Cidades inteligentes: insights e contribuições das pesquisas brasileiras

Kellen Lazzaretti, Simone Sehnem, Fernando Fantoni Bencke

Resumo


O objetivo deste estudo foi identificar a rede de pesquisadores brasileiros que estudam cidades inteligentes e descrever as principais contribuições para o debate sobre o tema. Foi realizada a representação de redes de relacionamento para obter uma fotografia dos núcleos de pesquisa em "cidades inteligentes" e uma revisão sistemática da literatura das produções nacionais existentes. Os resultados demonstram que há uma predominância conceitual e empírica de cidades inteligentes que reúnem aspectos relacionados à Tecnologia da Informação e Comunicação e à qualidade de vida das pessoas, conectando-as, capacitando-as, a fim de promover interações constantes nas cidades e governança pública. Pesquisadores que estudam o assunto estão localizados principalmente na USP, PUC Campinas, UFPE e UNINOVE, no entanto, não foram evidenciadas redes de relações entre universidades na condução da pesquisa. O artigo auxilia na análise geral da pesquisa realizada no Brasil sobre cidades inteligentes, bem como, contribui para a discussão da necessidade de uma visão mais ampla do conceito de cidades inteligentes, que vai além da criação de TICs evidenciado neste estudo.


Palavras-chave


Cidades inteligentes; Redes; UCINET

Texto completo:

PDF

Referências


Afonso, R. A., Costa, L. C., Álvaro, A., & Garcia, V. C. (2015). SCiAl: Usando Dados Públicos para Agrupar Cidades Alagoanas. GESTÃO.Org - Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, 13(Especial ed.), 331-339, Recuperado em 12 de novembro de 2019, de http://www.spell.org.br/documentos/ver/41161/scial--usando-dados-publicos-para-agrupar-cidades-alagoanas/i/pt-br

Aguirre, T. F. A. (2017). Gerência de risco de enchentes em cidades inteligentes (Dissertação de Mestrado). Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas.

Alejandro, V.A. & Norman, A. G. (2005). Manual Introdutório à Análise de Redes Sociais. Mexico: Universidad Autonoma Del Estado de Mexico (UAEM). 2005.

Alexandri, A. (2018). Desafio: transformar Gonçalves (MG) em uma cidade conectada (Dissertação de mestrado). Mestrado Profissional em Produção Jornalística e Mercado, Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo.

Alperstedt Neto, C. A., Rolt, C. R. de, & Alperstedt, G. D. (2018). Acessibilidade e Tecnologia na Construção da Cidade Inteligente. Revista de Administração Contemporânea, 22(2), 291-310. https://dx.doi.org/10.1590/1982-7849rac2018170295

Aune, A. (2017). Human Smart Cities – O cenário brasileiro e a importância da abordagem joined-up na definição de Cidade Inteligente (Dissertação de Mestrado). Mestrado em Engenharia Urbana e Ambiental, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Avelar, E. A. M. (2017). MOBCACHE: mobilidade de provedor e armazenamento eficiente em redes sem fio orientadas a conteúdo (Tese de Doutorado). Pós-Graduação em Ciências da Computação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Pernambuco.

Batty, M., Axhausen, K.W., Giannotti, F., Pozdnoukhov, A., Bazzani, A., Wachowicz, M., Ouzounis, G., & Portugali, Y. (2012) Smart cities of the future. The European Physical Journal Special Topics, 214, 481–518. https://doi.org/10.1140/epjst/e2012-01703-3.

Berst, J. (2018). Four Steps to Smart City Success [Viewpoint]. IEEE Electrification Magazine, 6(2), 112–110. https://doi.org/10.1109/MELE.2018.2816849.

Borges, G. A. (2016). Um Mecanismo Abstrato de Autoadaptação para Sistemas de Sensoriamento Urbano (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Computação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Brandão, F. S. N. (2016). Cidades inteligentes e direito à cidade: a atuação das tecnologias da informação e comunicação na produção de duas perspectivas antagônicas de espaço urbano (Dissertação de Mestrado). Faculdade de Comunicação, Universidade de Brasília, Brasília.

Breiger, R. L. (2004). The analysis of social network, In M. Hardy, & A. Bryman (Eds.), Handbook of Data Analysis (1. Ed., p. 505-526). London: Sage Publications.

Bruhn, J. C. (2017). Proposta de modelo para estruturação de centros de controle integrados em cidades médias (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Gradução em Engenharia de Produção. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Byun, J., Kim, S., As, J., Kim, S., Shin, H-T., & Kim J-B. (2016). Smart city implementation Models Based on IoT Technology. Advanced Science and Technology Letters, 129, 209-212. http://dx.doi.org/10.14257/astl.2016.129.41

Camboim, G. (2018). The way to make cities smarter: evidences from Europe (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Caragliu, A.; Del Bo, C., & Nijkamp, P. (2011). Smart Cities in Europe. Journal of Urban Technology, 18(2), 65-82. http://dx.doi.org/10.1080/10630732.2011.601117

Cardoso, M. A. R. (2016). Alerta POA: um sistema de comunicação apoiado em redes de sensores sem fio para monitoração do Córrego Itaim (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas.

Cavalheiro, M. B. (2017). Understanding smart tourism destinations: evidence from smart city project implementation in an international tourism destination (Tese de Doutorado). Doutorado em Administração, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro.

Chourabi, H.; Nam, T.; Walker, S.; Gil-Garcia, J. R.; Mellouli, S.; Nahon, K.; Pardo, T. A.; Scholl, H. J. (2012) Understanding Smart Cities: An Integrative Framework. In 45th Hawaii International Conference on System Sciences (p. 2289-2297). Maui. http://dx.doi.org/10.1109/HICSS.2012.615

Cruz, C. E. M., Fonseca, C. B. S., & Silva, R. B. (2016). Estruturação de Living Labs e sua governança por temas da cidade inteligente: o caso da linha verde em Curitiba (Dissertação de Mestrado). Mestrado Profissional em Gestão e Políticas Públicas, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

Cruz, M. A. A. (2017). Performance Evaluation of IoT Middleware (Dissertação de Mestrado). Mestrado em Engenharia de Telecomunicações, Instituto Nacional de Telecomunicações, Santa Rita do Sapucaí.

Brasil (2017, 22 de novembro de 2017). Decreto n. 9.203, de 22 de novembro de 2017. Dispõe sobre a política de governança da administração pública federal direta, autárquica e fundacional. Brasília: Presidência da República Secretaria-Geral Subchefia para Assuntos Jurídicos. Recuperado em 16 de julho de 2019, de www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Decreto/D9203.htm

Diniz Junior, P. C. (2017). Serviços telemáticos em uma rede de transporte público baseados em veículos conectados e dados abertos (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Informática Industrial Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba.

Feltes, L. H. (2013). MD-UTS: um modelo para desenvolvimento de sistemas ubíquos de transporte (Dissertação de mestrado). Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo.

Ferraz, F. S. (2016). IDeM: An Identity-Driven Middleware for interoperable and heterogeneous systems (Tese de Doutorado).Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Freitas, J. A. (2014). Cidade inteligente búzios: entre paradigmas e percepções (Dissertação de mestrado). Mestrado Acadêmico em História, Política e Bens Culturais, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro.

Freitas, J. A (2018). A invenção da cidade inteligente Rio: uma análise do Centro de Operações Rio pela lente das mobilidades (2010-2016) (Tese de doutorado). Doutorado Acadêmico em História, Política e Bens Culturais, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro.

Gallo, D. S. (2016). Monitoramento colaborativo para cidades inteligentes (Tese de Doutorado). Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo.

Giffinger, R. et al. (2007). Smart Cities: Ranking of European Medium-sized Cities. Vienna: Centre of Regional Science, Final report October 2007. Recuperado em 12 de novembro de 2019, de http://www.smart-cities.eu/download/smart_cities_final_report.pdf

Gomes, F. M. (2017). A influência da modernização do sistema de controle de trens no consumo de energia do metrô de São Paulo (Dissertação de Mestrado). Programa de Mestrado em Cidades Inteligentes e Sustentáveis, Universidade Nove de Julho, São Paulo.

Guimarães, J. G. A. (2018). Cidades Inteligentes: proposta de um modelo brasileiro multi-ranking de classificação (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Hammi, B., Khatoun, R., Zeadally, S., Fayad, A., & Khoukhi, L. (2018). IoT technologies for smart cities . IET Networks, 7(1), 1–13. http://dx.doi.org/10.1049/iet-net.2017.0163

Hollands, R. G. (2008). Will the real smart city please stand up? City: analysis of urban trends, culture, theory, policy, action, 12(3), 303-320. https://doi.org/10.1080/13604810802479126

Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas Sociais (IBEPES) (2015). Institucional. Recuperado em 10 de novembro de 2019, de www.ibepes.org.br/?page_id=11.

Jordão, K. C. P. (2016). Cidades Inteligentes: uma proposta viabilizadora para a transformação das cidades brasileiras (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Infraestrutura Urbana, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas.

Klein, V. B. (2015). Uma proposta de modelo conceitual para uso de big data e open data para smart cities (Dissertação de mestrado). Programa de Pós- Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Kuhl, A. (2018). Developing and applying a smart city for development model: the case of COR in Rio de Janeiro (Dissertação de Mestrado). Mestrado Executivo Em Gestão Empresarial, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro.

Molina, R. (2017). Inovação em empresas de tecnologia de informação para mobilidade urbana sustentável (Dissertação de Mestrado). programa de mestrado profissional em empreendedorismo, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Moreira Neto, M. (2016). Flecha: um mecanismo preditivo para eleição de coletores semânticos em grupo de nós sensores sem fio (Dissertação de Mestrado). Programa De Pós-Graduação Em Engenharia De Teleinformática, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.

Nam, T., & Pardo, T. A. (2011). Conceptualizing Smart City with Dimensions of Technology, People, and Institutions. In Proceedings of the 12th Annual International Conference on Digital Government Research (p. 282-291) Maryland.

Neirotti, P., De Marco, A., Cagliano, A. C., Mangano, G., & Scorrano, F. (2014). Current trends in Smart City initiatives: Some stylised facts. Cities, 38, 25-36. https://doi.org/10.1016/j.cities.2013.12.010

Oliveira, A. A. A. M. (2018). Investigate and Analyse a City – INACITY (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências da Computação, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Orrego, R. B. S. (2017). CORE-MM: um modelo de crowdsourcing para cidades inteligentes baseada em gamificação (Dissertação de Mestrado). Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo.

Ortiz, L. N. (2017). Integração da tecnologia assistiva pessoal com a infraestrutura urbana: uma proposta para cidades inteligentes (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Infraestrutura Urbana, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas.

Pereira, G. V. (2016). Contribuição de Iniciativas de Cidades Inteligentes no Desenvolvimento Humano: Uma Análise da Percepção de Agentes de Centros de Operações Municipais no Brasil (Tese De Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Administração, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Pinheiro Junior, L., & Cavalheiro, L. D. (2017) Smart Cities: A Research Agenda of The Brazilian Smart Cities. Conference Paper. In 14th International Conference on Information Systems & Technology Management, (p. 1-21). São Paulo: CONTECSI. DOI:10.5748/9788599693131.

Recuero, R. (2017). Introdução à análise de redes sociais online. (1. Ed.). Salvador: EDUFBA.

Ribeiro, A. S. (2016). Cidades digitais e publicação de sistemas em nuvem: uma metodologia para a tomada de decisão (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica, Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

Rosendo, D. (2017). A High-Level Authorization Framework For Software-Defined Networks (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências da Computação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Rostirolla, G. (2016). ElCity: um modelo elástico e multinível de economia de energia para cidades inteligentes (Dissertação de mestrado). Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo.

Santos, A. S. (2018). Análise espaço temporal da qualidade do ar em vias urbanas por meio de redes de sensores com nós embarcados em ônibus coletivos (Tese de Doutorado). Departamento de Engenharia de Transportes, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Silva, W. M. (2014). GO!SIP: Um framework de privacidade para cidades inteligentes baseado em pessoas como sensores (Dissertação de Mestrado). Pós-graduação em Ciência da Computação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Telles, M. J. (2016). MASC: Um modelo computacional para cidades inteligentes assistivas (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo.

Tomas, G. H. R. P. (2014). Uma arquitetura para cidades inteligentes baseada na internet das coisas (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-graduação em Ciência da Computação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Universidade Nove de Julho (2019). Mestrado em Cidades Inteligentes e Sustentáveis: apresentação do programa. Recuperado em 06 de setembro de 2019, de www.uninove.br/mestrado-e-doutorado/programa-de-pos-graduacao-em-cidades-inteligentes-e-sustentaveis-ppg-cis/conheca-o-programa/apresentacao-do-programa/

Weiss, M. C. (2019). Cidades Inteligentes: Uma visão sobre a agenda de pesquisas em tecnologia da informação. Revista Brasileira de Gestão e Inovação – Brazilian Journal of Management & Innovation, 6(3), 162-187. https://doi.org/10.18226/23190639.v6n3.08

Zanella, A., Bui, N., Castellani, A., Vangelista, L., & Zorzi, M. (2014). Internet of Things for Smart Cities. IEEE Internet of Things Journal, 1(1), 22-33. https://doi.org/10.1109/JIOT.2014.2306328


Apontamentos

  • Não há apontamentos.