Apropriação do espaço livre público na metrópole contemporânea: o caso da Praça Tiradentes em Curitiba/PR

Alessandro Filla Rosaneli, Ana Claudia Stangarlin Fróes, Débora Luiza Schumacher Furlan, Felipe Timmermann Gonçalves, Sacha Senger

Resumo


O estudo acerca da importância dos espaços livres públicos para o desenvolvimento da vida pública nas cidades é uma preocupação recorrente nos diversos campos que permeiam os estudos urbanos. Especificamente em áreas centrais, tais espaços servem para a amenização climática, articulação de fluxos, atividades de lazer, etc. No entanto, as áreas centrais de polos metropolitanos passam por processos socioespaciais que as fazem ser frequentemente consideradas “degradadas” e que as tornam alvo dos mais diversos projetos de
“revitalização”, os quais visam mitigar os ditos efeitos indesejáveis. Nesse sentido, as praças centrais também sofrem com esse processo e, por isso, é muito comum que passem por variadas transformações a fim de reverter esse quadro. Essas ações são constantes em Curitiba, no Paraná, cidade onde a área central tem sido objeto de diversos projetos de “renovação”. Considerando essa dinâmica, o presente artigo tem como objetivo compreender a importância da Praça Tiradentes, localizada no centro de Curitiba, para o desenvolvimento da vida pública por meio do estudo do seu uso e apropriação. Baseando-se na compreensão de sua evolução histórica, na leitura físico-espacial e na apreensão dos próprios usuários, após breve revisão bibliográfica, o artigo busca identificar as características e as particularidades vinculadas aos processos de produção e de consumo desse espaço público.


Palavras-chave


Espaços livres; Espaços públicos; Esfera pública; Praça Tiradentes; Curitiba

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.