Prevalência de bruxismo e distúrbio do sono em deficientes visuais

Bárbara Bernardo Rinaldo da Silva, Kátia Roberta Rapôso Sales Lacerda, Ana Paula de Lima Ferreira, Marcelo de Souza Figueiroa

Abstract


Introdução: O termo “bruxismo” significa ranger ou apertar os dentes sem objetivos funcionais aparentes; é um distúrbio que ocorre usualmente durante o sono e geralmente está associado a microdespertares. Os deficientes visuais estão mais predispostos a apresentarem distúrbio do sono em razão de uma possível disfunção da glândula pineal, alterando a produção de melatonina, e, consequentemente, por apresentarem sintomas de bruxismo relacionado à ausência da percepção de luz. Objetivo: Verificar a ocorrência de bruxismo e distúrbio do sono em deficientes visuais. Materiais e métodos: Amostra de conveniência com casuística de 63 voluntários com acuidade visual inferior a 0,05 (20/400) até a ausência da percepção luminosa. Foram submetidos à aplicação do Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI) e do Inquérito para Diagnóstico de Bruxismo. Resultados: A prevalência de bruxismo e má qualidade do sono foram, respectivamente, de 80,95% e de 85,71%. O bruxismo foi mais frequente entre aqueles com história de deficiência visual congênita (65,08%) do que entre os portadores de deficiência visual adquirida (34,92%), não sendo encontrada diferença significante quando comparados homens e mulheres. Já a ocorrência de má qualidade do sono foi similar entre portadores de deficiência visual congênita e adquirida. Foi verificada a associação positiva entre bruxismo e má qualidade do sono. Conclusão: Pôde-se verificar uma alta ocorrência de bruxismo e distúrbio do sono na população de deficientes visuais pesquisada. Este estudo tem importante contribuição epidemiológica e os seus resultados poderão ser utilizados para delinear futuras intervenções terapêuticas.



DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-51502013000100018

Refbacks

  • There are currently no refbacks.