Patrimônio cultural e tombamento no Rio Grande do Sul: uma contribuição para os estudos urbanos

Daniel Luciano Gevehr, Gabriela Dilly

Resumo


O artigo discute os processos de tombamento de 151 bens culturais pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (IPHAE) do Estado do Rio Grande do Sul. Pretende-se analisar quais os mecanismos envolvidos na produção da memória, que busca, por meio dos bens tombados, criar lugares de memória, que, por sua vez, se apresentam diretamente associados ao planejamento dos diferentes espaços da cidade. Partimos do princípio de que a gestão do espaço é resultado de uma seleção e, nesse contexto, o patrimônio cultural – presente nos espaços urbanos – também surge de escolhas. Discutem-se a dinâmica presente na eleição dos bens culturais e quais as suas áreas geográficas de maior concentração. Propõe-se, ainda, a interpretação desses espaços da cidade, enquanto lugares de memória, na medida em que, mediante suas denominações e organização próprias, revelam um complexo processo de manipulação da memória coletiva. O estudo pretende, ainda, discutir os desdobramentos desse processo que envolve a seleção desses lugares, para se
pensar a cidade e seu patrimônio, com base no processo que envolve o planejamento.


Palavras-chave


Patrimônio cultural; Tombamento; Cidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.