EFETIVIDADE DA PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE CURITIBA

Fabiana Marissa Etzel Barddal, Ricardo Lobato Torres

Resumo


Este artigo avalia a efetividade da participação cidadã nos conselhos municipais de Curitiba. Um estudo de casos múltiplos foi realizado, com foco nos conselhos sociais. Realizou-se uma pesquisa documental da legislação, dos regimentos internos e das atas de reuniões dos Conselhos Municipais de Alimentação Escolar, de Esporte e de Saúde, com o objetivo de identificar a possibilidade legal e a participação efetiva dos cidadãos nas sessões plenárias. Um tipo ideal de governança pública foi proposto a partir de uma síntese da revisão de literatura sobre o tema. A partir disso, foram definidas 18 variáveis qualitativas a serem identificadas nas atas das reuniões dos conselhos. No período de 2015 e 2016, a frequência relativa de ocorrência das variáveis nos conselhos estudados foi de 18%, 10% e 45%, respectivamente. Concluiu-se que, apesar da previsão legal da democracia participativa e do controle social, a participação cidadã ainda é limitada, caracterizando-se pela passividade dos representantes da sociedade civil. Além disso, há pouca transparência dos atos dos conselhos, evidenciada pela ausência de dados atualizados no Portal dos Conselhos Municipais de Curitiba ou em endereço eletrônico próprio, bem como pela forma sucinta de redação das atas das reuniões dos conselhos.

Palavras-chave


democracia participativa, controle social, conselhos gestores de políticas públicas, governança pública, participação cidadã.

Texto completo:

PDF

Referências


Alcântara, V., Pereira, J., & Silva, É. (2015). Gestão Social e Governança Pública: aproximações e (de) limitações teórico-conceituais. Revista de Ciências da Administração, 1(3), 11-29. https://doi.org/10.5007/2175-8077.2015v17nespp11

Almeida, C., Cayres, D. C., & Tatagiba, L. (2015). Balanço dos estudos sobre os conselhos de políticas públicas na última década. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, (94), 255-294. https://dx.doi.org/10.1590/0102-64452015009400009

Avritzer, L. (2008). Instituições participativas e desenho institucional: algumas considerações sobre a variação da participação no Brasil democrático. Opinião Pública, 14(1), 43-64. https://dx.doi.org/10.1590/S0104-62762008000100002

Avritzer, L., & Ramos, A. (2016). Democracia, escala y participación. Reflexiones desde las instituciones participativas brasileñas. Revista Internacional de Sociología, 74(3), e040. http://dx.doi.org/10.3989/ris.2016.74.3.040

Bevir, M. (2010). Democratic Governance. New Jersey: Princeton.

Bercovici, G. (2008). O federalismo no Brasil e os limites da competência legislativa e administrativa: memórias da pesquisa. Revista Jurídica da Presidência, 10(90), 1-18. http://dx.doi.org/10.20499/2236-3645.RJP2008v10e90-253

Cepiku, D. (2008). Public Governance: research and operational implications from a literature review. In D. Cepiku, M. Meneguzzo & M. Senese (Eds.), Innovations in public management and governance in Italy (pp. 97-113). Roma: Aracne.

Cozzolino, L. F. & Irving, M. A. (2015). Por uma concepção democrática de governança para a esfera pública. Revista de Políticas Públicas, 19(2), 497-508. http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rppublica/article/view/4326/2382

CURITBA. Prefeitura Municipal. (2011, 20 de dezembro). Lei Orgânica Municipal de Curitiba. https://www.cmc.pr.gov.br/down/Lei_Organica.pdf

Dagnino, E &. Teixeira, A. C. (2014). The participation of civil society in Lula’s government. Journal of Politics in Latin America, 6(3), 39–66. https://journals.sub.uni-hamburg.de/giga/jpla/article/view/793

Dias, T. & Cario, S. A. F. (2014). Sociedade, desenvolvimento e o papel estratégico do Estado: uma reflexão sobre o surgimento da governança pública. Ensaios FEE, 35(2), 337-362. https://revistas.fee.tche.br/index.php/ensaios/article/view/2876

Dias, T. & Cario, S. A. (2017). A gestão descentralizada adotada em Santa Catarina, o engajamento social e suas unidades regionais: de governo para governança no despontar do século 21. Revista Catarinense de Economia, 1(1), 183-210. http://apec.pro.br/rce/index.php/rce/article/view/17

Diegues, G. C. (2013). O controle social e participação nas políticas públicas: o caso dos conselhos gestores municipais. Revista NAU Social, 4(6), 82-93. https://portalseer.ufba.br/index.php/rs/article/view/31241/18609

Frey, K. (2004). Governança interativa: uma concepção para compreender a gestão pública participativa? Política e sociedade, 3(5), 119-138. https://periodicos.ufsc.br/index.php/politica/article/view/1982

Frey, K. Duarte, F. (2006). Auto-segregação e a gestão das cidades. Revista Ciências Sociais em Perspectiva, 5(9), 109-119. http://e-revista.unioeste.br/index.php/ccsaemperspectiva/article/view/1422/1154

Fuks, M. (2004). Democracia e participação no Conselho Municipal de Curitiba. In M. Fuks, R. M. Perissinotto & N. R. Souza. (org). Democracia e Participação: os Conselhos Gestores do Paraná. Curitiba: Editora UFPR. Referenciado o capítulo utilizado e o livro com demais organizadores

Fuks, M. & Casalecchi, G. A. (2018). Expandindo o conceito de competência política: conhecimento político e atitudes democráticas na América Latina. Revista Sociologia e Política, 26(68), 61-74. http://www.scielo.br/pdf/rsocp/v26n68/0104-4478-rsocp-26-68-0061.pdf

Gohn, M. G. (2004). Conselhos municipais e a gestão urbana. In O. A. Santos, Jr, L. C. Q. Ribeiro, & S. Azevedo (Eds.), Governança democrática e poder local: a experiência dos conselhos municipais no Brasil. Rio de Janeiro: Revan.

Gohn, M. G. (2011). Conselhos gestores e participação sociopolítica (4a ed.). São Paulo: Cortez.

Gohn, M. G. (2016). Gestão pública e os conselhos: revisitando a participação na esfera institucional. Revista de Estudos e Pesquisas sobre as Américas, 10(3). http://periodicos.unb.br/index.php/repam/article/view/14931

Gomes, E. G. (2015). Conselhos gestores de políticas públicas: aspectos teóricos sobre o potencial de controle social democrático e eficiente. Cadernos EBAPE.BR, 13(4), 894-909. https://dx.doi.org/10.1590/1679-395123196

IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. (2013). Conselhos nacionais: perfil e atuação dos conselheiros. http://www.ipea.gov.br/participacao/images/pdfs/relatoriofinal_perfil_conselhosnacionais.pdf

Kleba, M. E., Comerlatto, D., & Frozza, K. M. (2015). Instrumentos e mecanismos de gestão: contribuições ao processo decisório em conselhos de políticas públicas. Revista de Administração Pública, 49(4),1059-1079. http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/51621

Lüchmann, L. H. H., Almeida, C., & Gimenes, É. R. (2016). Gênero e representação política nos conselhos gestores no Brasil. Dados, 59(3), 789-822. https://dx.doi.org/10.1590/00115258201692

Martins, M. F., Martins, S., Oliveira, A. R. & Soares, J. B. (2008). Conselhos municipais de políticas públicas: uma análise exploratória. Revista do Serviço Público, 59(2), 151-185. https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/144

Matias-Pereira, J. (2010). Governança no Setor Público (1a ed.). São Paulo: Atlas.

Paula, A. P. (2005). Por uma nova gestão pública: limites e potencialidades da experiência contemporânea (1a ed.). Rio de Janeiro: Editora FGV.

Pereira, R. M., Roberto, R. F., Gava, R. & Silva, E. A. (2016). Conselhos gestores de políticas públicas: relações entre estado e sociedade civil no contexto local. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 5(1), 29-40. http://dx.doi.org/10.5585/rgss.v5i1.196

Portal dos Conselhos Municipais de Curitiba. (2018). Recuperado em 02 de janeiro de 2018, de http://portaldosconselhos.curitiba.pr.gov.br/conselho-municipal-de-saude-social/

Rojas Buvinich, D. P. (2014). O mapeamento da institucionalização dos conselhos gestores de políticas públicas nos municípios brasileiros. Revista de Administração Pública, 48(1), 55-82. https://dx.doi.org/10.1590/S0034-76122014000100003

Santos, O. A., Jr, Ribeiro, L. C., & Azevedo, S. (2004). Democracia e gestão local: a experiência dos conselhos municipais no Brasil. In O. A. Santos, Jr, L. C. Q. Ribeiro, & S. Azevedo (Eds.), Governança democrática e poder local: a experiência dos conselhos municipais no Brasil. Rio de Janeiro: Revan.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.