Empresários urbanos e produção do espaço residencial: condomínios-clube na Zona Sul de Natal (RN)

Felipe Fernandes de Araújo

Resumo


As causas da localização e disseminação dos condomínios-clube em Natal, bem como as estratégias utilizadas pelos empresários urbanos para transformar a configuração residencial, são alvos da investigação que resultou neste trabalho. A principal consequência desse novo fenômeno é a ratificação do processo de segmentação urbana existente na cidade, que é um elemento essencial na relação existente entre acumulação capitalista e produção do espaço urbano. A inovação espacial pretendida pelos empresários urbanos como forma de diferenciação e aumento dos lucros gera, por outro lado, uma homogeneização do espaço residencial por meio da disseminação da tipologia condomínio-clube pela cidade. Com base em autores como Harvey e Abramo, é possível perceber a relação entre o desenvolvimento capitalista e a forma espacial urbana. Além de pesquisa bibliográfica, a metodologia utilizada baseou-se em entrevistas semiestruturadas junto aos agentes do mercado imobiliário, para abranger a relação entre a materialidade construída (estoques habitacionais) e o discurso hegemônico que orienta a configuração residencial da cidade. Como resultado, observou-se que tal discurso tende para um ponto comum, isto é, há uma convergência dos pensamentos e da prática dos agentes acerca da localização e das características de cada empreendimento. Como consequência imediata, tem-se uma homogeneização socioespacial em certos bairros em detrimento do restante da cidade.

Palavras-chave


Inovação espacial; Convenção urbana; Segmentação espacial; Condomínios-clube; Produção do espaço

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.