VIA VERDE: NOVA EXPRESSÃO DE CENTRALIDADE EM RIO BRANCO, ACRE-BRASIL

Janete Farias Mendonça, Maria Madalena de Aguiar Cavalcante, Maria de Jesus Morais

Resumo


O presente texto traz uma discussão acerca da valorização imobiliária em Rio Branco, capital do estado do Acre. O poder público como forma direcionar o crescimento urbano para outra porção da cidade decide criar um novo centro administrativo e descentralizar alguns serviços. A área destinada a receber esses serviços é a Via Verde. A princípio um lugar com grandes extensões de “espaços vazios” que aos poucos foi sendo ocupado. Esta Via é parte da BR-364 que foi pavimentada em 2006 e, que a partir da materialização de investimentos públicos e privados, ano após anos, tornou-se a área mais valorizada da cidade. Esse processo promove um mercado imobiliário formal restrito, que limita o acesso de grande parte da população aos espaços urbanos mais valorizados. No entanto, a descentralização desses serviços para essa alça viária é a materialização do desenvolvimento econômico na capital, pois tem incentivado novas rotas para a expansão territorial e inserção de atividades outrora alheias a essa cidade. Nesse sentido, o objetivo deste texto é discutir a materialização de investimentos na Via Verde e a valorização imobiliária que estes empreendimentos têm gerado no entorno dessa nova alça viária, tornando a mesma uma nova expressão de centralidade em Rio Branco.

Palavras-chave


Rio Branco, Via Verde, descentralização, valorização imobiliária

Texto completo:

PDF

Referências


Ac 24h. Rio Branco: [2017]. Recuperado em 21 de julho de 2017, de http://www.ac24horas.com/2017/04/20/rede-havan-deve-inaugurar-filial-em-rio-branco-e-oferece-cerca-de-200-vagas-de-emprego/

A Gazeta do Acre. Rio Branco: [2011]. Recuperado em 5 de junho de 2017, de http://agazetadoacre.com/noticias/tudo-pronto-para-a-inauguracao-do-via-verde-shopping-na-capital

Agência Tribunal de Justiça do Acre-TJAC: [2011]. Recuperado em junho de 2017, de http://www.tjac.jus.br/noticias/noticia.jsp?texto=13254

Bessa, K. C. F. O. Silva, E. A. M. & Soares, B. R. (1996). “Vazios” urbanos e especulação imobiliária em Uberlândia-MG. Sociedade & Natureza, 3 (16), (160-175). Uberlândia-MG.

Corrêa, R. L. (1989). O espaço urbano. São Paulo: Ática.

Correio 24horas. Bahia: [2012]. Recuperado em 12 de junho de 2017, de http://www.correio24horas.com.br/detalhe/noticia/valorizacao-de-imoveis-vizinhos-a-shopping-chega-a-90/

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2018). Cidades. Censo demográfico 2010. Recuperado em 09 de outubro de 2018, de .

Montessoro, C. C. L. (1999). Presidente Prudente: a instalação dos shoppings centers e a (re)estruturação da cidade. Presidente Prudente: UNESP.

Oliveira Júnior, G. A. (2010). Espacialidades e temporalidades: expressões de centralidade em cidade médias. Mercator (Fortaleza), 9(19), 87-100.

Planta Genérica de Valores do Município de Rio Branco, Estado do Acre, Brasil (2005). Lei n.º 1.560 de 08/12/2005.

Ribeiro Filho, V. (2004). A área central e sua dinâmica: uma discussão. Sociedade & Natureza, Uberlândia,MG, 16(31), 155-167).

São Paulo: [2013]. Recuperado em 12 de junho de 2017, de http://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/2890753/inauguracao-shopping-impacta-valorizacao-imoveis-cidade

Silva, W. R. (2003). A formação do centro principal de Londrina e o estudo da centralidade urbana. Geografia. Londrina, PR, 12(2), (21-44).

_______(2008). A redefinição da centralidade em cidades médias. Londrina e Maringá no contexto da reestruturação urbana e regional. X colóquio internacional de geocrítica. Barcelona-Espanha. Recuperado em 20 de Dezembro de 2018, de http://www.ub.edu/geocrit/-xcol/37.htm

Silva, A. L. da. (2013). Breve discussão sobre o conceito de cidade média. Geoingá: Revista do Programa de Pós-Graduação em Geografia, Maringá, PR, 5(1), (58-76)

Sposito, M. E. B. (2001). Novas formas comerciais e a redefinição da centralidade intra-urbana. Textos e contextos para a leitura geográfica de uma cidade média.

Presidente Prudente: Pós-graduação em geografia da FCT/UNESP. ______.(2006). Loteamentos fechados em cidades médias paulistas – Brasil. In: SPOSITO, E. S.; SPOSITO, M. E. B.; SORBAZO, O. (Orgs.). Cidades médias: produção do espaço urbano e regional. São Paulo: Expressão Popular.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.