Possibility of using compensatory urban drainage techniques as leisure units to expand public areas into subdivisions

Geovana Geloni Parra, Bernardo Arantes do Nascimento Teixeira, Érico Masiero, Thais Borges Martins Rodrigues

Resumo


Many housing estates of social interest have not contributed to implementing leisure areas and reducing their environmental and urban quality. This paper aims to propose a leisure unit using a compensatory urban drainage technique in a housing complex of social interest in the city of São José do Rio Preto, São Paulo, Brazil. The characterization of the area, land use and occupation surveys, area sectorization, and catchment division were carried out. Afterwards, proposals for interventions based on surface runoff were presented using calculations of existing runoff and future scenarios. Results related to environmental and social gains for the area are discussed, as well as the possibility of implementing decentralized compensatory techniques. Moreover, 156 rain gardens and 3 ditches were proposed throughout the subdivisions, which enabled a gain of 989m² of contribution area to infiltrate the whole area, and the use of the retention basin as a leisure area. The total storage volume achieved with the sum of all the techniques implemented was approximately 3,000 cubic meters more than that projected for the existing retention basin.


Palavras-chave


Social Interest Housing, Compensatory Urban Drainage Techniques, Urban Planning.

Texto completo:

PDF

Referências


Baptista, M.; Nascimento, N.; Barraud, S. (2015) Técnicas Compensatórias em Drenagem Urbana. Porto Alegre: ABRH.

Brasil. Lei Federal nº6766 de 19 de dezembro de 1979. Dispõe sobre o Parcelamento do Solo Urbano e dá outras Providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília. 1979.

Brasil. Política Nacional de Habitação. Cadernos MCidades: Habitação, Ministério das Cidades - Secretaria Nacional de Habitação, Habitação, (01 de Novembro de 2004). Brasília. Acesso em 02 de maio de 2018, disponível em http://www.capacidades.gov.br/biblioteca/detalhar/id/127/titulo/cadernos+mcidades+4+++politica+nacional+de+habitacao

Bruno, L. O.; Amorim, R. S. S.; Silveira A. (2013). Estudo da redução do escoamento superficial direto em superfícies permeáveis. RBRH – Revista Brasileira de Recursos Hídricos, Vol. 18, nº 2, 237-247p. abr./jun. http://dx.doi.org/10.21168/rbrh.v18n2.p237-247.

Cunha, G. R. (2014). O Programa Minha Casa Minha Vida em São Jose do Rio Preto/SP: Estado, Mercado, Planejamento Urbano e Habitação (Tese de Doutorado). São Carlos: Universidade de São Paulo.

Dolman, N.; Savage, A.; Ogunyoye, F. (2013). Water-sensitive urban design: learning from experience. Ice – Municipal engineer, Vol. 166, ME2, 86-97p.

Melo, T. dos A. T. De; Coutinho, A. P.; Cabral, J. J. da S. P.; Antonino, A. C. D.; CIRILO, J. (2014). A. Jardim de chuva: sistema de biorretenção para o manejo das águas pluviais urbanas. Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 14, n. 4, p. 147-165, out./dez. http://dx.doi.org/10.1590/S1678-86212014000400011.

Ministério das cidades. (2016). Programa Minha Casa, Minha Vida. Acesso em 02 de março de 2018, disponível em http://www.minhacasaminhavida.gov.br/habitacao-cidades/programa-minha-casa-minha-vida-pmcmv

Oliveira, A. P.; Barbassa, A. P.; Gonçalves, L. M. (2016). Aplicação de técnicas compensatórias de drenagem na requalificação de áreas verdes na cidade de Guarulhos. Cidades Verdes, Vol. 4 Nº.9, p. 87-101. doi http://dx.doi.org/10.17271/231786044920161385

Parra, G. G. (2016). Efeitos dos espaços de circulação e permanência de pedestres (ECPP) sobre o manejo das águas de chuva: estudos de caso. 120 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Urbana) – Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

Pereira, T. R. D. (2016). Integração de técnicas compensatórias de manejo de águas pluviais à paisagem urbana: aplicação à microbacia experimental do campus da UFSCar. 131 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Urbana) – Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

Peroni, C. S. L.; Teixera, B. A. N. (2016) Avaliação da inserção urbana de bacias detenção de águas pluviais em dois condomínios residenciais nos municípios de Araraquara e São Carlos, São Paulo-Brasil. Cidades Verdes, Vol. 4 Nº10, p. 50-65. http://dx.doi.org/10.17271/23178604.

Rolnik, R. (2015). Guerra dos lugares: A colonização da terra e da moradia na era das finanças. São Paulo: Boitempo.

São José Do Rio Preto. Lei Municipal nº12.965 de 07 de junho de 2018. Dispõe sobre a alteração da Lei nº 5.138, de 28 de dezembro de 1992, e dá outras providências. Diário Oficial de São José do Rio Preto.

Schucha, G.; Serrao-Neumanna, S., Morgana, E., Choya, L. D. (2017). Water in the city: Green open spaces, land use planning and floodmanagement – An Australian case study. Land Use Policy, Vol. 63, p. 539-550. https://doi.org/10.1016/j.landusepol.2017.01.042

Water Sensitive Cities. Título: Healthy communities through clean water. Disponível em: < https://watersensitivecities.org.au/content/healthy-communities-clean-water/ >. Acesso em: 25 de janeiro de 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.