Equipamentos culturais, hábitos e território: um estudo de caso do Espaço do Conhecimento UFMG

Alice Demattos Guimarães, Sibelle Cornélio Diniz

Resumo


Este artigo investiga a relação entre equipamentos culturais, hábitos e território a partir do caso do Espaço do Conhecimento UFMG – ECUFMG. A localização desse equipamento em área nobre de Belo Horizonte, como fruto de uma política pública, levanta questões sobre seu reconhecimento e legitimidade diante dos diversos grupos de habitantes da cidade. Nesse sentido, foi investigado se o ECUFMG consegue quebrar a estrutura social circunscrita no território físico e ser, assim, frequentado por distintos públicos. A pesquisa de campo constatou um perfil homogêneo entre os visitantes espontâneos – alta escolaridade, alta renda e alto hábito cultural –, indicando ainda que a localidade de residência não é fator determinante para a apropriação desse espaço. Percebeu-se a existência de uma barreira ao acesso relacionada às questões de pertencimento e à falta de informações sobre o ECUFMG e seus atrativos, o que aponta para a importância do trabalho educativo e formativo junto aos diversos públicos.

Palavras-chave


cultura; território; hábitos culturais; equipamentos culturais

Texto completo:

PDF

Referências


Ateca-Amestoy, V. (2008). Determining heterogeneous behavior for theater attendance. Journal of Cultural Economics, 32(2), 127-151. http://dx.doi.org/10.1007/s10824-008-9065-z.

Bille, T., & Schulze, G. G. (2008). Culture in urban and regional development. In V. Ginsburgh, & D. Throsby (Eds.), Handbook of the economics of art and culture (2a ed., pp. 1051-1099). Oxford: North-Holland Elsevier.

Bourdieu, P. (1996). Physical space, social space and habitus. Oslo: Institutt for sosiologi og samfunnsgeografi, Unversitetet i Oslo.

Bourdieu, P. (2007). A distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Zouk.

Caldeira, J. M. (1998). Praça da Liberdade: trajetória de um território urbano. In Anais do IV Seminário de História da Cidade e do Urbanismo. Rio de Janeiro: UFRJ.

Canclini, N. G. (2010). Consumidores e cidadãos: conflitos culturais da globalização. Rio de Janeiro: Editora UFRJ.

Diniz, S., & Machado, A. F. (2011). Analysis of the consumption of artistic-cultural goods and services in Brazil. Journal of Cultural Economics, 35(1), 1-18. http://dx.doi.org/10.1007/s10824-010-9129-8.

Espaço do Conhecimento UFMG. (2017). Belo Horizonte: UFMG. Recuperado em 7 de outubro de 2017, de http://www.espacodoconhecimento.org.br/

Furtado, C. (1984). Cultura e desenvolvimento em época de crise. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

Haguette, T. M. F. (2001). Metodologias qualitativas na sociologia. São Paulo: Vozes.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2011). Censo Demográfico 2010. Características da população e dos domicílios: resultados do universo. Rio de Janeiro: IBGE.

Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA. Circuito Liberdade. (2017). Pesquisa de Público do Circuito Liberdade 2017. Belo Horizonte: Governo do Estado de Minas Gerais.

Instituto Pró-Livro – IPL. (2016). Pesquisa retratos da leitura no Brasil. Recuperado em 20 de setembro de 2017, de http://prolivro.org.br/home/images/2016/Pesquisa_Retratos_da_Leitura_no_Brasil_-_2015.pdf

Lefébvre, H. (1991). The production of space. Oxford: Blackwell.

Lefébvre, H. (2004). O direito à cidade. São Paulo: Centauro.

Markusen, A., & Schrock, G. (2006). The artistic dividend: urban artistic specialization and economic development implications. Urban Studies (Edinburgh, Scotland), 43(10), 1661-1686. http://dx.doi.org/10.1080/00420980600888478.

Monte-Mór, R. L. M. (1994). O que é o urbano no mundo contemporâneo. Belo Horizonte: Cedeplar/UFMG.

Perloff, H. (1979). Using the arts to improve life in the city. Journal of Cultural Economics, 3(2), 1-21. http://dx.doi.org/10.1007/BF02427550.

Rubim, A. A. C. (2010). Políticas culturais para as cidades. Salvador: EDUFBA.

Throsby, D. (2001). Economics and culture. Cambridge: Cambridge University Press.

Tonucci, J. B. M., Fo. (2013). Espaço e território: um debate em torno de conceitos-chave para a geografia crítica. Revista Espinhaço, 2(1), 41-51.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.