Benefícios da modificação do estilo de vida na síndrome metabólica

Luiza Armani Valmorbida, Alice Carvalho Borsatto, Ana Maria Feoli, Maria Terezinha Antunes, Márcia Koja Breigeiron, Fabrício Edler Macagnan

Abstract


Introdução: Os principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares hipertensivas e isquêmicas da síndrome metabólica (SM) podem ser favoravelmente modificados pelo estilo de vida (EV). Objetivo: Avaliar o efeito de um programa de modificação do estilo de vida sobre os fatores de risco cardiovascular de voluntários com síndrome metabólica (SM). Materiais e métodos: Ensaio clínico em que oito voluntários (cinco mulheres) com diagnóstico de SM foram submetidos, ao longo de três meses, à intervenção nutricional quinzenal e a um programa de exercício físico, realizado em esteira rolante com intensidade de 65% a 75% da frequência cardíaca máxima, com duração de 30 minutos, três vezes por semana. Após o programa os dados foram comparados pelo teste t de Student. Resultados: Houve redução significativa da pressão arterial sistólica (- 7,5%), triglicerídeos (- 6,7%) e lipoproteínas de alta densidade (- 8%). Além disso, o índice de trabalho cardíaco avaliado em repouso reduziu significativamente (- 11%), ao passo que o condicionamento físico expresso pelo trabalho muscular e consumo de oxigênio aumentaram significativamente (29% e 24%, respectivamente). Conclusão: Até o momento, esses resultados indicam que a mudança nos hábitos alimentares associados à prática regular de exercício físico pode reduzir bene¬ficamente as concentrações de triglicerídeos, bem como a PAS e o DP. Além disso, devido à relevância dos resultados obtidos ao final do programa, acredita-se que a continuidade das atividades propostas neste estudo possa beneficiar outros indivíduos com SM.



DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-51502013000400012

Refbacks

  • There are currently no refbacks.