Índice de mobilidade para transporte urbano de carga

Cynthia Vargas Cuchava Rocha, Vania Barcellos Gouvea Campos, Renata Albergaria de Mello Bandeira

Resumo


O presente artigo propõe um índice de mobilidade para Transporte Urbano de Carga (TUC), que tem como objetivo subsidiar decisões sobre ações a serem implantadas, visando uma melhor circulação em regiões urbanas. Índices de mobilidade têm sido propostos para avaliação do deslocamento urbano de pessoas, porém, em relação à movimentação da carga pouco tem sido estudado no contexto de regiões urbanas. Para definição da composição do índice de mobilidade do TUC foi realizada uma pesquisa bibliográfica visando identificar as principais ações relacionadas com medidas físicas, operacionais e de planejamento para mitigar as externalidades do TUC. A partir desta revisão bibliográfica foi definido um conjunto de indicadores e subindicadores para composição do índice. Na formulação do índice, empregou-se o princípio de agregação de indicadores e, para definição dos pesos dos indicadores, utilizou-se um método de avaliação multicritério. O índice foi aplicado no centro da cidade de Niterói (RJ) e o valor resultante do índice, que avalia todas as condições existentes para o TUC, indicou que a área em análise tinha baixa mobilidade para transporte urbano de carga, carecendo de aplicação de medidas que revertam esse quadro.


Palavras-chave


Mobilidade; Transporte Urbano de Carga (TUC); Índice; Indicadores

Texto completo:

PDF

Referências


Abdala, I. M. de R.; A. Pasqualetto. (2013). Índice de mobilidade urbana sustentável em Goiânia como ferramenta para políticas públicas. Caderno Metropolitano, 15(30), 490-511. Recuperado em 13 de outubro de 2014, de http://www.cadernosmetropole.net/download/cm_artigos/cm30_272.pdf

Agência Portuguesa do meio Ambiente. (2011). Critérios de Boa Prática na Selecção de Medidas de Mitigação e Programas de Monitorização: Primeira aproximação. Recuperado em 16 de abril de 2014, de https://www.iaia.org/publicdocuments/special-publications/Boa Pratica _de Monitorização.pdf

Ballantyne, E. E., Lindholm, M., & Whiteing, A. (2013). A comparative study of urban freight transport planning: addressing stakeholder needs. Journal of transport geography, 32, 93-101.

Banco Mundial. (2015). World Development Indicators: Urbanization. Recuperado em 12 de outubro de 2015, de http://wdi.worldbank.org/table/3.12

Banister, D., Stead D.,Steen, P., Akerman, J., Dreborg, K., Nijikamp, P., Tappeser R. S. (2000). Targets for Sustainability Mobility, European Transport Policy and Sustainability (cap.8 , p. 119). London: Spon Press.

Bestufs: Guia de Boas Práticas no Transporte Urbano de Mercadorias. Alemanha: Bestufs, (2013). Recuperado em 12 de outubro de 2015, de http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:tF8wg2YzDJkJ:www.bestufs.net/download/BESTUFS_II/good_practice/Portuguese_BESTUFS_Guide.pdf+&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br

Betanzo-Quezada, E., & Romero, J. A. (2010). An urban freight transport index. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 2(3), 6312-6322.

Bozzo, R., Conca, A., & Marangon, F. (2014). Decision support system for city logistics: literature review, and guidelines for an ex-ante model. Transportation Research Procedia, 3, 518-527.

Campos, V. B. G. & Ramos, R. A. R. (2005). Proposta de índice de mobilidade sustentável para áreas urbanas. 2005b. Recuperado em 30 de outubro de 2015, de http://aquarius.ime.eb.br/~webde2/prof/vania/pubs/(22)INDICE.pdf

Campos, V. B. G. (2006). Uma visão da mobilidade urbana sustentável. Revista dos Transportes Públicos, 2, 99-106. Recuperado em 25 de março de 2015, de http://aquarius.ime.eb.br/~webde2/prof/vania/pubs/(3)UMAVISAODAMOBILIDADE.pdf

C-Liege. (2010). Clean Last Mile Transport and Logistics Management for Smart and Efficient Local Governments in Europe. Roma: C-liege. Recuperado em 12 de novembro de 2015, de http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:lY2OTVpJCvcJ:www.c-liege.eu/fileadmin/Media/c-liege.eu/Downloads/C-Liege_1_Brochure_Portugal.pdf+&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br

Costa, M. S. (2003). Mobilidade Urbana Sustentável: Um Estudo Comparativo e as Bases de Um Sistema de Gestão para Brasil e Portugal. 2003. 196f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Transportes). Programa de Pós- Graduação em Engenharia de Transportes, Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, São Carlos.

Costa, M. S. (2008). Um Índice de Mobilidade Urbana Sustentável. Tese (Doutorado em Transportes). Universidade de São Paulo. Escola de Engenharia de São Carlos, São Carlos, São Paulo.

Crainic, T. G., Ricciardi, N. E. Storchi, G. (2004). “Advanced freight transportation systems for congested urban areas”. Transportation Research Part C, 12, 119–137.

Domínguez, A., Holguín-Veras, J., Ibeas, A. & Dell’olio, L. (2012) Receivers’ response to new urban freight policies. Procedia - Social and Behavioral Sciences, 54, 886–896.

Dutra, N. G. da S. (2004). O enfoque de "citylogistics" na distribuição urbana de encomendas. 2004. 229 f. Tese (Doutorado). Curso de Programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Emberger, G. (2004). Plume - Planning and Urban Mobility in Europe: Synthes is Reporton Urban Freight Transport Measures: Plume. Recuperado em 20 de dezembro de 2014, de http://www.cabri-volga.org/DOC/EG4/PLUME.pdf

Gatta, V. & Marcucci, E. (2014). Urban freight transport and policy changes: Improving decision makers' awareness via an agent-specific approach. Transport policy, 36, 248-252.

Gayda, S., Haag, G., Besussi, E., Lautso, K., Nol, C., Martino, A. (2005). The SCATTER Project - Sprawling Cities and Transport: From Evaluation to Recommendations. 2. União Européia.

Holguín-Veras, J. (2015). Improving Freight System Performance in Metropolitan Area: A Planning Guide. TRB’s National Cooperative Freight Research Program (NCFRP) Report 33. Washington, Dc, USA.

IMTT - Instituto Da Mobilidade E Dos Transportes Terrestres. (2011). Guia para a elaboração de planos de mobilidade e transportes. Lisboa: Imtt. Recuperado em 15 de julho de 2014, de http://www.conferenciamobilidade.imtt.pt/pacmob/guia_pmts/Guia_para_a_elaboracao_de_PMT_Marco_2011.pdf

Lagorio, A., Pinto, R., & Golini, R. (2016). Research in urban logistics: a systematic literature review. International Journal of Physical Distribution & Logistics Management, 46(10), 908-931.

Lautso, K. (2004). PROPOLIS – Planning and Research of Policies for Land Use and Transport for Increasing Urban Sustainability. Recuperado em 15 de outubro de 2015, de http://www.transport-research.info/web/projects/project_details.cfm?ID=4385

Leonardi, J., Browne, M., Allen, J., Bohne, S., & Ruesch, M. (2014). Best practice factory for freight transport in Europe: demonstrating how ‘good’urban freight cases are improving business profit and public sectors benefits. Procedia-Social and behavioral sciences, 125, 84-98.

Lindhome, M. & Behrends, S. (2012). Challenges in urban freight transport planning – a review in the Baltic Sea Region. Journal of Transport Geography, 22 , 129–136.

Lindholm, M. E., & Blinge, M. (2014). Assessing knowledge and awareness of the sustainable urban freight transport among Swedish local authority policy planners. Transport policy, 32, 124-131.

Macharis, C., Melo, S. (2011). City Distribution and Urban Freight Transport: Multiple Perspectives. Edward Elgar Publisher, Cheltenham.

III Megacity Logistics Workshop, 3, 2015. Rio de Janeiro: Anpet, 2015. p. 1 - 7. Disponível em: . Acesso em: 01 dez. 2015.

Minken, H.; Samstad, H. & Putz, K. (2001). Task 11 Report: Proposal for Objectives and Indicators in Urban Land Use and Transport Planning for Sustainability. PROSPECTS - Procedures for Recommending Optimal Sustainable Planning of European City Transport Systems. TØI Working Report 1183/2001: Oslo.

Muñuzuri, J., Larrañeta, J., Onieva, L., Cortés, P. (2005) Solutions applicableby local administrations for urban logistics improvement. Cities, 22(1), 15-28.

Muñuzuri, J., Cortés, P., Guadix, J., & Onieva, L. (2012). City logistics in Spain: Why it might never work. Cities, 29(2), 133-141.

Nuzzolo, A. & Comi, A. (2014). Urban freight demand forecasting: a mixed quantity/delivery/vehicle-based model. Transportation Research Part E: Logistics and Transportation Review, 65, p. 84-98.

Ogden, K. W. (1992). Urban Goods Movement: NA Guide to policy and Planning. Ashgate Publishing Company. Burlington, VT, United States.

Oliveira, G. F. de. (2015). Percepção dos agentes envolvidos na logística urbana em belo horizonte: um estudo exploratório. 2015. 126 f. Dissertação (Mestrado). Curso de Geotecnia e Engenharia de Transportes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

ONU. Nações Unidas. (2013). ONU: mais de 70% da população mundial viverá em cidades até 2050. Recuperado em 01 de janeiro de 2019, de http://nacoesunidas.org/onu-mais-de-70-da-populacao-mundial-vivera-em-cidades-ate-2050/

Paradeda, D., KRAUS JR, W. & Carlson, R. (2014). Implantação de Faixas Exclusivas para Ônibus: Efeito da Troca Modal no Tráfego de Automóveis (v. 1. p. 1-12). In: Anais do XXVIII Congresso de Pesquisa e Ensino em Transportes. Rio de Janeiro: Associação Nacional de Pesquisa e Ensino em Transportes - ANPET.

Pfeffer, G. (2018). Niterói, com o pior trânsito, planeja mobilidade. Recuperado em 01 de junho de 2019, de https://www.mobilize.org.br/noticias/10910/niteroi-com-o-pior-transito-planeja-a-mobilidade.html

Pivo, G. et al. (2002). Learning from truckers: truck drivers' views on the planning and design of urban and suburban centers. Journal of Architectural And Planning Research, Chicago, 12-29.

Roumboutsos, A., Kapros, S. & Vanelslander, T. (2014). Green city logistics: Systems of Innovation to assess the potential of E-vehicles. Research in Transportation Business & Management, 11, 43–52.

Russo, F. ; Comi, A. (2011) Measures for Sustainable Freight Transportation at Urban Scale: Expected Goals and Tested Results in Europe. Journal of Urban Planning and Development 137(2):142-152 · July 2011

Saaty, T. A, (1977). Scaling method for priorities in hierarchical structures. Journal of Mathematical Psychology, 15, 234-281.

Silva, A. J. da. (2006). Contribuição ao planejamento do transporte urbano de carga pela análise física do espaço urbano. 2006. 148 f. Dissertação (Mestrado). Curso de Engenharia de Transportes, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Silva, L.; Silva R. da. (2009). Planejamento estratégico de uma experiência pedagógica inovadora. Revista Minerva, 6, 99-106.

Silva, R. C. da. (2012). Contribuição ao planejamento do transporte urbano de carga pela análise física do espaço urbano: estudo da área da rua do catete e largo do machado no Rio de Janeiro. 2012. 88 f. Dissertação (Mestrado). Curso de Pós Graduação em Engenharia de Transportes, Coppe, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Sinarimbo, N. G. (2005). Freight transport management in the central business district: Na Empirical Analysis of the Trafficand Environmental Impacts of the Cooperative Delivery System. 2005. 233 f. Tese (Doutorado). Curso de Logística e Engenharia da Informação, TokyoUniversityOf Marine Science And Technology, Tokyo.

Transport Research & Innovation Portal. (2004). City Freight: Inter and Intra Urban Freight Distribution Networks. Recuperado em 05 de janeiro de 2019, de https://trimis.ec.europa.eu/project/inter-and-intra-urban-freight-distribution-networks#tab-results

Visser, J; Van Binsbergen, A; Nemoto, T. (1999). Urban freight transport policy and planning. In: Symposium On City Logistics, 1. Caims. Paper.

WBCSD. Mobility 2030: Meeting the challenges to sustainability. 1111. ed. Aaaa: Wbcsd, 2004. Recuperado em 05 de novembro de 2015, de http://www.wbcsd.org/web/publications/mobility/mobility-full.pdf


Apontamentos

  • Não há apontamentos.