Inundações em Teresina-Piauí: uma questão socio-histórica

Edmundo Ximenes Rodrigues Neto, Antônia Jesuíta de Lima

Resumo


O presente artigo analisa o fenômeno das inundações como questão socio-histórica em Teresina-Piauí. Examina as representações sócio-espaciais construídas e as ações governamentais em torno dessa problemática. Apoia-se em matérias de periódicos locais e documentos oficiais e parte do pressuposto de que as enchentes e seus impactos na cidade são vistos como desastres sobrenaturais e/ou naturais, influenciando o modo sob o qual as ações governamentais são adotadas, isto é, ora com um caráter reativo e assistencialista, ora sob um viés tecnocrático, desconsiderando as dimensões histórica, social e política que revestem o fenômeno.


Palavras-chave


inundações, representações sócio-espaciais; ações governamentais.

Texto completo:

PDF

Referências


A GRANDE desgraça. Folha da Manhã, Teresina, Piauí, p. 2, nº 682, 27 mar. 1960.

A VERDADE dos fatos. Folha da Manhã, Teresina, Piauí, p. 4, nº 703, 04 mai.1960.

ALAGADOS expulsos de terrenos por policiais. O DIA, Teresina, Piauí, 21 mai. 1985.

ALAGADOS invadem terrenos na zona Norte. Jornal da Manhã, Teresina, Piauí, 21 mai.1985.

ALASTRA-SE o flagelo das inundações. Folha da Manhã, Teresina, Piauí, p. 6, nº 679, 27 mar. 1960.

Amaral, R. do & Ribeiro, R. R. (2009). Inundações e enchentes. In Tominaga, L. K; Santoro, J.; Amaral, R. do. (Orgs.) Desastres naturais: conhecer para prevenir. São Paulo: Instituto Geológico.

Arantes, O. (2002). Uma estratégia fatal: a cultura nas novas gestões urbanas. In Arantes, O.; Vainer, C. B.; Maricato, E (Org.). A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. Rio de Janeiro: Vozes. p. 75-103.

Araújo, M. M. B. (1995). Cotidiano e pobreza: a magia da sobrevivência em Teresina (1877-1914). Teresina: Fundação Cultural Monsenhor Chaves.

Brasil (2015). Ministério da Integração Nacional. Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Detalhamento da Poligonal PI-TE-SR-08 do Relatório de Mapeamento de Risco e Desastres Naturais. Trecho: Avenida Boa Esperança, entre a rua Minas Gerais e o Restaurante Pesqueirinho. Teresina.

Brasil (abril de 2014). Ministério da Integração Nacional. Relatório 1730-R7-14: Município de Teresina, PI – Lote 11: Levantamento de dados sobre áreas e setores de riscos de desastres do município de Teresina – PI. Pangea Geologia e Estudos Ambientais, São Paulo. Recuperado em 12 de outubro de 2017 de http://semplan.teresina.pi.gov.br/wp-content/uploads/2014/11/Teresina-Mapeamento-de-Riscos-de-Desastres-1.pdf.

Caldeira, T. P. do R. (2000). Segregação urbana, enclaves fortificados e espaço público. In Caldeira, T. P. do R. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: Edusp.

CALAMIDADE pública é quadro aterrador que enfrentamos. (1960). Jornal do Piauí, Teresina, Piauí, 902, 1.

Cavion, R. (2014). Cidade sob(re) as águas: Estratégias de ação e de políticas urbanas (Tese de Doutorado). Departamento de Geografia. Universidade de São Paulo, São Paulo.

CEARÁ e Piauí enfrentam drama de uma calamidade (1960). Jornal do Piauí, Teresina, Piauí, p. 4, nº 901, 27 mar. 1960.

Chaves, M. (1998). Obra completa. Teresina: Fundação Cultural Monsenhor Chaves.

Chaves, S. V. V.; Andrade, C. S. P. de. (2017). A incidência dos desastres naturais em Teresina, Piauí e o perfil da população vulnerável às inundações. Caderno de Geografia, 27(1) 159-188.

Chaves, S. V. V.; Andrade, C. S. P. de.; TAVARES, A. C. ANDRADE, C. S. P. de. Vulnerabilidade às inundações em Teresina, Piauí, e ações mitigadoras do poder público. Sociedade e Território, 29, 175-197.

Corrêa, R. L. (2014). Sobre agentes sociais, escala e produção do espaço: um texto para discussão. In Carlos, A. F. A., Souza, M. L., Sposito, M. E. B. (Org.). A produção do espaço urbano: agentes, processos, escalas e desafios. São Paulo: Contexto.

Cruz, S. H. R. (2012). Grandes projetos urbanos em metrópoles amazônicas: segregação social e moradia em Belém e Manaus. (Tese de Doutorado). Programa de Pós-graduação em Desenvolvimentos Sustentável no Trópico Úmido. Universidade Federal do Pará, Belém.

Costa Filho, A. (2002). Sob o signo das águas: a gênese urbana piauiense. Scientia et Spes, 1(2) 15-34.

DESABRIGADOS invadem casas no conjunto São Joaquim. O DIA, Teresina, Piauí, 1985.

ENCHENTES deixam desabrigo e fome. O Estado, Teresina, Piauí, p. 6, 27 mar. 1974.

FLAGELADOS reagem a ação de despejo. O Estado, Teresina, Piauí, 5 jul. 1985.

GOVERNO irresponsável, Jornal do Piauí, Teresina, Piauí, p. 1, n. 907, 07 abr. 1960.

IBGE (2008). Regiões de influência das cidades, 2007. Coordenação de Geografia. Rio de Janeiro. Recuperado em 15 de junho de 2015 de http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv40677.pdf.

IBGE (2010). Censo Demográfico 2010. Recuperado em 4 de junho de 2017 de http://seriesestatisticas.ibge.gov.br/series.aspx?vcodigo=CD77.

IBGE (2015). Mapas: bases e referências, 2015. Recuperado em 12 de janeiro de 2018 de ftp://geoftp.ibge.gov.br/organizacao_do_territorio/malhas_territoriais/malhas_municipais/municipio_2015/.

IBGE (2017). Cidades. Recuperado em 15 de dezembro de 2017 de https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pi/teresina/historico.

Lago, L. C. (2000). Desigualdades e segregação na metrópole: o Rio de Janeiro em tempo de crise. Rio de Janeiro: Revan.

Lefebvre, H. (2006). A produção do espaço. Tradução: Doralice Barros Pereira e Sérgio Martins, [S.I.: s.n.], 2006a. Recuperado em 11 de abril de 2016 de https://pt.scribd.com/doc/133178040/Henri-Lefebvre-A-producao-do-espaco-cap-1-1-pdf.

Lima, A. J. de. (2003). As multifaces da pobreza: formas de vida e representações simbólicas dos pobres urbanos. Teresina: Halley.

Lima, I. M. de. M. F. (2002). Teresina: urbanização e meio-ambiente. Scientia et spes: Revista do Instituto Camilo Filho, 1 (2) 181-206.

Lima, I. M. de. M. F. (2016). Teresina: o relevo, os rios e a cidade. Revista Equador (UFPI), 5(3), 375–397. Recuperado em 13 de setembro de 2017 de http://www.ojs.ufpi.br/index.php/equador.

Lima, P. H. G de. (2001). Promoção Imobiliária em Teresina/PI: uma análise do desenvolvimento da produção privada de habitações – 1984/1999 (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano. Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

LIONS, víveres para os flagelados. Jornal do Piauí. Teresina, Piauí, 14 abr. 1960.

Maricato. E. (2001). Brasil, cidades: alternativas para a crise urbana. Rio de Janeiro: Vozes.

Monte, R. L. (2010). A cidade esquecida (res) sentimentos e representações dos pobres em Teresina na década de 1970 (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em História do Brasil. Universidade Federal do Piauí, Teresina.

Monteiro, C. A. F. (2015). Rua da Glória 3: no tempo dos revoltosos (1921-1934). Teresina: EDUFPI.

Moura, M. G. B. de & Lopes, W. G. R. (2006). Lagoas da zona norte de Teresina e seus entornos: uma análise ambiental. In: III Encontro da ANPASS (p.1-16). ANPASS. Brasília, DF, 23 a 26 de maio de 2006. Recuperado em 21 de maio de 2016 de http://anppas.org.br/encontro_anual/encontro3/GT8.html.

Nascimento, F. A. (2002). A Cidade sob o fogo: modernização e violência policial em Teresina (1937-1945). Teresina: Fundação Cultural Monsenhor Chaves.

NOTA Oficial da UPES. Jornal do Piauí, Teresina, Piauí, p. 6, 26 mar. 1960.

O PARNAÍBA. A Imprensa, Teresina, Piauí, 25 de fev. 1926.

PALÁCIO do governo: nota oficial. Folha da Manhã, Teresina, Piauí, p.4, nº680, 29 mar. 1960.

PARNAÍBA invade a margem direita e inunda as casas. O Estado, Teresina, Piauí, 23 de mar. 1974.

Piauí (05 de janeiro de 1975). Mensagem do governador, Relatório de Gestão ano de 1974. Teresina: COMEPI.

Piauí (09 de outubro de 2015). Ministério público. 44ª Promotoria de Justiça da Fazenda Pública. Procedimento Preparatório – nº 15. Assunto: Possíveis irregularidades no reassentamento das famílias e imóveis da 2ª fase do Programa Lagoas do Norte.

POLICIAIS usam metralhadoras e expulsão alagados no Aeroporto. O Estado, Teresina, Piauí, 21 mai. 1985.

Rodrigues Neto, E. X. & Lima, A. J. (2018). Representações sócio-espaciais sobre áreas de intervenção de grandes projetos urbanísticos: diferentes modos de apropriação e relação de agentes sociais sobre a área do Programa Lagoas do Norte em Teresina-PI. Geografia em questão, 11(11) 106-130.

Rolnik, R. (2015). Guerra dos lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças (1 ed.). São Paulo: Boitempo.

Rolnik, R. & Nakano, K. (2000). Cidades e políticas urbanas no Brasil: velhas questões, novos desafios. In Rattner, H. (Org.). Brasil no limiar do século XXI: alternativas para a construção de uma sociedade sustentável. São Paulo: EDUSP.

Sales, M. S. T. M. & Albuquerque, L. B. (2002). Teresina e sua condição urbana. In II Encontro de Pesquisa em Educação da UFPI, (v. 1 p. 1-13). Teresina: EDUFPI. Recuperado em 12 de novembro de 2017 de http://leg.ufpi.br/subsiteFiles/ppged/arquivos/files/eventos/evento2002/GT.15/GT15_2_2002.pdf.

Santos, M. (2006). A natureza do espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, EDUSP.

Silva, M. M. A. (2013). Água em meio urbano, favelas nas cabeceiras (Tese de doutorado). Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Arquitetura, Belo Horizonte.

Souza, M. L. (2014). A cidade, a palavra e o poder: práticas, imaginários e discursos heterônomos e autônomos na produção do espaço urbano. In Carlos, A. F. A., Souza, M. L. de, Sposito, M. E. B. (Org.). A produção do espaço urbano: agentes, processos, escalas e desafios. São Paulo: Contexto.

Teresina (março de 2007). Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação Geral. Avaliação ambiental do Programa de Melhoria da qualidade ambiental de Teresina – Programa Lagoas do Norte. Relatório de Avaliação Ambiental – RAA. Teresina.

Teresina (2007). Programa Lagoas do Norte – Marco de Reassentamento Involuntário das famílias e imóveis afetados pela implantação do PLN. Teresina.

Teresina (2008). Marco Operacional do Programa Lagoas do Norte. Teresina.

Teresina (2014a). Avaliação ambiental do Programa Lagoas do Norte, fase 2. Teresina.

Teresina (2014b). Vídeo divulgação das ações e mudanças que o Programa Lagoas do Norte tem proporcionado na região. Produção/Criação de PLUG propaganda/UPJ [Produções], publicado na página@LagoasDoNorte em 18 de novembro de 2014a. Recuperado em 17 de dezembro de 2016 de https://www.facebook.com/LagoasDoNorte/videos/375223842653641/.

TERESINA viveu um drama (2009). Reveja a pior enchente da história. Portal 180 graus. Teresina, Piauí, 17 mai. 2009. Recuperado em 12 de outubro de 2017 de https://180graus.com/geral/teresina-viveu-um-drama-reveja-a-pior-enchente-da-historia-fotos-197962.

Ultramari, C. (2005). O fim das utopias urbanas. São Paulo: Studio Nobel.

VILA Tancredo dos alagados já possuem 100 famílias (1985). O DIA, Teresina, Piauí, 14 jun.

Zanirato, S, Ramires, J. Z. S.; Amicci, A. G. N.; Zulimar, M. R. & Ribeiro, W. C. (2008). Sentidos do Risco: interpretações teóricas. Revista Bibliográfica de Geografía y Ciencias Sociales, XIII (785) (p.1-12). Série documental de geocrítica, 25 de maio de 2008. Universidad de Barcelona. Recuperado em 22 de meio de 2016 de http://www.ub.edu/geocrit/b3w-785.htm.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.