O relacionamento interpessoal e a adesão na fisioterapia

Marina Medici Loureiro Subtil, Dominiqui Costa Goes, Tiago Cardoso Gomes, Mariane Lima de Souza

Abstract


Introdução: A relação estabelecida entre fisioterapeuta e paciente é um aspecto fundamental do processode adesão no tratamento fisioterapêutico e neste estudo foi definida como um processo multifatorial.Objetivos: Investigar a relação entre o fenômeno da adesão na fisioterapia e as características do relacionamentoestabelecido entre fisioterapeutas e pacientes. Metodologia: Estudo qualitativo e exploratório, comdelineamento ex-post facto, amostra por conveniência de 11 pacientes de 25 a 73 anos com diagnósticosclínicos variados; e quatro fisioterapeutas atuantes na equipe em que esses pacientes foram atendidos. Osparticipantes responderam a uma entrevista semiestruturada contendo tópicos sobre o processo de adesãona fisioterapia e o papel do relacionamento fisioterapeuta-paciente. A análise qualitativa dos dados seguiuos critérios da fenomenologia-semiótica. Resultados e discussão: Os relatos dos pacientes sugeriram umcontexto temático para o fenômeno da adesão focado em duas áreas: a) caracterização da fisioterapia edo bom profissional e b) contraposição entre continuidade e interrupção do tratamento. Os relatos dosfisioterapeutas indicaram um contexto temático focado em três áreas: a) capacidades e habilidades do bom fisioterapeuta; b) adesão à fisioterapia; e c) relacionamento fisioterapeuta-paciente. A redução fenomenológicaindicou três focos problemáticos para o fenômeno da adesão ao tratamento na fisioterapia: a necessidadedo cuidado integral; a dificuldade na comunicação paciente-terapeuta; e as contingências socioeconômicasdo paciente. A interpretação fenomenológica reforçou e relacionou os aspectos encontrados naredução. Conclusão: O processo de adesão na fisioterapia pode ser caracterizado como multifatorial e orelacionamento interpessoal, entre fisioterapeuta e paciente, como fator essencial ao sucesso da reabilitaçãoe consequente adesão.



DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-51502011000400020

Refbacks

  • There are currently no refbacks.