Avaliação das estruturas organizacionais dos organismos gestores da mobilidade diante da Política Nacional de Mobilidade Urbana

Aramidis Cibelly Moura de Morais, Enilson Medeiros dos Santos

Resumo


O objetivo desta pesquisa é avaliar criticamente a funcionalidade da estrutura organizacional de um órgão gestor de mobilidade diante da problemática nesse setor e dos requerimentos prescritos pela Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei nº 12.587/2012). A problemática da mobilidade urbana nas cidades brasileiras motivou a criação dessa política, cuja efetivação é um fator de aprimoramento das condições da vida urbana no país. Assim, é necessária a adequação da estrutura organizacional dos organismos gestores nas cidades. Como método de pesquisa, foi utilizada uma matriz de avaliação elaborada com base na revisão de literatura de O&M (organização e métodos) e nos requisitos da Lei nº 12.587/2012. A coleta de informações sobre o organismo avaliado foi realizada por meio de pesquisa documental e entrevistas semiestruturadas com gestores e stakeholders do setor. A pesquisa foi aplicada no órgão gestor de transportes da Região Metropolitana de Recife (RMR). A análise crítica dos resultados permitiu concluir que a estrutura organizacional do órgão gestor não está totalmente adequada aos requerimentos da Política Nacional de Mobilidade Urbana e configura uma situação em que são necessárias mudanças para a sua completa adequação.


Palavras-chave


Mobilidade urbana. Política Nacional de Mobilidade Urbana. Organismos gestores. Estrutura organizacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Bandeira, A. (2015, 28 de outubro). Entrevista concedida à Aramidis Cibelly Moura de Morais. Recife.

Bassul, J. R. (2002). Reforma urbana e Estatuto da Cidade. EURE, 28(84), 133-144.

Boareto, R. (2003). A mobilidade urbana sustentável. Revista dos Transportes Públicos, 25(3), 45-56.

Brasil. (1988, 5 de outubro). Constituição Federal da República do Brasil. Brasília: Diário Oficial da União.

Brasil. (2001, 11 de julho). Lei n. 10.257, de 10 de julho de 2001. Estabelece as diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União.

Brasil. (2012, 4 de janeiro). Lei n. 12.587, de 3 de janeiro de 2012. Estabelece as diretrizes para a Política Nacional de Mobilidade Urbana. Brasília: Diário Oficial União.

Brasil. Ministério das Cidades. (2015). PlanMob: caderno de referência para elaboração de plano de mobilidade urbana. Construindo a cidade sustentável. Brasília: Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana.

Fernandes, E. (2010). O Estatuto da Cidade e a ordem jurídico-urbanística. In C. S. Carvalho, & A. C. Rossbach (Eds.), O Estatuto da Cidade: comentado. São Paulo: Aliança das Cidades.

Gomide, A. A. (2007). O projeto de lei de diretrizes da política nacional de mobilidade urbana. Revista dos Transportes Públicos ANTP, 30(4), 77-93.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2010). Censo demográfico: 2010. Rio de Janeiro: IBGE. Recuperado em 10 de abril de 2015, de www.ibge.gov.br

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2012). Pesquisa nacional por amostra de domicílios contínua: 2012. Rio de Janeiro: IBGE. Recuperado em 10 de abril de 2015, de www.ibge.gov.br

Instituto Brasileiro de Pesquisa Aplicada – IPEA. (2012). Comunicação nº 128: a nova lei de diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana. Brasília: IPEA.

Lima, C., No. & Galindo, E. P. (2013). A Política Nacional de Mobilidade Urbana, os Planos de Mobilidade e os municípios brasileiros. In Anais do XXVII Congresso de Pesquisa e Ensino em Transportes. Belém: ANPET.

Meira, L. (2015, 30 de outubro). Entrevista concedida à Aramidis Cibelly Moura de Morais. Recife.

Melibeu, A. (2015, 28 de outubro). Entrevista concedida à Aramidis Cibelly Moura de Morais. Recife.

Moraes, R. (1999). Análise de conteúdo. Review of Education, 22(37), 7-32.

Observatório das Metrópoles. (2010). Recuperado em 20 de abril de 2015, de www.observatoriodasmetropoles.net

Ramalho, A. M. F. (2009). Autonomia e cooperação: os desafios da gestão metropolitana (Tese de doutorado). Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Travassos, G. (2015, 29 de outubro). Entrevista concedida à Aramidis Cibelly Moura de Morais. Recife.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.