Reflexo de Grandes Eventos na Mobilidade Urbana

Daniel de Oliveira Mota, Bernardo Brasil Garcia Rodrigues dos Santos, Nicoli Ramos Cardoso, Victor Pirinausky, Guilherme dos Santos Musich

Resumo


A mobilidade em megacidades tem se tornado um problema relevante para todos que transitam em regiões de intenso tráfego de veículos e pessoas. Este problema é agravado durante a ocorrência de grandes eventos como partidas esportivas, feiras e concertos musicais que atraem uma elevada audiência. Neste contexto, o Allianz Parque é um importante local que oferece eventos no Brasil, ao mesmo tempo que é uma região onde se observa um elevado tráfego urbano. Para se obter dados do fluxo de pedestres e ao mesmo tempo de veículos do transporte público na região, ferramentas de Big Data foram empregadas a partir das redes sociais, capturando informações de localização geográfica, instante das postagens, e posições dos veículos disponibilizados publicamente. Em seguida, alguns indicadores de desempenho foram criados para quantificar a intensidade e persistência do impacto na mobilidade durante os eventos e comparados com dias regulares, comparando seus padrões. Esta analise evidenciou que existe uma interferência durante a ocorrência dos eventos tanto na mobilidade quanto no acesso aos locais. Este impacto varia de acordo com o evento (público, faixa etária, tipo), podendo se caracterizar tanto em termos de intensidade quanto em termos de persistência.


Palavras-chave


Mobilidade urbana. Eventos. Rede Social. Transporte. Ônibus.

Texto completo:

PDF

Referências


Camilo, C. O., & Silva, J. C. D. (2009). Mineração de dados: Conceitos, tarefas, métodos e ferramentas. Universidade Federal de Goiás (UFC), 1-29.

Campos, B. & Cerqueira, F. (2016). “Proposta de um método de análise de sistemas de transporte público,” Instituto Mauá de Tecnologia, São Caetano do Sul.Leite, C. (2017). São Paulo, megacidade e redesenvolvimento sustentável: uma estratégia propositiva. Revista Brasileira de Gestão Urbana, 2(1), 117-126.

Molina, M. J., & Molina, L. T. (2004). Megacities and atmospheric pollution. Journal of the Air & Waste Management Association, 54(6), 644-680.

Nakamuta F. & Nakamura M. (2016). “Estudo da mobilidade urbana de pedestres em uma grande cidade usando big data,” Instituto Mauá de Tecnologia, São Caetano do Sul.

Rau, S. L. (2012). Sistema cicloviário e suas potencialidades de desenvolvimento: o caso de Pelotas/RS (Doctoral dissertation, Dissertação de Mestrado) Universidade Federal de Pelotas. Pelotas.[Links]).

Reddy, B. S., & Balachandra, P. (2010). Dynamics of Urban Mobility: A Comparative analysis of megacities of India Dynamics of Urban Mobility: A Comparative analysis of megacities of India.

OBSERVÁTORIO DE TURISMO E EVENTOS. Relatório Evento: Britney Spears. Disponível em: . Acesso em: 12 maio. 2017.

Neto, W. L. M., & Kneib, É. C. (2016). Centralidades urbanas e oferta de transporte público coletivo em Goiânia-GO, 2014. Transportes, 24(1), 42-50.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.