Efeitos da fisioterapia no desmame da ventilação mecânica

Anderson José, Regina Célia Pasquero, Solangio Rodrigues Timbó, Simone Rodrigues Faria Carvalhaes, Umilson dos Santos Bien, Simone Dal Corso

Abstract


Introdução: A Fisioterapia vem atuando com o objetivo de reduzir falhas no desmame da ventilação mecânica (VM) que podem repercutir em desfechos desfavoráveis para o paciente. Objetivo: Avaliar os efeitos da fisioterapia no desmame da VM. Materiais e métodos: Estudo transversal e controlado com pacientes adultos. A formação dos grupos estudados foi resultado de dois períodos ocorridos em uma UTI; em determinado período, a unidade contou com a presença de um profissional de Fisioterapia, em outro, não teve a presença desse profissional por razões administrativas. Registraram-se os resultados do desmame por meio de coleta diária de informações. Foram estudados 50 pacientes, 31 fizeram fisioterapia (grupo fisioterapia, GF)e 19 não fizeram (grupo controle, GC). O GF realizou dois atendimentos diários (quarenta minutos cada), composto das técnicas: compressão do tórax, hiperinsuflação manual, aspiração traqueal e de vias aéreas, movimentação e condução do desmame. O GC recebeu tratamento médico usual. Resultados: Observou-se no GF e GC, respectivamente: sucesso no desmame – 71% (22) e 21% (4) (p = 0,001); tempo de VM – 152 ± 142 e 414 ± 344 horas (p = 0,04); tempo de desmame: 13 ± 48 e 140 ± 122 horas (p < 0,0001); tempo de internação na UTI – 338 ± 192 e 781 ± 621 horas (p = 0,007); tempo de internação hospitalar – 710 ± 628 e 1108 ± 720 horas (p = 0,058); mortalidade: 35% (11) e 47% (9) (p = 0,41). Conclusão: A fisioterapia esteve associada ao aumento do sucesso no desmame, à redução do tempo de desmame, tempo de VM e de internação na UTI. Não houve diferença no tempo de internação hospitalar e na mortalidade.



DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-51502013000200004

Refbacks

  • There are currently no refbacks.