Estudo exploratório da demanda potencial para um sistema de compartilhamento de bicicletas pedelecs

Leonardo Dal Picolo Cadurin, Antônio Nélson Rodrigues da Silva

Resumo


O objetivo deste estudo exploratório é apresentar e discutir os resultados de um procedimento para avaliar a demanda potencial por um sistema de bicicletas pedelecs compartilhadas no campus de São Carlos da Universidade de São Paulo (USP). Formado por duas áreas separadas por uma distância de 4,5 km, o campus parece ser particularmente adequado para implantação deste tipo de sistema de transporte. O procedimento proposto permite traçar um perfil do público-alvo. Permite ainda verificar a preferência entre os ônibus operados pela própria universidade e as pedelecs compartilhadas, visando os deslocamentos entre áreas. Para tanto, faz uso das técnicas de preferência declarada e redes neurais artificiais, para as etapas de coleta e análise dos dados, respectivamente. A partir das respostas de 397 estudantes foi possível identificar que o esforço físico, condições meteorológicas, tempo de viagem e ausência de ciclovias são fatores que restringem o uso de bicicletas convencionais. Lotação excessiva, horários de partida fixos, ausência de controle sobre o início da viagem e distância de caminhada são aspectos importantes para as pessoas não utilizarem os ônibus operados pela USP. Sobre a preferência por pedelecs, a escolha é influenciada pela presença de ciclovias/ciclofaixas, da lotação do ponto de ônibus da USP e das condições meteorológicas.


Palavras-chave


Sistema de compartilhamento de bicicletas. Preferência declarada. Pedelec. Demanda. Campus universitário.

Texto completo:

PDF

Referências


Abdelgawad, H., Mahmoud, M. S., & Kinawy, S. N. (2016).

Understanding cycling behavior and barriers to cycling

in Egypt. In TRB 95th Annual Meeting Compendium of

Papers. Washington, DC, EUA: TRB.

Boullier, D. E., & Crépel, M. (2014). Vélib and data: a new

way of inhabiting the city. Revista Brasileira de Gestão

Urbana, 6(1), 47-56.

Cadurin, L. D. P. (2016). Demanda potencial para um sistema

de compartilhamento de bicicletas pedelecs: o caso

de um campus universitário (Dissertação de Mestrado).

Universidade de São Paulo, São Carlos, Brasil.

Cherry, C., Worley, S., & Jordan, D. (2011). Electric bike

sharing: system requirements and operational concepts.

In TRB 90th Annual Meeting Compendium of Papers.

Washington, DC, EUA: TRB.

Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN. (2013).

Resolução n. 465 de 27 de Novembro de 2013. Recuperado

em 02 de novembro de 2016, de http://www.denatran.

gov.br/download/Resolucoes/Resolucao4652013.pdf

DeMaio, P. (2009). Bike-sharing: history, impacts, models

of provision, and future. Journal of Public Transportation,

(4), 41-56.

Folha de São Paulo. (2015). Bicicletas elétricas ajudam a

vencer ladeiras em São Luiz do Paraitinga. Recuperado em

de novembro de 2016, de http://www1.folha.uol.com.

br/cotidiano/2015/06/1638493-bicicletas-eletricas-

-ajudam-a-vencer-ladeiras-em-sao-luiz-do-paraitinga.

shtml

Garrard, J., Rose, G., & Lo, S. K. (2008). Promoting transportation

cycling for women: the role of bicycle infrastructure.

Preventive Medicine, 46(1), 55-59.

Godefroy, F., & Morency, C. (2012). Estimating latent

cycling trips in Montreal, Canada. Transportation

Research Record: Journal of the Transportation Research

Board, 2314, 120-128.

Hunt, J. D., & Abraham, J. E. (2007). Influences on bicycle

use. Transportation, 34, 453-470.

Ji, S., Cherry, C. R., Han, L. D., & Jordan, D. A. (2014). Electric

bike sharing: simulation of user demand and system availability.

Journal of Cleaner Production, 85, 250-257.

Karlaftis, M. G., & Vlahogianni, E. I. (2011). Statistical

methods versus neural networks in transportation research:

differences, similarities and some insights.

Transportation Research Part C: Emerging Technologies,

, 387-399.

Kirner, J. (2006). Proposta de um método para a definição

de rotas cicláveis em áreas urbanas (Dissertação

de Mestrado). Universidade Federal de São Carlos, São

Carlos, Brasil.

Langford, B. C., Chen, J., & Cherry, C. R. (2015). Risky riding:

naturalistic methods comparing safety behavior

from conventional bicycle riders and electric bike riders.

Accident Analysis & Prevention, 82, 220-226.

Langford, B. C., Cherry, C., Yoon, T., Worley, S., & Smith, D.

(2013). North America’s first e-bikeshare: a year of experience.

Transportation Research Record: Journal of the

Transportation Research Board, 2387, 120-128.

Magalhães, J. R. L., & Palhares, D. A. G. (2013). Utilização

do método de preferência declarada para caracterização

da demanda pelo transporte cicloviário em Montes

Claros/MG. In Anais do XXVII Congresso de Pesquisa e

Ensino em Transportes. Belém, Bahia, Brasil: ANPET.

Maldonado-Hinarejos, R., Sivakumar, A., & Polak, J. W.

(2014). Exploring the role of individual attitudes and

perceptions in predicting the demand for cycling: a hybrid

choice modelling approach. Transportation, 41,

-1304.

Meddin, R. (2016). The bike-sharing world map. Recuperado

em 02 de novembro de 2016, de www.bikesharingmap.com

Midgley, P. (2009). The role of smart bike-sharing systems

in urban mobility. Journeys - Sharing Urban Transport

Solutions, 2, 23-31.

Oliveira, A. M. (2015). Um índice para o planejamento

de mobilidade com foco em grandes polos geradores de

viagens: desenvolvimento e aplicação em um campus

universitário - Apêndice C (Dissertação de Mestrado).

Universidade de São Paulo, São Carlos, Brasil.

Ortúzar, J. D., Iacobelli, A., & Valeze, C. (2000). Estimating

demand for a cycle-way network. Transportation Research

Part A: Policy and Practice, 34(5), 353-373.

Ortúzar, J. D., & Willumsen, L. G. (2011). Modelling transport

(4ª ed.). Chichester, Reino Unido: John Wiley & Sons

Ltd.

Providelo, J. K., & Sanches, S. P. (2010). Roadway and traffic

characteristics for bicycling. In 12th World Conference

on Transport Research. Lisboa, Portugal: WCTRS.

Pucher, J., Dill, J., & Handy, S. (2010). Infrastructure, programs,

and policies to increase bicycling: an international

review. Preventive Medicine, 50, S106-S125.

Raia Junior, A. A. (2000). Acessibilidade e mobilidade na

estimativa de um índice de potencial de viagens utilizando

redes neurais artificais e sistemas de informações geográficas

(Tese de Doutorado). Universidade de São Paulo, São

Carlos, Brasil.

Rodrigues da Silva, A. N., Raia Junior, A. A. & Bocanegra, C.

W. R. (2002). Exploring an ANN modeling approach that

combines accessibility and mobility into a single trip potential

index for strategic planning. In TRB 81st Annual

Meeting Compendium of Papers. Washington, DC, EUA:

TRB.

Ryley, T. (2006). Estimating cycling demand for the

journey to work or study in West Edinburgh, Scotland.

Transportation Research Record: Journal of the

Transportation Research Board, 1982, 187-193.

Vá de Bike. (2015). Ciclovia mais que dobrou o número

de bicicletas na Avenida Paulista. Recuperado em 02 de

novembro de 2016, de http://vadebike.org/2015/09/

contagem-ciclistas-paulista-aumento-fluxo-ciclovia

Wardman, M., Tight, M., & Page, M. (2007). Factors influencing

the propensity to cycle to work. Transportation

Research Part A: Policy and Practice, 41(4), 339-350.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.