Sintomas musculoesqueléticos em motoristas de ônibus: prevalência e fatores associados

Alberto De Vitta, Marta Helena Souza De Conti, Débora de Melo Trize, Natasha Mendonça Quintino, Roger Palma, Sandra Fiorelli de Almeida Penteado Simeão

Abstract


Introdução: Os profissionais do transporte coletivo realizam atividades laborais que envolvem grande número de fatores de risco para acometimentos musculoesqueléticos, e o conhecimento desses riscos é fundamental para que esses trabalhadores possam gozar de boa qualidade de vida. Objetivos: Verificar a prevalência dos sintomas musculoesqueléticos em motoristas de ônibus urbano e investigar fatores associados. Materiais e métodos: Realizou-se um estudo transversal com 55 motoristas de uma empresa de uma cidade do estado de São Paulo, com a utilização de questionário muldimensional composto de variáveis demográficas, ocupacionais e hábitos de vida, assim como o Índice de Capacidade para o Trabalho e o Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares. Resultados: Realizaram-se análises descritiva, bivariada e multivariada por regressão logís¬tica binária. Verificou-se que 65,7% dos trabalhadores relataram algum tipo de sintoma osteomuscular nos últi¬mos 12 meses, localizados, principalmente, na região lombar (17,0%), ombros e joelhos (13,3%). Observou-se associação entre os sintomas e o baixo nível de escolaridade, a alta demanda psicológica, o sedentarismo e o baixo nível de capacidade para o trabalho. Conclusões: A prevalência de sintomas osteomusculares nos motoristas é alta, necessitando de ações de promoção à saúde.



DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-51502013000400015

Refbacks

  • There are currently no refbacks.