Mobilidade na periferia metropolitana fluminense: transporte ativo posto à prova em São João de Meriti, RJ

Marcelo Mourão Pereira Costa, Denise de Alcantara

Resumo


Este artigo apresenta investigação sobre cenários de mobilidade urbana em São João de Meriti, município metropolitano fluminense. Com a maior densidade demográfica do estado e um dos mais baixos índices de bem-estar urbano (IBEU) nacionais, a ‘cidade-dormitório’ define-se pelo movimento pendular centro-periferia de sua força de trabalho. A pesquisa qualitativa de cunho empírico busca identificar a estrutura do sistema de redes e fluxos viários, em múltiplas escalas de acessibilidade urbana; compreender a realidade local, políticas públicas e ações de planejamento - ferrovia, explosão demográfica, abertura de rodovias e industrialização; e articular questões de gestão municipal à Política Nacional de Mobilidade Urbana. Metodologicamente, são realizados levantamentos de campo para medições e mapeamentos dos aspectos físico-espaciais; análises espaciais e de dados aerofotogramétricas com o uso de geotecnologias SIG; análise qualitativa de transporte público e integração com alternativas na micro acessibilidade. Prioriza-se cenários de transporte coletivo e não motorizado, promoção da caminhabilidade e acessibilidade universal; redução do uso de veículo individual motorizado, considerando limites e desafios para assegurar a mobilidade urbana sob premissas de inclusão social e da sustentabilidade ambiental. Analisam-se ao final os resultados da inserção de projetos ciclo viários e de conexão intermodal pela gestão municipal.


Palavras-chave


Mobilidade Urbana. Micro acessibilidade. Periferia. Espaços Livres. São João de Meriti

Texto completo:

PDF

Referências


Abreu, M. (1987) Evolução Urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: IPLANRIO/Zahar.

Abreu, M. (2010) Geografia Histórica do Rio de Janeiro - 1502-1700, Rio de Janeiro: IPP/Editora Andrea Jacobsen

Alcantara, D. (2020) Estratégias e processos participativos para o desenvolvimento local e regional na Baixada de Sepetiba, RJ. Cadernos Metrópole. São Paulo, v.22, n. 47. pp. 147-171. jan/abr 2020.

Alcantara, D., Silva, M.R., Oliveira, N. (2019). A Periferia da Pobreza na Borda Oeste Metropolitana do Rio de Janeiro: ocupação, apropriação e (des)estruturação sócioespacial e territorial. Anais do XVIII ENANPUR. Natal: UFRN, 2019.

Amorim, T. (2016) Cidade-dormitório. In Revista Berro. Disponível em Recuperado em 24 de julho de 2018 de http://revistaberro.com/literatura/cronicas/cidade-dormitorio/

Andreatta, V. (2006) Cidades Quadradas, Paraísos Circulares: Os Planos Urbanísticos do Rio De Janeiro no Século XIX. Rio de Janeiro: Mauad.

Brasil. Política Nacional de Mobilidade Urbana (2012, 3 de janeiro) Lei 12.587, de 03/01/2012. Brasília: Palácio do Planalto Recuperado em 10 de julho de 2019 de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12587.htm

Correa, T., Gomes, N. (2018) Transporte Público Atual: condição do transporte público entre o Rio de Janeiro e a Baixada Fluminense. Rev. Episteme Transversalis, Volta Redonda-RJ, v.9, n.1, p.135-145

Gibson, C., Ostrom, E., Ahn, T. (2000) The concept of scale and the human dimensions of global change: a survey. Ecological Economics, v.32, p. 217-239.

Gregório, L.S., Brandão, A.M.M. (2010) O Clima Urbano de São João de Meriti/Rj: Um Estudo Aplicado à Análise do Campo Térmico e Ilhas de Calor. Revista Brasileira de Climatologia v. 7.

Harvey, D. (2014) Cidades rebeldes: Do direto à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins Fontes,

IBGE (2019) Cidades@ - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/seropedica/panorama. Acesso em 24/09/2019

Magnoli, M. (2006) Em busca de outros espaços livres de edificação. In Revista Paisagem e Ambiente – Ensaios, nº 21. São Paulo: FAUUSP, p. 143-173.

Maricato, E. (2001) Brasil, cidades – alternativas para a crise urbana. Petrópolis, RJ: Vozes.

Maricato, E. (2003) Metrópole, Legislação e Desigualdade. Estudos Avançados 17 (48), pp. 151-167.

MDR (2018 ) Programa Avançar Cidades – Mobilidade Urbana. Ministério do Desenvolvimento Regional. Recuperado em 27 de setembro de 2019 de http://www.cidades.gov.br/mobilidade-e-servicos-urbanos

Meriti (2006) Plano Diretor da Cidade de São João de Meriti, Lei Complementar N.º 089, de 21 de novembro de 2006.

Observatório (2019) Base de Dados dos Município Brasileiros. Observatório das Metrópoles. Recuperado em 27 de setembro 2019 de https://ibeu.observatoriodasmetropoles.net.br/sobre/.

ONU-Habitat. (2017) New Urban Agenda. United Nations. Recuperado em 23 de abril de 2018 de http://habitat3.org/wp-content/uploads/NUA-English-With-Index-1.pdf

PNUD (2013) Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil. Recuperado em 23 de abril de 2018 de http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/

Portugal, L. (org) (2017) Transporte, mobilidade e desenvolvimento urbano. Rio de Janeiro: Elsevier.

Reyes, P. (2015) Projeto por cenários - O território em foco. 1. ed. Rio Grande do Sul: Sulina.

Ribeiro, M. (2016) Desigualdades urbanas e desigualdades sociais nas metrópoles brasileiras. Sociologias, Porto Alegre, ano 18, no 42, mai/ago, p. 198-230. Recuperado em 25 de julho de 2019 de http://www.scielo.br/pdf/soc/v18n42/1517-4522-soc-18-42-00198.pdf

Rolnik, R. (1995) O Que é Cidade? São Paulo: Editora Brasiliense.

Rubem, A.P.S., MOURA, A.L., GOMES, C.S.F. (2014) Cenários Prospectivos no Apoio à Decisão: uma proposta de aprimoramento do método de Schoemaker. Relatórios de Pesquisa em Engenharia de Produção v.14, n. B5, p. 70-80.

Santos, C.N.F. Está na hora de ver as cidades como elas são de verdade. Rio de Janeiro, IBAM, 1986.

Santos. M.O.G. (2013) O Planeamento por Cenários como Resposta das Organizações a Desafios Colocados na Época Actual. Unversidade de Évora. Descarregado em 03/07/2019 de http://home.uevora.pt/~mosantos/download/PlaneamentoporCenarios_01Jun13.pdf

Serpa, A. (2013) Lugar e Centralidade em um Contexto Metropolitano. In A Produção do Espaço Urbano: agentes e processos, escalas e desafios. São Paulo: Contexto.

Schoemaker, P. J. H. (1995). Scenario planning: a tool for strategic thinking. MIT Sloan Management Review, 36(2), 25-40.

Silva, L. (2017) Entre Laranja e Gente: Notas Preliminares sobre Urbanização na Baixada Fluminense. In Anais XVII ENANPUR. São Paulo: FAUUSP,. Recuperado em 4 de julho de 2019 de http://anpur.org.br/xviienanpur/principal/?page_id=1298

TCE (2006) Estudo Socioeconômico de São João de Meriti. Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro. Recuperado em 15 de julho de 2018 de

" https://www.tce.rj.gov.br.

Teixeira, E. H. S .B. (2006) Guia da mobilidade e desenvolvimento inteligente – 1 edição – Rio de Janeiro: Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro.

Zegras, P.C. (2005) Sustainable urban mobility: exploring the role of the built environment. Tese de Doutorado. Massachussets Institute of Technology.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.