Magia e cidade: considerações sobre as afinidades entre as práticas mágico-religiosas e o advento da urbanidade no Brasil

Gilson Ciarallo

Resumo


O presente artigo tem como objetivo discutir as adaptações das práticas mágico-religiosas ao advento da sociedade urbana brasileira. Coloca-se em perspectiva o pensamento mágico presente na esfera religiosa brasileira, a qual se delineou a fim de ganhar os traços exigidos para a existência no meio urbano. Ao diversificarem-se, tomando formas diversas, as práticas mágico-religiosas passaram a cumprir papéis específicos, mantendo-se em diálogo com as transformações sociais que a urbanização brasileira impôs ao habitante da cidade. Dentre as composições que se foram equacionando contemporaneamente, dá-se atenção especial ao surgimento do mercado de bens de salvação, o qual imprime na esfera religiosa a lógica própria do mercado. Salienta-se que uma das razões das adaptações contemporâneas e da reprodução de práticas mágico-religiosas tão bem ajustadas ao espaço da urbe consiste na singularidade da experiência de modernização brasileira. Tal experiência singular de modernização, por sua vez, é marcada pela dissonância entre o processo de urbanização e os demais processos de transformação social atrelados à racionalização da sociedade ocidental, como o processo de secularização pelo qual passaram as diversas experiências de modernização.Essas reflexões, por sua vez, contribuem para a compreensão da experiência urbana brasileira como uma individualidade histórica dentre outras, nos amplos quadros da modernidade ocidental.

Palavras-chave


Sociologia urbana; Práticas mágico-religiosas; Urbanização; Modernidade ocidental

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.