, professores, pesquisadores, empresários de vários estados brasileiros, além de representantes de países vizinhos.

A edição deste ano propiciou a exposição e discussão das mais novas tendências do mercado, nos formatos de mesas redondas, palestras e apresentação de pôsteres. A programação científica contou com áreas temáticas em Ciência, Tecnologia e Engenharia de Alimentos, como: processo e desenvolvimento de produto, qualidade dos alimentos, química e bioquímica, embalagem, métodos analíticos, microbiologia, biotecnologia, micotoxicologia, resíduo agroindustrial, meio ambiente, inovação, ensino e pesquisa.

 

ANAIS CIENTÍFICOS

 
Publicado: 2019-12-17
 

I Simpósio Internacional & III Simpósio Paranaense de Saúde Única

 

9-10 out 2019 - Curitiba, PR



A Comissão Estadual de Saúde Única (CESU) do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Paraná (CRMV-PR), junto ao ao Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), organizou o I Simpósio Internacional e III Simpósio Paranaense de Saúde Única, que ocorreu nos dias 9 e 10 de outubro na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Contando com a participação de agências especializadas das Nações Unidas (ONU), organizações internacionais, universidades renomadas, Governo Federal, Estadual e Municipal (Paraná), o evento teve como objetivo melhorar a conscientização, capacidade entre as instituições (governamentais e privadas) e colaboração multisetorial para assuntos abordados dentro do conceito de saúde única (one health) no Brasil,como também compartilhar conhecimento e lições aprendidas, provenientes de experiências de aspecto internacional entre os participantes.

O conceito de saúde única (one health) é definido como o esforço colaborativo multiprofissional e multisetorial dentro das áreas da ciência e da saúde aplicado a nível local, nacional e internacional, buscando promover a saúde dos seres humanos, animais, plantas e meio ambiente. O conceito é apoiado pela Tríplice Aliança, formada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização das Nações Unidas da Agricultura e Alimentação (FAO) e Organização Internacional de Saúde Animal (OIE), que promove a interface entre as instituições que regem a saúde animal, humana e ambiental.

 

ANAIS CIENTÍFICOS

 
Publicado: 2019-12-17
 

XIX Congresso Nacional e I Congresso Internacional ABRAVES

 

22-24 out 2019, Toledo, PR



A Associação Brasileira de Veterinários Especialistas em Suínos - Regional Paraná (ABRAVESPR) realiza anualmente o Encontro Regional no mês de março. Em 2018, o encontro foi marcado pelo rico caráter científico e a expressiva participação dos profissionais, acadêmicos e empresas de grande importância no setor.

Em 2019, o encontro regional deu lugar ao XIX Congresso Nacional Abraves e I Congresso Internacional Abraves. Com o tema "O futuro mercado de suínos, fundamentado pelo conhecimento e pela ciência", o evento discutiu importantes temas para a cadeira produtiva de suínos, proporcionando trocas de experiências e informações, além de reunir empresas, produtores, consumidores e comunidade científica, envolvendo toda a cadeia produtiva da suinocultura.



ANAIS CIENTÍFICOS 
 
Publicado: 2019-12-17
 
Outras notícias...