A INTERIORIZAÇÃO DOS CAMPI DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR (IFES) E SEUS IMPACTOS NO ESPAÇO URBANO: UM ESTUDO DE CASO A PARTIR DA CIDADE DE VIÇOSA-MG

Karine de Almeida Paula, Teresa Cristina de Almeida Faria

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir os impactos e a influência no processo de produção do espaço urbano dos municípios que abrigam as Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), tomando como Estudo de Caso o município de Viçosa-MG, onde se localiza a Universidade Federal de Viçosa (UFV). O estudo tem como foco analisar as transformações engendradas na zona central de Viçosa – MG, no tocante ao uso e ocupação do solo, a partir da instalação e ampliação das atividades da UFV, e o reflexo da presença da instituição na atuação dos promotores imobiliários locais. Para esta análise foram utilizados, como fonte de dados, os alvarás e habite-se de construções, obtidos junto ao IPLAM (Instituto de Planejamento Municipal), autarquia da Prefeitura Municipal de Viçosa/MG, assim como, levantamento de dados e informações nas imobiliárias e corretoras da cidade. A partir das análises e observações, é possível mensurar que, a UFV se mostra como um elemento norteador no processo de produção do espaço urbano por parte dos promotores imobiliários, assim como, no processo de transformação dos usos do solo. Dessa maneira, foi possível notar uma relação entre o processo de urbanização, a atuação dos promotores imobiliários e os planos de expansão da UFV.


Palavras-chave


Instituições de Ensino Superior (IFES); Uso e Ocupação dos Espaços; Promotores Imobiliários; Viçosa-MG

Texto completo:

PDF

Referências


Abramo, P. 2007a. A cidade com-fusa: a mão inoxidável do mercado e a produção da estrutura urbana nas grandes metrópoles latino americanas. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 9, n. 2, p. 25 – 54.

Abramo, P. 2007b. A cidade caleidoscópica: coordenação espacial e convenção urbana: uma perspectiva heterodoxa para a economia urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Amorim, C. C. 2010. O uso do território brasileiro e as instituições de ensino superior. 2010. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

Baumgartner, W. H. 2015a. Cidades universitárias, cidades medias, cidades pequenas: analises sobre o processo de instalação de novos campi universitários. Espaço aberto, PPGG – UFRJ, v. 5, n.1, 73 – 93.

Baumgartner, W. H. 2015b. Universidades públicas como agentes de desenvolvimento urbano e regional de cidades médias e pequenas: uma discussão teórica, metodológica e empírica. Revista GeoTextos, v. 11, n. 1, 91 – 111.

Correa, R. L. 2000. O espaço urbano. 4ª ed. São Paulo: Ática.

Correa, R. L. 2011. Sobre agentes sociais, escala e produção do espaço: um texto para discussão. In. CARLOS, Ana Fani Alessandri; SOUZA, M. L. de; SPOSITO, M. E. B. (org.). A produção do espaço urbano: agentes e processos, escalas e desafios. São Paulo: Editora Contexto, p.43 - 51

Fix, M. 2007. Alianças estratégicas na produção do espaço urbano. In. FIX, M. São Paulo cidade global: fundamentos financeiros de uma miragem. São Paulo: ANPUR, Boitempo. 113 – 137.

Maria, A. C. de S.; Faria, T. C. de A.; Stephan, I. I. C. Um retrato da evolução urbana de Viçosa-MG: impactos da federalização da UFV sobre a cidade (1969-2014). 2014. Revista Brasileira de Planejamento e Desenvolvimento, Curitiba, v. 3, n. 1, jan./jul, 37-54.

Magalhães, L. C. 2014. O campus universitário como equipamento singular do meio urbano: ensaio em Três Rios, Brasil. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Faculdade de Ciência e Tecnologia, Universidade Fernando Pessoa, Porto.

Paula, K. de A. 2013. A produção do espaço urbano vertical na zona central de Viçosa - MG, no período de 1980 - 2012. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

Paula, K. de A. 2019. O processo de verticalização na zona central da cidade de Viçosa-MG: uma análise a partir da expansão da Universidade Federal de Viçosa e do seu impacto na estruturação do espaço urbano. GeoTextos, vol. 15, n. 1, julho, 65-87

Pinheiro, C. H. L. 2018. Cidade, universidade e percepções docentes no contexto da expansão interiorizada do ensino superior público no Estado do Ceará. Revista INTERthesis, Florianópolis, v. 15, n. 2, maio/ago, 38 – 54.

Ramires, J. C. de L. 1998. A verticalização do espaço urbano de Uberlândia: uma análise da produção e consumo da habitação. 345 p. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade de São Paulo. São Paulo.

Sánchez, F. 2010. A cidade-mercadoria: produção do espaço e a lógica cultural nos processos de renovação urbana. In. Sanchez, F. A reinvenção das cidades para um mercado mundial. Chapecó, SC: Argos, 41-135.

Sanfeliu, C. B. 2011. La inserción de la Universidad en la estructura y forma urbana. El caso de la Universitat de Lleida. Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales, Universidad de Barcelona, v. XV, n. 381.

Stephan, I. 2016. Por amor as cidades. Recuperado em 12 de abril de 2019, de https://italostephanarquiteto.blogspot.com/2016/04/lindo-campus.html

Sayegh, L. M. L. 2009. A dinâmica urbana em Ouro Preto: conflitos decorrentes de sua patrimonialização e de sua consolidação como cidade universitária. 2009. 241f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal da Bahia, Salvador.

Vainer, C. 2000. Pátria, empresa e mercadoria. In: Arantes, O., Vainer, C.; MarICATO, E. A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. Petrópolis: Vozes, 75-103.

Weska, A. R.; Silva, A. S.; Lliescu, D.; Nascimento, H. M. N.; Martins, J. L.; Neder, M. L. C.; Silva, T. N.; Rodrigues, Y. P. 2012. Análise sobre a expansão das Universidades Federais 2003 a 2012. Relatório da Comissão Constituída pela Portaria nº 126/2012. Ministério da Educação (MEC): Brasília.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.