UMA PROVÍNCIA DE MUITOS OLHOS – JANELA INDISCRETA e CACHÉ: quando a cidade revela segredos através do cinema

Eliana Kuster

Resumo


Na cidade, todos veem. Na cidade, todos são vistos. O olhar e seus desdobramentos – o que ver, como ver, a interpretação do que é visto – é uma das questões centrais do espaço urbano desde o século XIX, com o crescimento das cidades e o surgimento de algo até então inédito: o fenômeno da multidão. O olhar torna-se, portanto, crucial a esse homem urbano, que procura reconhecer nesse outro – o desconhecido – os sinais de amistosidade ou perigo. Esta importância da dualidade do olhar na cidade é aqui investigada através de dois filmes: Janela Indiscreta, de Alfred Hitchcock (1954), e Caché, de Michael Haneke (2005). No primeiro, os personagens olham para a cidade. No outro, são vistos por ela. Nas duas películas, temos as pontas do mesmo processo: a espetacularização da sociedade. No meio, o cinema, desempenhando um de seus principais papéis: a construção de representações das vidas humanas na cidade.

Palavras-chave


Cidade; Cinema; Olhar

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.