O processo de consolidação e expansão do Campus da Universidade Federal de Juiz de Fora: reflexões sobre o REUNI e seus impactos nas transformações da paisagem do campus e seu entorno imediato

Ana Clara Carvalho Tourinho, Sabrina Andrade Barbosa, Cézar Henrique Barra Rocha, Tamires Oliveira Prado, Klaus Chaves Alberto

Resumo


Esse trabalho tem como objetivo analisar como o campus da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) se configura como um agente de estruturação na dinâmica da cidade a partir do estudo das transformações no uso do solo nos limites do campus e em seu entorno imediato. Para isso, foram elaboradas e analisadas 5 Cartas georreferenciadas, que apresentam as características físicas de uso do solo tanto no campus, quanto em seu entorno. O recorte temporal deste estudo destaca as transformações ocorridas a partir da instauração da universidade e da consolidação das ações do Programa do Federal de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI) na UFJF. Resultados indicaram que nas duas áreas de análise houve um intenso processo de antropização e modificação no uso e ocupação do solo ao longo dos anos, com acréscimo considerável nas áreas construídas em detrimento da perda de cobertura vegetal, especialmente de áreas de vegetação rasteira; enquanto as áreas de solo exposto e de mata permaneceram relativamente estáveis. A implantação do REUNI, resultou em um impacto significativo no perfil da área construída do campus enquanto, no entorno, a urbanização foi mais constante desde a criação do campus nos anos 1960.

Palavras-chave


Uso do solo. Paisagem urbana. Campus universitário. REUNI.

Texto completo:

PDF

Referências


Alberto, K. C. (2003). Três Projetos para uma Universidade do Brasil (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação

em Urbanismo, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Alberto, K. C. (2008). Formalizando o ensino superior na década de 1960: A cidade universitária da UnB e seu projeto urbanístico

(Tese de Doutorado). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Alshuwaikhat, H. M., & Abubakar, I. (2008). An integrated approach to achieving campus sustainability: assessment of the

current campus environmental management practices. Journal of Cleaner Production, 16, 1777–1785.

Andrade, C. R. M. de, & Pavesi, A. (2012). O Planejamento de campi Universitários como Prática Participativa e Educativa.

Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, 14(1), 187-196. http://dx.doi.org/10.22296/2317-

2012v14n1p187.

Baumgartner, W. H. (2015). Cidades universitárias, cidades medias, cidades pequenas: análises sobre o processo de

instalação de novos campi universitários. Espacio Abierto, 5(1), 73-

http://dx.doi.org/10.36403/espacoaberto.2015.2525

Brasil. (1960, 23 de dezembro). Lei Nº 3.858, de 23 de dezembro de 1960. Cria a Universidade de Juiz de Fora, Minas Gerais, e

dá outras providências. Recuperado em 10 de novembro de 2020, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/1950-

/L3858.htm

Dornelas, Roberto. (Fotógrafo). Universidade Federal de Juiz de Fora. Arquivo Central. Arquivo Permanente. Recuperada

em janeiro de 2020.

ESRI (2014). Environmental Systems Research Institute. ArcGIS version 10.2.1, CD-ROM.

Geraldo, W. M. J. (2014). A reestruturação urbana pós-fordista de Juiz de Fora (Dissertação de Mestrado). Programa de PósGraduação em Geografia, Universidade Federal Fluminense, Niterói.

Google Earth. (2019). Google Earth website. Recuperado em 20 de junho de 2020, de https://earth.google.com/web/

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2000). Censo demográfico 2000: dados da amostra. Rio de Janeiro:

IBGE. Recuperado em 10 de junho de 2020, de http://censo2000.ibge.gov.br

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2010). Censo demográfico 2010: dados da amostra. Rio de Janeiro:

IBGE. Recuperado em 10 de junho de 2020, de http://censo2010.ibge.gov.br

Santos Júnior, G. V., Vilardi, L. O., & Sanabio, M. T. (2019). Contratação e execução de obras públicas pela Universidade Federal de

Juiz de Fora no contexto da expansão ocorrida a partir de 2007: uma análise dos possíveis fatores de insucesso relacionados à

fase conceitual estratégica. In Anais do colóquio internacional de gestão universitária (p. 1-16). Florianópolis: UFSC.

Máximo, R. (2020). Efeitos territoriais de políticas educacionais: a recente expansão e interiorização do ensino federal em

cidades não-metropolitanas no Ceará. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, 12,

e20190080. https://doi.org/10.1590/2175-3369.012.e20190080.

Medina, M. B. (2019). As estratégias de implantação física de universidades federais no Brasil: Um estudo comparativo entre

dois períodos de expansão 1960-1970 e 2000-2010 (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ambiente

Construído, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora.

Paula, K. A., & Faria, T. C. A. (2020). Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) e seus impactos no espaço urbano: um

estudo de caso a partir da cidade de Viçosa-MG. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, 12,

e20190089. https://doi.org/10.1590/2175-3369.012.e20190089

Pinheiro, C. H. L. (2018). Cidade, universidade e percepções docentes no contexto da expansão interiorizada do ensino

superior público no Estado do Ceará. Revista INTERthesis, 15(2), 38-54. http://dx.doi.org/10.5007/1807-

2018v15n2p38.

Prefeitura de Juiz de Fora (2000, 27 de junho). Lei nº 9811, de 27 de junho de 2000. Institui o Plano Diretor de

Desenvolvimento Urbano de Juiz de Fora. Prefeitura Municipal de Juiz de Fora. Recuperado em 10 de novembro de 2020,

de http://www.planodiretorparticipativo.pjf.mg.gov.br/pddu/index.htmPrefeitura de Juiz De Fora. Sistema de Informações

Geográficas de Juiz de Fora. Base Cartográfica Municipal de Juiz de Fora. Secretaria de Planejamento e Gestão (SEPLAG).

Rocha, C. H. B., Pereira, B. H. C., Silva, A. F. R., Oliveira, M. de, Casquin, A. P., & Figueireido, M. R. (2016). Impactos do uso do

solo nos recursos hídricos da bacia de contribuição do Lago dos Manacás, Minas Gerais, Brasil. Revista Ambiente & Água,

(4), 929-94. http://dx.doi.org/10.4136/ambi-agua.1882

Rodrigues, R. A. V. (2016). Campus e cidade: uma análise dos impactos do UNIPAM no espaço urbano de Patos de Minas-MG

(Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia.

Sanfeliu, C. B. (2011). La inserción de la Universidad en la estructura y forma urbana: el caso de la Universitat de

Lleida. Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales, 15(381).

Secretaria de Transportes e Trânsito – SETTRA. (2016, junho). Plano de mobilidade urbana de Juiz de Fora – PLANMOB-JF.

Juiz de Fora: Prefeitura Municipal de Juiz de Fora.

Souza, M. de O. R. (2013). O programa MEC/BID II e o CEDATE na consolidação dos campi universitários no Brasil

(Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ambiente Construído, Universidade Federal de Juiz de Fora,

Juiz de Fora.

Tasca, L., & Amaral, S. F. (2012). A Reestruturação do Espaço Urbano em Juiz de Fora a partir de Projetos Urbanos de

Grande Impacto. In XII Conferência Internacional da LARES (p. 1-11). São Paulo.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.