Morfologia urbana das cidades amazônicas: a experiência do Grupo de Pesquisa Cidades na Amazônia da Universidade Federal do Pará

Ana Claudia Duarte Cardoso, José Júlio Ferreira Lima, Juliano Pamplona Ximenes Ponte, Raul da Silva Ventura Neto, Roberta Menezes Rodrigues

Resumo


O artigo apresenta a experiência do Grupo de Pesquisa Cidades na Amazônia, da Universidade Federal do Pará, de aplicação de métodos e técnicas desenvolvidos no âmbito das Escolas de Morfologia Urbana na compreensão e no planejamento das cidades amazônicas. O texto apresenta o contexto de investigação, com base nos antecedentes históricos das ocupações urbana e regional, para caracterizar sobretudo a natureza híbrida da urbanização e da produção da cidade no contexto periférico e de fronteira de exploração de recursos naturais da Amazônia brasileira. Os resultados de pesquisa foram agrupados em blocos de acordo com sua aderência às categorias de análise e princípios metodológicos das principais escolas de morfologia europeias, exemplificando as circunstâncias de difusão e adaptação de categorias histórico-geográficas e tipológicas ao estudo das cidades da Amazônia Oriental. Destacam-se as variações construídas para a caracterização e a análise da forma dessas cidades, tendo em vista o subsídio às políticas públicas e o avanço da pesquisa em morfologia urbana na região Norte do Brasil e em contextos semelhantes no planeta.


Palavras-chave


cidades amazônicas, morfologia urbana, Universidade Federal do Pará

Texto completo:

PDF

Referências


Abreu, P., Lima, J. J., & Fischer, L. (2018). Aforar, arrumar e alinhar: a atuação da Câmara Municipal de Belém na configuração urbano-fundiária da cidade durante o século XIX. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, 26. No prelo. http://dx.doi.org/10.1590/1982-02672018v26e29.

Araújo, C. L. C., Ponte, J. P. X., Lima, J. J. F., Rodrigues, R. M., & Brandão, A. J. D. N. (2012). Ocupação e consolidação das baixadas em Belém - PA: periferia e o projeto. In Anais e Textos Completos do II Seminário Nacional sobre Áreas de Preservação Permanentes em Meio Urbano. Natal: UFRN.

Arruda, L. G., & Rodrigues, R. (2018). Estudo de Parâmetros de Urbanização para Zonas Especiais de Interesse Social (Zeis) em Áreas de Preservação Permanente (Apps) em Meio Urbano em Belém, Pará (Relatório de Iniciação Científica). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, UFPA, Belém.

Atelier do Porto. (2019). Recuperado em 28 de setembro de 2019, de atelierdoporto.blogspot.com

Becker, B. (2013). A urbe amazônida. Rio de Janeiro: Garamond.

Bibas, L. B. (2018) O espaço tradicional em contexto periférico, inadequações e tensões entre visões de mundo: o caso de Afuá (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Pará, Belém.

Cannigia, G., & Maffei, L. (1995). Tipologia de la Edificacion, Estructura del Espacio Antropico. Madrid: Celeste Ediciones S. A.

Cardoso, A. C. D. (2002) The Alternative Space: Informal Settlements and Life Chances in Belém, Brazil (PhD Thesis). School of Architecture. Oxford Brookes university, Oxford.

Cardoso, A. C. D., & Lima, J. J. F. (2006). Tipologias e padrões de ocupação na Amazônia Oriental. In A. Cardoso (Ed.), O urbano e o rural na Amazônia (pp. 55-110). Belém: EdUfpa.

Cardoso, A. C. D., & Miranda, T. B. (2018). Invisibilidade social e produção do espaço subordinado em Belém (PA). Paisagem e Ambiente: Ensaios, 41(41), 85-107. http://dx.doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i41p85-107.

Cardoso, A. C. D., Lima, J. J. F., Ventura, R., No., Rodrigues, R. M., Ximenes, J. P., & Gomes, T. D. V. (2016a). Forma urbana de Belém e seus desdobramentos para a formação de um sistema de espaços livres acessível à população. Paisagem e Ambiente, 37(37), 11-34. http://dx.doi.org/10.11606/issn.2359-5361.v0i37p11-34.

Cardoso, A. C. D., Melo, A. C. C., & Gomes, T. V. (2016b). O urbano contemporâneo na fronteira de expansão do capital: padrões de transformações espaciais em seis cidades do Pará, Brasil. Revista de Morfologia Urbana, 4(1), 5-28.

Cardoso, A. C. D., Silva, H., Melo, A. C., & Fernandes, D. (2018). Urban tropical forest: where nature and human settlements are assets for overcoming dependency, but how can urbanisation theories identify these potentials? In P. Horn, P. Alençon, & A. C. D. Cardoso (Eds.), Emergent urban spaces (pp. 177-200). Chalm: Springer.

Conzen, M. R. G. (1969). Alnwick, Northumberland: a study in town-plan analysis. London: Institute of British Geographers.

Corrêa, R. L. (1987). A periodização da rede urbana da Amazônia. Revista Brasileira de Geografia, 4(3), 39-68.

Costa, C. H (2017) Pela Naturalização do Urbano Amazônico, uma requalificação de Canaã dos Carajás sob perspectivas ecológicas (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Pará, Belém.

Costa, F. A. (2012). Mercado de terras e trajetórias tecnológicas na Amazônia. Economia e Sociedade, 21(2), 245-273. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-06182012000200002.

Costa, F. A. (2019). A brief economic history of Amazon (1720-1970). Cambridge: Cambridge Scholars Publishing.

Ferreira, A. R. (1971). Viagem filosófica: pelas capitanias do Grão Pará, Rio Negro, Mato Grosso e Cuiabá: 1783-1792: iconografia (Vol. 1, Geografia e antropologia; Vol. 2, Zoologia). Rio de Janeiro: Conselho Federal de Cultura.

Gomes, T. V., & Cardoso, A. C. D. (2019). Santarém: o ponto de partida para o (ou de retorno) urbano utopia. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, 11, e20170219. http://dx.doi.org/10.1590/2175-3369.011.001.ao03.

Gomes, T. V., Cardoso, A. C. D., Coelho, H. S., & Oliveira, K. D. (2017). Santarém (PA): um caso de espaço metropolitano sob múltiplas determinações. Cadernos Metrópole, 19(40), 891-918. http://dx.doi.org/10.1590/2236-9996.2017-4009.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2010). Censo Demográfico. Shapefiles. Rio de Janeiro: IBGE.

Jacobs, J. (1969). The economy of cities. New York: Random House.

Keynes, J. M. (1983). A teoria geral do emprego, do juro e da moeda. São Paulo: Abril Cultural.

Kowarick, L. (1980). A espoliação urbana. São Paulo: Paz e Terra.

Lima, A. P. C., & Rodrigues, R. M. (2017). O superdimensionamento da grelha: análise de padrão de subdivisão fundiária e suas adaptações aos usos do solo no Núcleo Histórico de Icoaraci, Belém - PA. In Anais da 6ª Conferência da Rede Lusófona de Morfologia Urbana PNUM 2017. Morfologia Urbana: Território, Paisagem e Planejamento (pp. 98-108). Vitória: UFES.

Lima, A., & Lima, J. J. F. (2019). O plano urbano da Villa do Pinheiro e a exploração gomífera na Amazônia Oriental (1869-1906). In Anais da 8ª Conferência da Rede Lusófona de Morfologia Urbana PNUM 2019 (Vol. 1). Maringá: UEM.

Lopes, R. J. (2017). 1499: o Brasil antes de Cabral. São Paulo: Harper Collins.

Loureiro, V. R. (2014). Amazônia: estado, homem, natureza. Belém: Cultural Brasil.

Meira, A., Fo. (2015). Evolução de Belém do Grão-Pará. Belém: M2P Arquitetura e Engenharia.

Muniz, J. P. (1904). Patrimônios dos Conselhos Municipaes do Estado do Pará. Paris: Ailland.

Oliveira, F. (2003). Crítica à razão dualista: o ornitorrinco. São Paulo: Boitempo.

Oliveira, V. (2018). Diferentes abordagens em morfologia urbana. E-book. Recuperado em 28 de setembro de 2019, de vitoroliveira.fe.up.pt

Panerai, P., Castex, J., & Depaule, J. C. (2013). Formas urbanas: a dissolução da quadra. São Paulo: Bookman.

Pinheiro, L. C. (2019). A comunidade flutuante Lago Catalão – Iranduba AM: um tecido urbano sobre as águas (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Pará, Belém.

Plano de Desenvolvimento Sustentável da Jusante – PDJUS. Fundação de Apoio à Pesquisa, Extensão e Ensino em Ciências Agrárias – FUNPEA. Universidade Federal do Pará – UFPA. (2006). Minutas de Planos Diretores para os Municípios de Baião, Mocajuba, Cametá, Igarapé-Miri e Limoeiro do Ajuru. Belém: PDJUS/FUNPEA/UFPA.

Ponte, J. P. X., Rodrigues, R. M., Brandão, A. J. D. N., & Souza, E. S. (2014). Urbanização de assentamentos precários na Região Metropolitana de Belém: problemas de desenho e infraestrutura urbana. In M. L. Zuquim, & C. D’Ottaviano (Eds.), Práticas recentes de intervenção urbana em áreas informais na América Latina (1a ed. Vol. 1, pp. 73-105). São Paulo: FAU-USP.

Ponte, J. X. (2015). Belém do Pará: cidade e água. Cadernos Metrópole, 17(33), 41-60. http://dx.doi.org/10.1590/2236-9996.2015-3302.

Pontes, L. B., & Cardoso, A. C. D. (2016). Espaços livres: janelas para um urbanismo ecológico na Amazônia oriental. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, 8(1), 96-112. http://dx.doi.org/10.1590/2175-3369.008.001.se06.

Prefeitura Municipal de Belém - PMB (2013). Cadastro multifinalitário. Planilhas e Shapefiles. Belém: PMB.

Rangel, I., & Silva, J. F. G. (2004). Questão agrária, industrialização e crise urbana no Brasil. Porto Alegre: Editora UFRGS.

Reis, N. G., Fo. (2000). Imagens de vilas e cidades do Brasil Colonial, 2000. São Paulo: FUPAM, EDUSP, Imprensa Oficial. CD-ROM.

Rodrigues, R. (2015). Desafios para a regularização urbanística e fundiária em Áreas de Preservação Permanente (APP) na Amazônia. In Anais do XVI Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional (pp. 1-16). Belo Horizonte: UFMG.

Rodrigues, R. M., & Arruda, L. G. B. (2017). Zonas Especiais de Interesse Social em Belém (PA): a irrelevância do instrumento para a política urbana municipal. In Anais da 6ª Conferência da Rede Lusófona de Morfologia Urbana, PNUM: Morfologia Urbana: Território, Paisagem e Planejamento (pp. 843-852). Vitória: UFES.

Rodrigues, R. M., Araújo, Q. P., & Castro, R. B. (2018). Urbanizar as baixadas: um balanço do PAC na região metropolitana de Belém. In A. L. Cardoso, & R. Denaldi (Eds.), Urbanização de favelas no Brasil: um balanço preliminar do PAC (1. ed., pp. 253-290). Rio de Janeiro: Letra Capital.

Rodrigues, R. M., Tavares, A. C. M., & Miranda, T. B. (2016). Urbanizar as baixadas: experiências recentes de projetos de urbanização de assentamentos precários nas áreas de preservação permanente em Belém (PA). In Anais do IV Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo (ENANPARQ) (pp. 1-25). Porto Alegre: PROPAR/UFRGS.

Rodrigues, R., Lima, J. J. F., Ponte, J. P. X., Barros, N. S., & Lopes, R. S. N. (2013). Urbanização das baixadas de Belém-PA: transformações do habitat ribeirinho no meio urbano. In Anais do XV Encontro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional (pp. 1-17). Rio de Janeiro: ANPUR.

Santana, J. V., de Moura, A. S. F., & Holanda, A. C. G. (2012). A questão da habitação em municípios periurbanos na Amazônia. Belém: EDUFPA.

Schmink, M., & Wood, C. H. (2012). Conflitos sociais e a formação da Amazônia. Belém: Ed. UFPA.

Silva, H. (2017) Socialização da natureza e alternativas de desenvolvimento na Amazônia brasileira (Tese de doutorado). Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional da Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

Simões, R., Garcia, R., Lima, A., & Amaral, P. (2013). Caracterização das redes de cidades no Estado do Pará e na Amazônia Legal Expandida e identificação de novas centralidades: anexo E. In M. Monteiro, & A. Cardoso (Eds.), Relatório UrbisAmazônia ano 2. São José dos Campos: INPE. Recuperado em 28 de setembro de 2019, de http://www.dpi.inpe.br/urbisAmazonia/doku.php?id=urbis:producao

Souza, R. D. P., & Galvão, L. (2013). Formas da produção habitacional na “Nova Belém”: estudo comparativo dos diferentes tipos de produção habitacional ao longo da av. Augusto Montenegro, Belém (PA) e suas tendências de consolidação. In Anais do XV ENANPUR (Vol. 15, No. 1, pp. 1-18). Recife: ANPUR.

Tavares, A. L. (2000). A engenharia militar portuguesa na construção do Brasil. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército.

Ventura, R. S., No. (2015). Belém e o imobiliário: uma cidade entre contratos e contradições. Belém: Imprensa Oficial do Estado.

Ventura, R. S., No. (2017). A (Trans) formação socioespacial da Amazônia: floresta, rentismo e periferia (Tese de doutorado). Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Wagley, C. (1957). Uma comunidade amazônica. São Paulo: Companhia da Editora Nacional.

Whitehand, J. W. R. (1972). Building cycles and the spatial pattern of urban growth. Transactions of the Institute of British Geographers, 56(56), 39-55. http://dx.doi.org/10.2307/621541.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.