PLICATURA DIAFRAGMÁTICA APÓS LESÃO DO NERVO FRÊNICO EM OPERAÇÃO DE GLENN: relato de caso

Débora Cristina Pessina, Thaís Cristina de Mello Costa, Odete Mauad Cavenaghi, Lílian Goraieb, Paulo Rogério Corrêa, Ulisses Alexandre Croti

Abstract


Em casos de cardiopatias congênitas como a estenose valvar pulmonar crítica, são indicadas cirurgias paliativas como Blalock-Taussig e Glenn que podem levar, entretanto, a diversas complicações, dentre elas a lesão do nervo com conseqüente paralisia diafragmática e permanência prolongada do paciente em ventilação mecânica. A plicatura diafragmática é o procedimento cirúrgico indicado, objetivando a redução da permanência em ventilador mecânico com o retorno precoce da expansão pulmonar permitida cirurgicamente. O objetivo do presente estudo foi relatar o caso de paralisia diafragmática pós-operação de Glenn e o tratamento cirúrgico de plicatura diafragmática para redução do tempo de suporte ventilatório. A criança deste estudo apresentou lesão completa do nervo frênico após a operação de Glenn, apresentando respiração paradoxal e permanência por curto intervalo de tempo em extubação, seguido de desmames difíceis. Neste caso, a paralisia diafragmática foi confirmada pelo exame de radioscopia pulmonar com lesão do nervo e radiografia torácica apresentando hemicúpula diafragmática direita elevada. Foi realizado plicatura diafragmática, e após cinco dias a criança foi extubada com sucesso. Concluiu-se que apesar de não realizada precocemente devido ao diagnóstico tardio, a plicatura diafragmática foi realizada eficazmente em tempo hábil para a reversão parcial do quadro de paralisia diafragmática, que foi alcançada com extubação após cinco dias, aumentando a expansibilidade torácica e diminuindo o número de intercorrências pulmonares. A fisioterapia mostrou-se um recurso de valor na manutenção da higiene brônquica e fortalecimento da musculatura de tronco e abdome.

Refbacks

  • There are currently no refbacks.