APLICAÇÃO DE ESTIMULAÇÃO ELÉTRICA DE BAIXA INTENSIDADE NO TRATAMENTO DE ÚLCERAS VARICOSAS

Ana Carolina Brandt de Macedo, Naudimar Dipietro Simões

Abstract


O objetivo deste trabalho foi verificar a influência da estimulação elétrica de baixa intensidade na cicatrização das úlceras varicosas. Foram selecionados 4 pacientes, 3 do sexo masculino e 1 feminino, com média de idade de 70±5, com diagnóstico clínico de úlcera varicosa não infecciosa, com etiologia de insuficiência venosa crônica. Em relação ao tempo da úlcera, 1 paciente a possui há 30 anos e 3 há menos de 3 anos. O trabalho foi realizado na clínica de fisioterapia da Universidade Tuiuti do Paraná. Inicialmente, os pacientes foram avaliados por meio de uma ficha específica, na qual foram colhidos dados sobre a história da moléstia atual, pregressa, doenças associadas, medicamentos e presença de quadro álgico. Também foram realizadas a goniometria de tornozelo e a perimetria da perna. Após a avaliação, os pacientes foram fotografados na região da úlcera, com a máquina digital Sony 3.1, a uma distância de 35 cm. As fotografias foram tiradas antes e após a aplicação da estimulação elétrica. A corrente utilizada foi contínua, intensidade de 500 mA, técnica de aplicação bipolar do tipo caneta. Foi determinado um tempo de 1 minuto em cada ponto, sendo a distância entre cada ponto de 1 cm. A aplicação foi realizada somente 1 vez em cada ponto. Foram realizadas 10 aplicações, 2 vezes por semana, em dias alternados. Os resultados mostraram uma diminuição da área das úlceras de 5,3%, 45%, 43,5% e 27,8 % nos pacientes 1, 2, 3 e 4 respectivamente, verificando que a estimulação elétrica pode auxiliar na cicatrização desta patologia.

Refbacks

  • There are currently no refbacks.