A localização residencial em uma cidade vertical: um estudo sintático em Florianópolis

Amanda Carvalho, Renato Tibiriçá de Saboya

Resumo


Grande parte da dinâmica de crescimento urbano é motivada pela busca do lucro, o qual, por sua vez, está relacionado à localização, principal componente de valorização do solo. A verticalização é uma das estratégias para a maximização do lucro sobre o solo urbano. Em áreas onde o custo deste é alto, os promotores imobiliários tendem a intensificar a área construída e o número de pavimentos. O objetivo deste estudo é investigar as características configuracionais das vias em que aconteceu o processo de verticalização residencial em Florianópolis, no Estado de Santa Catarina. Para isso, utilizou-se a Teoria da Sintaxe Espacial, por meio de suas duas medidas principais, Integração e Escolha. Os resultados indicaram que a lógica de localização dos edifícios residenciais verticais (ERVs) na cidade de Florianópolis está relacionada, principalmente, à medida de Escolha local (R3), ou seja, há maior concentração de ERVs em vias que canalizam fluxos utilizados para chegar às outras partes dentro de um sistema local, tornando sua localização localmente central. Entretanto, isso está também relacionado ao processo histórico de ocupação urbana, com áreas mais antigas e consolidadas mostrando tendência de ocupação dos ERVs em vias com maior Integração e Escolha até um determinado momento e posteriormente voltando-se para áreas mais interiorizadas do tecido.

Palavras-chave


Verticalização; Localização residencial; Sintaxe espacial; Características configuracionais

Texto completo:

PDF

Referências


Abramo, P. (2001). Mercado e ordem urbana: do caos à teoria da localização residencial. Rio de Janeiro: Bertrand. [ Links ]

Batty, M. (2009). Urban modeling (p. 51-58, International Encyclopedia of Human Geography). Oxford: Elsevier. [ Links ]

Bortoluzzi, S. D. (2004). Características das funções e padrões de uso e ocupação do solo no centro de Florianópolis (SC) (dissertação de mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. [ Links ]

Campos, É. T. (2009). A expansão urbana na região metropolitana de Florianópolis e a dinâmica da indústria da construção civil (tese de doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. [ Links ]

Capozza, D. R., & Helsley, R. W. (1989). The fundamentals of land prices and urban growth. Journal of Urban Economics, 26(3), 295-306. http://dx.doi.org/10.1016/0094-1190(89)90003-X. [ Links ]

Coelho, K. D. S. (2012). A resistência à nova proposta de Plano Diretor apresentada pela Prefeitura Municipal de Florianópolis: uma análise das práticas alternativas de organizar (tese de doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. [ Links ]

Ferreira, C. D. S. (2006). O edifício Sant’Anna e a gênese da verticalização em Campinas. Arquitextos, 78, 1-7. [ Links ]

Giuliano, G., Gordon, P., Pan, Q., & Park, J. (2010). Accessibility and residential land values: some tests with new measures. Urban Studies, 47(14), 3103-3130. http://dx.doi.org/10.1177/0042098009359949. [ Links ]

Gonzales, S. F. (1985). A renda do solo urbano: hipóteses de explicação de seu papel na evolução da cidade. In R. Farret, S. Gonzales, F. Holanda, & M. Kohlsdorf. O espaço da cidade – contribuição à análise urbana. São Paulo: Projeto. [ Links ]

Gorter, C., & Nijkamp, P. (2001). Location theory. In S. Hanson (Ed.), Encyclopedia of the social sciences (p. 9013-9019). Amsterdam: Elsevier. [ Links ]

Hillier, B. (2007). Space is the machine. London: Space Syntax. [ Links ]

Hillier, B., & Hanson, J. (1984). The social logic of space. Cambridge: Cambridge University Press. [ Links ]

Hillier, B., & Iida, S. (2005). Network and psychological effects in urban movement. Spatial information theory (p. 475-490). New York: Springer Berlin Heidelberg. [ Links ]

Hillier, B., Penn, A., Hanson, J., Grajewski, T., & Xu, J. (1993). Natural movement-or, configuration and attraction in urban pedestrian movement. Environment and Planning. B, Planning & Design, 20(1), 29-66. http://dx.doi.org/10.1068/b200029. [ Links ]

Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis – IPUF. (2012). Base de dados do Cadastro Imobiliário [CD- ROM]. Florianópolis: IPUF. [ Links ]

Krafta, R. (1994). Modelling intraurban configurational development. Environment & Planning B, 21(1), 67-67. http://dx.doi.org/10.1068/b210067. [ Links ]

Krafta, R. (1999). Spatial self-organization and the production of the city. Cybergeo: European Journal of Geography. Recuperado em 27 de março de 2013, de http://cybergeo.revues.org/4985. [ Links ]

Lynch, K. (1984). Good city form. Cambridge: MIT Press. [ Links ]

Mendes, C. M. (1992). O edifício no jardim: um plano destruído – a verticalização de Maringá (tese de doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo. [ Links ]

Penn, A., Hillier, B., Banister, D., & Xu, J. (1998). Configurational modelling of urban movement networks. Environment and Planning. B, Planning & Design, 25(1), 59-84. http://dx.doi.org/10.1068/b250059. [ Links ]

Ramires, J. (1997). A verticalização de São Paulo e o cinema: uma nova dimensão no estudo das cidades. Revista Sociedade e Natureza, 9(17), 5-76. [ Links ]

Ramires, J. (2011). O processo de verticalização das cidades brasileiras. Boletim Geografico, 16(1), 97-106. [ Links ]

Somekh, N. (1997). A cidade vertical e o urbanismo modernizador. São Paulo: Edusp. [ Links ]

Souza, M. A. A. D. (1994). A identidade da metrópole: a verticalização em São Paulo. São Paulo: Hucitec. [ Links ]

Töws, R. L., & Mendes, C. M. (2011). O estudo da verticalização urbana como objeto da geografia: enfoques e perspectivas metodológicas. In Anais do I Simpósio de Estudos Urbanos (p. 1-25). Campo Mourão: Universidade Estadual do Paraná. [ Links ]

Vargas, J. C. B. (2003). Centros urbanos vitais: configuração, dinâmica funcional e caráter das ruas comerciais de Porto Alegre (dissertação de mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. [ Links ]

Villaça, F. (1986). O que todo cidadão precisa saber sobre habitação. São Paulo: Global. [ Links ]

Villaça, F. (2001). Espaço intra-urbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel. [ Links ]

Wheaton, W. C. (1982). Urban spatial development with durable but replaceable capital. Journal of Urban Economics, 12(1), 53-67. http://dx.doi.org/10.1016/0094-1190(82)90004-3. [ Links ]


Apontamentos

  • Não há apontamentos.