EFEITOS DA FISIOTERAPIA NAS RESPOSTAS CARDIOVASCULARES DE UM PACIENTE COM TRANSPLANTE CARDÍACO

Poliana Hernandes Leite, Ruth Caldeira de Melo, Audrey Borghi Silva, Aparecida Maria Catai

Abstract


Introdução: Pacientes submetidos a transplante cardíaco (TC) apresentam alterações nas respostas cardiovasculares tanto em repouso como durante o exercício físico. Estudos mostram que atividade física regular promove adaptações no sistema cardiovascular destes pacientes. O objetivo foi avaliar os efeitos da atividade física supervisonada (fisioterapia cardiovascular - FTCV) e não-supervisionada nestas adaptações em um paciente após TC. Materiais e Métodos: Após 2 meses de TC, um homem (57 anos) foi submetido a 3 testes de exercício físico dinâmico submáximo (TEFDS) em esteira nas seguintes condições: a) pré-tratamento (T0, protocolo descontínuo); b) 6° mês de tratamento (T6, protocolo contínuo em degrau) e c) 12 meses após início do tratamento (T12, protocolo contínuo em degrau). A freqüência cardíaca (FC), pressão arterial (PA) e eletrocardiograma (ECG) foram monitorados e registrados em cada nível de esforço e durante a recuperação. Entre T0 e T6, o paciente realizou FTCV supervisionada (3 vezes/semana, 50 minutos/sessão). Após T6, o paciente foi orientado a realizar atividade física aeróbia sem supervisão (caminhada, 3-5x/semana, 30-60 minutos/dia). Resultados: a FC reduziu tanto no repouso (T0=80, T6=77 e T12=70bpm) como para o mesmo nível submáximo de esforço (4,0Km/h) (T0=94, T6=88 e T12=85bpm). Entretanto, PA sistólica não se modificou entre as condições estudadas. Além disso, a intensidade de exercício pico aumentou com o decorrer da FTCV (T0=4,0Km/h, T6=T12=6,0Km/h com inclinação de 9% e 12%, respectivamente). Conclusão: Estes resultados sugerem que a FTCV supervisionada associada à não supervisionada, foram capazes de reduzir a FC de repouso e melhorar a tolerância ao exercício de um paciente transplantado.

Refbacks

  • There are currently no refbacks.