Algumas considerações sobre a reforma urbana Pereira Passos

Mayara Grazielle Consentino Ferreira da Silva

Resumo


O presente artigo é uma revisão de literatura sobre a Reforma Urbana Pereira Passos empreendida no Rio de Janeiro, então capital do Brasil, durante o mandato do presidente Rodrigues Alves e do prefeito Pereira Passos, entre 1902 e 1906. Ela representou a primeira grande intervenção urbana na cidade do Rio de Janeiro. O objetivo é discutir as reformas urbanas, visando trazer elementos ainda não tão explorados e possibilitando uma outra visão sobre as transformações urbanas e sobre o próprio prefeito, a fim de enriquecer a discussão e desmistificar alguns fatos. Nesse sentido, o que a historiografia chamou de Reforma Urbana Pereira Passos, na verdade, foram duas reformas empreendidas em um mesmo tempo e espaço, porém com autores e propostas diferentes. Além disso, cartas trocadas entre o prefeito e o engenheiro Alfredo Américo de Souza Rangel revelam opiniões do prefeito pouco esperadas, relacionadas às transformações na capital. O trabalho consiste em uma pesquisa bibliográfica e análise documental por meio de fontes oficiais e primárias.


Palavras-chave


reforma urbana; Pereira Passos; Rio de Janeiro

Texto completo:

PDF

Referências


Abreu, M. A. (2003). Da habitação ao hábitat: a questão da habitação popular no Rio de Janeiro e sua evolução. Revista Rio de Janeiro, (10), 161-177.

Azevedo, A. N. (1998). Entre o progresso e a civilização: o Rio de Janeiro nos traçados de sua capitalidade (Dissertação de mestrado). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Azevedo, A. N. (2003). A Reforma Pereira Passos: uma tentativa de integração urbana. Revista Rio de Janeiro, (10), 39-79.

Benchimol, J. L. (1992). Pereira Passos: um Haussmann tropical. A renovação urbana da cidade do Rio de Janeiro no início do século XX. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Esportes, Departamento Geral de Documentação e Informação Cultural, Divisão de Editoração.

Del Brenna, G. R. (1985). O Rio de Janeiro de Pereira Passos: uma cidade em questão II. Rio de Janeiro: Index.

Freire, B. P. (1993). O sonho de ser Paris: rio de Janeiro e Buenos Aires na virada do século. In: Anais do V Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional (pp. 17-31). Belo Horizonte: ANPUR.

Lenzi, M. I. R. (2000). Pereira Passos: notas de viagens. Rio de Janeiro: Sextante Artes.

Lenzi, M. I. R. (2003). Francisco Pereira Passos - Possibilidade de um outro olhar. Revista Rio de Janeiro, (10), 133-141.

Mella, J. L. V. (2003). Temporalidade e identidade. O jogo do bicho no Rio de Pereira Passos. Revista Rio de Janeiro, (10), p. 109-124.

Needell, J. D. (1993). Belle époque tropical: sociedade e cultura de elite no Rio de Janeiro na virada do século. São Paulo: Companhia das Letras.

Passos, F. P., Jardim, J. R. de M., & Silva, M. R. (1875). Primeiro relatório da comissão de melhoramento da cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Typografia Nacional.

Passos, F. P., Jardim, J. R. de M., & Silva, M. R. (1876). Segundo relatório da comissão de melhoramento da cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Typografia Nacional.

Pereira, S. G. (1992). A reforma urbana de pereira passos e a construção da identidade carioca. Rio de Janeiro: ECO/UFRJ.

Prefeitura do Distrito Federal. (1903). Melhoramentos da cidade projetados pelo prefeito do distrito federal, Dr. Francisco Pereira Passos. Rio de Janeiro: Typografia da Gazeta de Notícias.

Rago, L. M. (1985). Do cabaré ao lar: a utopia da cidade disciplinar (3. ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Rocha, O. P. (1995). A era das demolições: cidade do Rio de Janeiro, 1870-1920 (2. ed.). Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, Departamento Geral de Documentação e Informação Cultural, Divisão de Editoração.

Santana, F. T. M., & Soares, M. R. (2009). Reformas Passos: cem anos de uma intervenção excludente. In XII Encuentro de Geógrafos de América Latina (pp. 1-12.). Montevideo: EGAL.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.