A metáfora do espetáculo vertical: um olhar para a cidade de Campina Grande-PB

Thaís Marculino da Silva, Ângela Maria Cavalcanti Ramalho

Resumo


Este estudo tem como objetivo espacializar o processo de verticalização na cidade de Campina Grande-PB associando-o à dinâmica teórica da metáfora do espetáculo e, a partir desse cenário, evidenciar as possíveis implicações socioeconômicas e ambientais derivadas desse processo na perspectiva dos atores envolvidos. A metodologia em função dos objetivos, adotada na construção desta pesquisa, foi a exploratória-descritiva, a partir da abordagem de análise qualitativa. Ademais, a pesquisa foi conduzida através de um estudo de campo, apropriando-se da observação direta não participante e do uso de entrevistas. Observou-se que a proliferação dos edifícios, mediante a dinâmica do espetáculo vertical, gera a presença de uma imagem cada vez mais percebida pelos indivíduos, que proporciona a sensação de aspiração ao progresso local, evidenciando transformações na paisagem urbana e também no constructo do ideário da sociedade, a qual, com maior aderência, passa a idealizar este modelo de mercadoria. Por outro lado, este cenário promove implicações que perpassam desde a sensação de isolamento do convívio com a cidade até a percepção de uma espacialização vertical local desordenada, bem como a sobrecarga no uso dos recursos naturais, de forma que a construção desse cenário espetacular se desenvolve sob limitada preocupação ambiental, submetida ao cálculo das racionalidades econômicas.


Palavras-chave


Metáfora do Espetáculo. Imagem. Espetáculo Vertical. Implicações Socioeconômicas e Ambientais.

Texto completo:

PDF

Referências


Bauman, Z. (2008). Vida para o consumo: a transformação das pessoas em mercadoria (C. A. Medeiros, Trad.). Rio de Janeiro: Zahar.

Costa, B. L. (2013). Estruturação da cidade de Campina Grande: as estratégias e intencionalidades do mercado imobiliário (Dissertação de mestrado). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa.

Debord, G. (1997). A sociedade do espetáculo e comentários sobre a sociedade do espetáculo (E. S. Abreu, Trad.). São Paulo: Contraponto.

Fonseca, H., No. (2006). O marketing e a espetacularização urbanística. In Anais do Seminário Internacional Planejamento Urbano no Brasil e na Europa. Florianópolis: ANPPAS. Recuperado em 1 de fevereiro de 2017, de http://www.anppas.org.br/encontro4/cd/ARQUIVOS/GT10-218-51-20080521113611.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2010). Censo demográfico. Recuperado em 1 de fevereiro de 2017, de http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=250400&search=paraiba|campina-grande

Jacques, P. B. (2003). Patrimônio cultural urbano: espetáculo contemporâneo. Revista de Arquitetura e Urbanismo, 6(1), 32-39. Recuperado em 1 de fevereiro de 2017, de http://www.portalseer.ufba.br/index.php/rua/article/view/3229/2347

Loureiro, C., & Amorim, L. (2005). Dize-me teu nome, tua altura e onde moras e te direi quem és: estratégias de marketing e a criação da casa ideal: parte 1. Revista Vitruvius, 58(6). Recuperado em 1 de fevereiro de 2017, de http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/05.058/490

Maia, R. (2005). O espetáculo urbano carioca: entre a contemplação e a participação dos citadinos. In Anais do XII Congresso Brasileiro de Sociologia. Belo Horizonte: FAFICH/UFMG.

Marx, K. (1991). O Capital (J. A. Giannotti, & E. Malagodi, Trad., Vol. I). São Paulo: Nova Cultura.

Nethercote, M. (2018). Theorising vertical urbanisation. Revista Journal City, 22(5-6), 657-684. http://dx.doi.org/10.1080/13604813.2018.1549832.

Oliveira, G. A. S. (2012). Verticalização urbana em cidades médias: o caso de Santa Cruz do Sul – RS (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional, niversidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul.

Padinha, M. R. (2013). A verticalização da imponência e a negação do espaço. Revista Geo Amazônia, 1(1), 81-92. http://dx.doi.org/10.17551/2358-1778/geoamazonia.n1v1p81-105.

Paz, W. R. (2011). Sociedade do espetáculo e formação humana: mercado, tecnologia e cultura (Tese doutorado). Programa de Pós-graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal de Goiás, Goiânia. Recuperado em 1 de fevereiro de 2017, de https://ppge.fe.ufg.br/up/6/o/Tese_Weligton_Rodrigues_da_Paz.pdf?1337693182%20%20

Retondar, A. M. (2008). A (re)construção do indivíduo: a sociedade de consumo como “contexto social” de produção de subjetividades. Revista Sociedade e Estado, 23(1), 137-160. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69922008000100006.

Silva, C. S. (2012). Processo de verticalização da cidade de Campina Grande-PB: um crescente processo na urbanização e no crescimento (Monografia). Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande.

Slater, D. (2002). Cultura do consumo & modernidade. São Paulo: Nobel.

Somekh, N. (1997). A cidade vertical e o urbanismo modernizador. São Paulo: Studio Nobel.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.