Análise estabilométrica pré e pós-exercícios fisioterapêuticos em crianças deficientes visuais

Carolina Gomes de Sá, Cintia Raquel Bim

Abstract


Introdução: Crianças deficientes visuais congênitas apresentam deficit de equilíbrio estático e dinâmico quando comparadas a crianças de visão normal de mesma idade. Diante da falta de visão para fornecer as informações sensoriais que permitam um feedback postural, o equilíbrio torna-se difícil, por isso a importância de estimular as vias vestibulares e proprioceptivas por meio de exercícios. A estabilometria é um método de análise do equilíbrio postural pela quantificação das oscilações do corpo, por uma plataforma cujos deslocamentos nos eixos ântero-posteriores e latero-lateral são analisados em termos do centro de pressão. Objetivo: Verificar o equilíbrio, por meio da estabilometria, em crianças com deficiência visual entre 5 a 13 anos pré e pós-exercícios terapêuticos. Materiais e métodos: A amostra foi composta por dez crianças, duas crianças com deficiência visual total e oito crianças com deficiência visual subtotal. Após a avaliação pela estabilometria, as crianças foram submetidas a um protocolo de exercícios por um período de dois meses, e ao final foram avaliadas novamente. Resultados: A média de idade foi de 8,52 (± 2,33) anos, o valor de significância encontrado para velocidade do corpo foi de p = 0,0001 e para deslocamento do corpo foi de p = 0,016, o que configura uma melhora estatisticamente significativa na velocidade de oscilação e deslocamento do corpo das crianças. Conclusão: Com base nos resultados obtidos neste estudo, pode-se comprovar que os exercícios terapêuticos propostos influenciam na melhora do equilíbrio, verificando a importância da intervenção fisioterapêutica em crianças com deficiência visual.



DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-51502012000400014

Refbacks

  • There are currently no refbacks.