Considerações sobre o bairro e a vizinhança a partir do filme Smoke

Maria Isabel Imbronito

Resumo


O presente artigo faz uma reflexão sobre o filme Smoke (Cortina de Fumaça), de 1995, de Paul Auster e Wayne Wang. A partir de uma obra de ficção, foi possível extrair elementos para uma leitura sobre a dinâmica urbana e as relações sociais que se estabelecem em torno de um comércio no Brooklyn, em Nova Iorque, Estados Unidos. Como fundamento para construção de uma interpretação de Smoke, utilizam-se, além de literatura sobre o filme e outros livros do autor, entrevistas de Auster nas quais o autor fornece os três argumentos para desenvolvimento deste texto. Os assuntos abordados são: o comparecimento da cidade de Nova Iorque, a ser apresentada com uma pesquisa sobre a morfologia do lugar; a importância das relações de vizinhança que se estabelecem ao redor do comerciante e as relações entre usuário e lugar; por fim, a construção do
roteiro, assunto da maior importância, tendo em vista a envergadura do autor do filme, discutido a partir do entrelaçamento das estórias, da relação autor-personagem e da relação com a estória original, o “Conto de Natal de Auggie Wren”, publicada no jornal The New York Times.


Palavras-chave


Arquitetura e cinema; Vizinhança; Paul Auster

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.