A ocupação urbana no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, Brasil, e suas implicações no turismo de segunda residência

Eduardo Baptista Lopes, Thays Cristina Domareski Ruiz, Francisco Antonio dos Anjos

Resumo


O Litoral Norte do Estado do Rio Grande do Sul, no Brasil, é uma região que tem presenciado diversas transformações em suas formas de ocupação e expansão urbana, ao longo da história. Desde as primeiras ocupações por estâncias e fazendas até as modalidades atuais, predominantemente turísticas, os municípios desta região passaram por uma série de modificações de usos e de formas, ao longo do tempo. Este artigo tem como objetivo principal apresentar os períodos de ocupação do Litoral Norte do Rio Grande do Sul e sua relação com o turismo de segunda residência, delimitados através da identificação dos usos, da análise das formas de crescimento urbano, do traçado e das tipologias das edificações, verificados na região. Na pesquisa realizada, foi possível identificar, delimitar e analisar quatro períodos no processo de ocupação da região: estâncias e fazendas (até 1888), turismo de saúde (1888-1940), loteamentos balneários (1940-1995) e condomínios horizontais (1995-2016).


Texto completo:

PDF

Referências


Aledo, A. (2004). Turismo y desarrollo: una reflexión sobre

las teorías del post-desarrollo. In A. M. Nogués (Eds.),

Cultura y turismo. Sevilla: Signatura Demos.

Aledo, A. (2008). De la tierra al suelo: la transformación

del paisaje y el nuevo turismo residencial. Arbor Ciencia,

Pensamiento y Cultura, 184(729), 99-113.

Anjos, F. A., & Fornara, R. A. (2011). Morfologia da cidade

contemporânea: os novos territórios morfológicos de

Itajaí (SC). In L. A. Oliveira, G. P. A. Amaral e Silva, & A. M.

Rossetto (Eds.), Arquitetura da cidade contemporânea:

centralidade, estrutura e políticas públicas (pp. 211-226).

Itajaí: UNIVALI.

Arrocha, A. (2005). La hacienda local en los destinos

turísticos: el caso de Torrevieja. In T. Mazón, & A. Aledo

(Eds.), Turismo residencial y cambio social. Alicante: CAM-UA.

Ascher, F. (2004). Los nuevos principios del urbanismo.

Madrid: Alianza Editorial.

Assen de Oliveira, L. (2011). Caminhos da Centralidade na

cidade contemporanea: um jogo de escalas. In L. A. Oliveira,

G. P. A. Amaral e Silva, & A. M. Rossetto (Eds.), Arquitetura

da cidade contemporânea: centralidade, estrutura e políticas

públicas (pp. 21-46). Itajaí: UNIVALI.

Assis, L. F. (2003). Turismo de segunda residência: a

expressão espacial do fenômeno e as possibilidades de

análise geográfica. Revista Território, 7(11-13), 107-122.

Brasil. (1937, 10 de novembro). Constituição dos Estados

Unidos do Brasil. Brasília: Diário Oficial da União.

Brasil. (2006). Projeto orla: manual de gestão (88 p.).

Brasília: MMA, MPOG.

Chevalier, J., & Carballo, C. (2005). Los espacios cerrados

residenciales: en busca del entre-sí; estudio comparativo

entre el norte y el sur del continente americano. Cuadernos

de Geografia, 14, 5-14.

Correa, S. M. S. (2010). Germanidade e banhos medicinais

nos primórdios dos balneários no Rio Grande do Sul.

História, Ciências, Saúde, 17, 165-184.

Cruz, R. C. A. (2001). Introdução à geografia do turismo.

São Paulo: Roca.

Font, A., Carracedo, O. & Vesclir, L. (2007). Configuraciones

Metropolitanas: estructura espacial y tipos de crecimiento

urbano. In A. Font (Ed.), La explosión de la ciudad. Madrid:

Ministerio de Vivienda.

Google Earth. (2013). Recuperado em 5 de setembro de

, de https://www.google.com.br/intl/pt-BR/earth

Holanda, F. R. (1985). Arquitetura como Estruturação

Social. In R. L. Farret (Ed.), O espaço da cidade: contribuição

à análise urbana. São Paulo: Parma.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2010).

Censo demográfico de 2010. Rio de Janeiro. Recuperado em

de março de 2017, de http://www.ibge.gov.br

Lamas, J. M. R. G. (2004). Morfologia urbana e desenho

da cidade (3a ed.). Porto: Fundação Calouste Gulbekian.

Lopes, E. B. (2013). Os condomínios residenciais e suas

relações espaciais com o entorno: o caso de Xangri-Lá/RS

(Dissertação de mestrado). Programa de Pós-graduação em

Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade, Universidade

Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Lynch, K. (1997). A imagem da cidade. São Paulo: Edições 70.

Moraes, A. C. R. (1999). Contribuições para a gestão da

zona costeira do Brasil: elementos para uma Geografia do

Litoral Brasileiro. São Paulo: Hucitec.

Müller, D. (1999). German second home owners in the Swedish

countryside: on the internationalization of the leisure space.

Umeå: Department of Social and Economic Geography.

Panerai, P. (1983). Elementos de analisis urbano. Madrid: Fareso.

Pearce, D. G. (1991). Tourism today: a geographical analysis.

New York: Longman.

Santos, M. (1994). A urbanização brasileira (2a ed.). São

Paulo: Hucitec.

Seabra, O. C. L. (1979). A muralha que cerca o mar: uma

modalidade de uso do solo urbano (Dissertação de mestrado).

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas,

Universidade de São Paulo, São Paulo.

Secretaria de Planejamento e Gestão Cidadã – SEPLAG.

(2008). Atlas Socioeconômico do Rio Grande do Sul. Porto

Alegre. Recuperado em 10 de março de 2017, de http://

www.seplag.rs.gov.br/

Serpa, A. (2007). O espaço público na cidade contemporânea.

São Paulo: Contexto.

Solà-Morales, M. (1997). Las formas de crecimiento urbano.

Barcelona: Edicions UPC.

Strohaecker, T. M. (2007). A urbanização no litoral Norte

do Rio Grande do Sul: contribuição para a gestão urbana

ambiental do município de Capão da Canoa (Tese de doutorado). Programa de Pós-graduação em Geociências,

Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Torres, B. E. (2003). El Turismo residenciado y sus efectos

en los destinos turísticos. Estudios Turísticos, 155(6), 45-70.

Tulik, O. (1995). Residências secundárias: presença,

dimensão e expressividade do fenômeno no Estado de São

Paulo (Tese de livre-docência). Escola de Comunicações

e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Tulik, O. (2001). Turismo e meios de hospedagem: casas

de temporada (113 p.). São Paulo: Roca.

Waisman, M. (1990). El interior de la historia: historiografia

arquitectonica para uso de latinoamericanos. Bogotá: Escala.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.